QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

segunda-feira, 30 de junho de 2014

A Velocidade das Mudanças

Você conhece a história da rã que foi colocada em um recipiente com água fria? 

A temperatura da água vai subindo aos poucos e ilustra exatamente o que acontece em uma infinidade de empresas. 

A rã só percebe que a água está muito quente quando já não tem mais condições de se salvar, e acaba morrendo no momento da fervura da água.

Qualquer semelhança com o ambiente corporativo é mera coincidência? 

Infelizmente, não. No mundo dos negócios, a maior parte das pessoas vai ignorando as condições que apontam a necessidade de mudar e, quando percebem, já não há mais tempo para reagir.

Apesar de muitos dos seres humanos saberem lidar com a mudança, o que preocupa, na verdade, é saber se estamos treinando as pessoas adequadamente para lidar com a velocidade da mudança. 

Agilidade, flexibilidade e velocidade são essenciais, principalmente porque sabemos que as mudanças não acontecem em 24 horas. A mudança é um programa intensivo de ação, necessária em altas doses para que seja bem-feita.

O reconhecimento da necessidade de mudança, freqüentemente, surge no nível da alta administração, mas o sinal de alerta pode vir dos clientes ou dos departamentos que começam a se sentir travados por um processo deteriorado ou problemas de produtividade. Qualquer que seja o ponto de partida do processo de mudança, é preciso que seja disseminado até abranger toda a empresa.

Contudo, há uma fase preliminar que consiste em preparar um relatório, defendendo a transformação proposta e demonstrando a sua necessidade e vantagens. É um bom começo para defender as suas idéias e começar a conquistar o envolvimento das pessoas. Nessa fase, deve-se elaborar a visão e comunicá-la adequadamente a todos os membros da empresa. Convide-os a participar de projeto de forma concreta e criativa. Lembre-se de que preparar a empresa para o que virá é construir o contexto de mudança.

Apresente razões sólidas, argumentação precisa, clara, fundamentada e convincente.

A Price Waterhouse publicou um estudo no qual mostra que o maior obstáculo para a mudança é o argumento de que a empresa não está preparada para ela. Não caia nessa armadilha! Conte às pessoas o que vai dizer, diga e depois explique o que disse. Mesmo que a mensagem central permaneça inalterada, os detalhes do projeto devem ser modificados, caso você não o atualize constantemente. Mantenha a comunicação sempre ativa e controle a sua eficácia durante todo o tempo.

Dizer que existe uma receita de bolo para aplicar para os projetos de mudança é algo bem equivocado, uma vez que cada mudança traz consigo uma situação específica e singular. O que existe, segundo o estudo apresentado pela Price Waterhouse, é um conjunto de princípios que podem servir de base propulsora para a inspiração no momento de mudar. Acompanhe o checklist a seguir!

Checklist dos princípios básicos da mudança:
  • Enfrentar a realidade.Agir sempre junto a estratégia.
  • Exigir comando firme.Estabelecer um clima de mudança.
  • Dar informações convincentes.
  • Fazer do cliente mola-mestra da mudança.
  • Conhecer pessoas estratégicas.
  • Comunicar-se continuamente.
  • Reformular o sistema de medidas.
  • Utilizar todos os recursos.
  • Ser audacioso.
  • Aproveitar a diversidade de recursos.
  • Desenvolver novas capacidades na empresa.
  • Planejar.
  • Promover a integração de iniciativas.
Fonte:Alessandra Assad - http://www.qualidadebrasil.com.br/

sábado, 28 de junho de 2014

800 anos da língua portuguesa


Basta que um fato qualquer repercuta nas redes sociais para que se veja uma profusão de comentários - em língua portuguesa. De acordo com estudo do instituto lusitano Camões, o idioma é o terceiro mais falado no Facebook e no Twitter, repetindo patamar ocupado no Orkut, que passou a ser dominado principalmente por brasileiros. A língua é hoje a mais falada de todo o hemisfério sul. Tem mais de 250 milhões de pessoas como idioma oficial.

Em junho de 2014, o português completa oito séculos. O marco histórico para determinar o natalício é o testamento do rei lusitano dom Afonso II, datado de 27 de junho de 1214. Segundo estudiosos, o documento é o mais antigo já redigido na língua que abraça Fernando Pessoa e Guimarães Rosa.

O berço do português é a Península Ibérica. Derivada do galego-português, a língua é hoje falada nos cinco continentes. É o idioma oficial em oito países: Brasil, Portugal, Angola, Cabo Verde, Guiné-Bissau, Moçambique, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

“A língua portuguesa é exuberante e é fácil, ao contrário do que todo mundo diz. Além de ser uma língua extremamente flexível e, por isso, tão falada e tão usada no ocidente”, afirma Roberto Pontes, professor de Literaturas de Língua Portuguesa da Universidade Federal do Ceará (UFC). O pesquisador afirma que a expansão do português mundo afora é hoje um processo conduzido principalmente pelo Brasil e o seus mais de 200 milhões de habitantes.


Para o professor Alber Uchoa, do departamento de Letras Vernáculas da UFC, o idioma tem se difundido, sobretudo, por meio da cultura. “A música, a moda e a dança, por exemplo, estão mostrando a importância do português, principalmente o falado no Brasil”, analisa. E completa: “O português é hoje uma das mais importantes línguas do mundo”.


Do romano ao índio

A expansão do Império Romano fez surgirem as vertentes românicas ou neolatinas, conjunto das línguas indo-europeias originadas a partir do latim. “O português provém do latim vulgar, de uma linguagem mais oralizada, que nasce a partir do que os romanos introduziram na região da Península Ibérica”, explica Victor Cintra, professor de literatura da Universidade Estadual do Ceará (Uece).

O pesquisador pondera que, apesar do marco histórico de 1214, o português tem histórico anterior à data. Victor destaca o período “pré-histórico”, que vai dos primeiros indícios da língua até o século IX, época que não possui registro material, pois era apenas falada e não escrito. Ele aponta ainda a fase “proto-histórica”, quando os textos eram escritos em galego-português, para, posteriormente, chegar ao português propriamente dito. “Ao longo do tempo a língua vai se transformando, tanto que temos o ‘internetês’ de hoje. Quem vai fazendo a língua é o povo”, afirma.

Depois de se tornar oficial em Portugal, o português se espalhou, alterando-se a partir da expansão marítima do país e do contato com as colônias. “É preciso considerar os substratos da língua, pois o povo que domina também recebe informações do dominado. A língua não permanece como chegou, vai sendo utilizada e modificada”, diz. Prova disso, ele argumenta, é a diversidade de origens da língua falada no Brasil, que tem forte influência da cultura indígena e negra.
Fonte: O Povo Online - Fortaleza/CE.

sexta-feira, 27 de junho de 2014

Os 10 Livros que toda Mulher de Sucesso deve Ler

Vários são os fatores que fazem uma mulher alcançar o sucesso, dentre eles, o conhecimento é um dos pontos chaves que embasa tanto habilidades como atitudes, pois leva a refletir sobre nossas ações e assim podemos ajustá-las de acordo com as oportunidades que nos surgem,  sendo esta uma das premissas para o sucesso de qualquer pessoa.
A lista que apresento aqui, não tem a pretensão de se tornar uma bibliografia obrigatória para mulheres,  até porque excelentes livros ficaram de fora, e vários outros ainda estão por vir, mas quero que com estas sugestões você possa ampliar seus conhecimentos para assim vencer e ter sucesso não somente na carreira, mas em todas as áreas que uma mulher deseja se destacar.
1 - Faça Acontecer – Mulheres, trabalho e a vontade de liderar, de Sheryl Sandberg
O livro lançado em 2013 pela Chefe Operacional do Facebook, apontada como a 10ª mulher mais poderosa do mundo pela revista Forbes, despertou polêmica ao levantar a questão da estagnação das mulheres em suas carreiras, apontando fatores relacionados a forma de agir e pensar como algo fundamental para o sucesso da mulher no âmbito profissional. O livro trás ainda sugestões  práticas de como resolver questões pessoais  para atingir um alto  potencial de desempenho e assim chegar ao topo nas organizações.
2 - Feito Homem – A jornada de uma mulher ao universo masculino, de Norah Vincent
Norah Vincent queria saber como realmente era a vida dos homens, pois muitas mulheres sempre acreditaram que eles vivem melhor do que elas. Para descobrir por si mesma se isto era verdade, por dezoito meses ela se disfarçou de homem e relatou tudo o que pode perceber neste livro, acerca do universo masculino. Tendo estado onde certamente nenhuma mulher esteve, Norah Vincent narra de forma bem humorada e cativante os muitos mistérios singulares da identidade de gênero.
3 - Nos negócios jogue como homem,  vença como mulher, de Gail Evans
De forma direta, Gail Evans faz uma análise realista e sincera do segredo para o sucesso nos negócios e ensina mulheres de todos os níveis de uma organização através de exemplos práticos, como participar do “jogo” aumentando assim as chances de sair vencedora.
4 - Homem líder, mulher líder, de Michael Gurian & Barbara Annis
O livro apresenta ferramentas científicas para que os leitores possam compreender o cérebro feminino e masculino além de entender a si mesmo e uns aos outros. Analisando a diferença de homens e mulheres e como através do equilíbrio de uma equipe mista, as empresas podem alcançar maior vantagem competitiva, utilizando o que cada gênero tem de melhor.
5 - Mulheres, elas fazem historia, de Mayla Di Martino
Com coragem e comprometimento social, 64 executivas integrantes do Espaço Mulheres Executivas (MEX-Paraná),  relatam os desafios enfrentados para chegar a posições de liderança. Além de refletir sobre as condições que podem tornar o mundo corporativo, mais afável ao equilíbrio entre trabalho e vida pessoal, tanto para homens quanto para mulheres.
6 - Executiva, a heroína solitária, de Emerson Ciociorowski
Escrito de forma leve, cativante e fluída, o autor busca levar mulheres, a uma reflexão profunda, sobre a importância de seu papel na vida e sua responsabilidade na concretização de um mundo melhor. Através de temas instigantes, a leitora é convidada a explorar o potencial que cada mulher tem mas que consequentemente é esquecido por falta de tempo e coragem.
7 - Mulheres que correm com lobos – Mitos e Histórias do arquétipo da mulher selvagem, de Clarissa Pinkola Estes
Este livro propõe que toda mulher tem em si um lado a ser descoberto, uma essência selvagem e poderosa que procuramos esconder, ou não entrar em contato por medo de nós mesmas, no entanto, a autora descreve, através da análise de mitos que este lado feminino nos coloca frente a frente com nosso eu verdadeiro, transformando a realidade através da força que está por trás de cada mulher, contribuindo assim para que a essência feminina se fortaleça e possa guiar cada uma para o sucesso e realização pessoal.
8 - Marketing da Mulher,  de Vanda Neves
De forma clara e reflexiva, Vanda Neves desafia elas a promoverem mudanças que muitas desejam, mas acabam não concretizando. Com a proposta de ser um guia para mulheres o livro mostra através de princípios do marketing que é possível ser mulher e amante, ter uma carreira e ser mãe, abraçar muitas causas e ser uma pessoa mais feliz.
9 - Mulheres no topo – Como mulheres bem sucedidas conciliam trabalho e família, de Diane F. Halpern e Fanny M. Cheung
Através do depoimento de profissionais influentes, as autoras buscam mostrar que é possível conciliar família e trabalho através da discussão dos principais dilemas vividos pelas mulheres na sociedade contemporânea: ser uma boa mãe e esposa e ao mesmo tempo conquistar o sucesso profissional.
10 - A era da mulher – Entenda e prepare-se para a mudança econômica em curso, de Alison Maitland
O livro aponta a importância e a força econômica das mulheres, argumentando que a posição feminina como consumidoras, profissionais e lideres tem sido reconhecida como um indicativo de saúde, maturidade e viabilidade econômica. Apontando que as mulheres atualmente exercem um papel essencial para as soluções do mercado de trabalho, para a diminuição das taxas de natalidade e para a escassez de qualificações.
Inspire-se e Boa Leitura.
Por: Gisele Meter - http://www.administradores.com.br/

quinta-feira, 26 de junho de 2014

Qual o Seu Grau de Excelência?

As pessoas deveriam aferir o seu grau de excelência em todas as atividades em que está envolvida , seja fritar um ovo , realizar uma neurocirurgia ou implementar um projeto de milhões

Não existe meio termo quando nos referimos á excelência, ou você faz as coisas bem feitas, dando o máximo de si, ou não faça.

Para aferir o seu grau de excelência você deve avaliar os seus pontos fortes em relação aos outros, ou seja, aquilo que você realmente se destaca dentro do seu grupo, lembrando-se de que assim aumenta o risco de se tornar prepotente ao estilo do ditado em terra de cego quem tem um olho é rei, pois ao mudar de cenário seus pontos fortes podem perder destaque, especialmente se nele as pessoas possuírem ambos os olhos.
Para não correr esse risco também compare seus pontos fortes com alguém que seja uma referencia neste quesito, pode ser até um personagem fictício. Com isso você poderá determinar seu grau de excelência e sempre se manter em eterno desenvolvimento.
Seja mais do que um apaixonado pelo o que faz. Acima de tudo AME o que faz isso aumenta exponencialmente o seu grau de excelência, aumentando assim a sua chance de ser bem sucedido.
Esta paixão será o combustível que alimentará a sua motivação tornando-o mais persistente, flexível e focado.
Utilize essa energia inicial para sair da inércia, isto é comece pelo mais difícil, justamente aquilo que você não quer fazer, mas é essencial que seja feito como, por exemplo, relatórios, atividades burocráticas, ligações para clientes difíceis. Crie uma rotina rígida para realizar estas tarefas repetitivas de tal modo que depois de um tempo você não terá mais que dispender energia pensando nisso.
Faça isso de preferência pela manhã antes de qualquer coisa, pois é neste horário que a maioria das pessoas tem mais paciência, energia e menos distrações.
Adote a filosofia P.Q. L (poxa que legal) sempre esteja preparado para fazer o melhor e encantar as pessoas ao seu redor. Por isso pratique muito, muito mesmo. Siga a regra das 10 mil horas.
Cientificamente foi provado que uma pessoa somente atinge a excelência depois de mais 10 mil horas de pratica, ou seja, dedicando-se 8h/dia por 3,5 anos; 3h/dia por 10 anos ou optando pela versão light 27 anos dedicando apenas 1h por dia. Decida-se. Isso tem a ver com a mielinização dos axônios neuronais (em outro artigo prometo me aprofundar nesta questão).
Relaxe! Essa historia de trabalhar sem parar é perigosa para o aprendizado, pois corre-se o risco de saturar o cérebro de informações sem permitir que tenha o tempo suficiente para incorporar e digerir os aprendizados. Alem disso pesquisas comprovam que o lado diretito do cérebro, aquele responsável pelos nossos “insights” somente se manifesta quando estamos descansados. Resumindo relaxar aumenta nosso aprendizado e por consequência nosso grau de excelência.
Então mergulhe de cabeça e lembre-se que o sucesso é construído enquanto os outros estão dormindo... E você acordado e praticando é claro.
 Suce$$o
http://www.qualidadebrasil.com.br/

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Adeus, Zona de Conforto!

Uma boa parte das pessoas que conheço tem um desejo profundo, por vezes secreto, de empreender, trabalhar por conta própria, ser dona do próprio nariz.

A maioria sonha em ganhar milhões de reais, criar algo de valor, tornar-se independente financeiramente.


Empreender é uma virtude que não dá em árvores. Qualquer ideia precisa ser cultivada, regada e admirada com paciência para ser colhida no tempo certo e é justamente esse tempo que a maioria não consegue administrar.
O mundo moderno é imediatista, tudo é para ontem, o maior lucro possível hoje, no dia seguinte, no mês seguinte e, por conta disso, o processo de maturação da ideia acaba se perdendo, pois as regras básicas da administração são atropeladas.
Muitas pessoas querem empreender, mas falta-lhes coragem para quebrar o modelo mental adotado desde o dia em que decidiram trabalhar como empregados, o que torna ainda mais difícil a ruptura. Não foi diferente comigo, é um processo longo e doloroso.
É preciso ter coragem para deixar as benesses do vínculo empregatício: salário fixo, plano de saúde, décimo terceiro, vale-refeição, carros, bônus etc. O feitiço das organizações é imenso e a maioria não sabe como lidar com isso. A zona de conforto não é uma opção, mas tende a ser inevitável.
O lado bom de tudo isso é que são poucas as pessoas que desistem de sonho depois de mergulhar de corpo e alma para torná-lo realidade. Da mesma forma que o emprego fixo vicia, trabalhar por conta própria também vicia e acaba se tornando um desafio, do qual não queremos abrir mão, seja por orgulho ou pela própria vontade de prosperar.
Seja qual for o seu negócio, ele vai exigir uma estratégia de concepção, amadurecimento e consolidação em determinado período de tempo. Lembre-se: o tempo não dá saltos, então, é necessário paciência para cumprir cada etapa da melhor maneira possível.
A fase da CONCEPÇÃO está dividida em duas etapas:
  • 1) Objetivo claro: em que negócio (segmento) você está, o que você realmente vende (produto), qual é o seu público-alvo? 
  • 2) Obstáculos a serem superados: capital de investimento e capital de giro, local, equipe, tudo isso suportado por um bom plano de negócio.
A fase do AMADURECIMENTO (maturação) está dividida em três etapas:
  • 1) Desastre: pouco menos da metade dos negócios prospera após o primeiro ano, portanto, se você estiver do lado mais feliz, não olhe para trás. 
  • 2)Reflexão: como você chegou até aqui, quais são os  pontos fortes e fracos, o que ainda falta para melhorar. 
  • 3)Dilema: não consigo evoluir, o negócio estagnou, não era isso que eu imaginava, eu coloquei muito dinheiro no negócio. 
  • 4) Decisão: persistir ou desistir? Vale a pena continuar investindo dinheiro em algo que não tem futuro?
A fase de CONSOLIDAÇÃO é mais simples. Se você conseguiu resistiu a todas as tentações e superar todos os obstáculos, é hora de pensar no crescimento e na maneira de tornar uma referência no mercado para nunca mais perder a posição que você conquistou.
O mercado é cruel, quando você pensa que está bem, o concorrente copia descaradamente e aperfeiçoa o que você levou anos para consolidar, mas isso faz parte do seu processo de amadurecimento e da sua liberdade. Não existe nada mais degradante do que ser escravo da zona de conforto proporcionada por um trabalho que não faz o ser humano evoluir.
Pense nisso e empreenda mais e melhor!
Fonte: Jerônimo Mendes  - http://www.qualidadebrasil.com.br/

terça-feira, 24 de junho de 2014

Os 6 Ingredientes de uma Pessoa Carismática

Algumas pessoas têm carisma natural. Elas chegam aos lugares e as pessoas as parecebem de cara. Elas conseguem inspirar e passar confiança à equipe, parceiros e chefes. As pessoas as escutam.
A escritora de negócios Gwen Moren publicou recentemente um artigo na Fast Company sobre isso. “Todos têm uma definição diferente do que é carisma, mas pode ser interpretado tanto como a qualidade que fazem as pessoas fazerem o que você quer que elas façam, assim como pode ser o que faz as pessoas se perguntarem quem é a pessoa entrando na sala", diz Gwen.
Mas carisma não é um dom secreto que nasce com você. Gwen, então, criou seis áreas chaves para serem trabalhadas e, assim, ajudar no seu magnetismo pessoal.

1 - Poder

Poder não está ligado ao cargo profissional. Poder é, na verdade, uma combinação de confiança, linguagem corporal, expressões faciais e voz.
"Isso é como as pessoas te percebem. Pessoas carismáticas nem sempre são aquelas com vozes doces e risadas boas. Elas possuem foco e são confortáveis consigo mesmas. Sabem como se portar em todas as situações e como usar suas vozes, seja para confortar, seja para liderar", diz Gwen. "Uma dica para isso, é sempre ficar focado no que está fazendo agora durante uma conversa. Ao pensar no que vem depois, você pode se distrair e fazer linguagens corporais ou expressões que demonstrem isso", completa.

2 - Persuasão

"Pessoas com magnetismo pessoal são capazes de atrair outros para sua maneira de pensar, e isso é extremamente importante para possuir carisma, pois nenhuma ideia, não importa o quão brilhante, chega a algum lugar caso não seja tomada por pessoas diferentes. É necessário ter entusiasmo sobre o que você está fazendo ou falando, demonstrando-se digno de confiança e bem informado sobre o assunto", explica Gwen.

3 - Imagem

Segundo Gwen, "são necessários apenas algumas frações de segundo para pessoas formarem opinião sobre você, e, a partir do momento que ela é formada, é difícil mudar". Um recente estudo da Universidade de Glasgow e da Universidade de Princeton descobriu que as pessoas percebem você em menos de um segundo.
"Então, preste atenção em como você se apresenta. Não é necessário andar de terno e gravata a todo instante, mas tenha certeza que como você está vestido e como você se porta reflete quem você é, o ambiente em que você está e aonde você quer chegar", diz a escritora.

4 - Habilidades interpessoais

"Pessoas carismáticas são boas em ouvir e se comunicar com os outros, e isso vai bem além de só falar. É necessário entender e respeitar o espaço e o tempo dos outros. Eles não falam além do necessário com quem não gosta de ouvir muito e eles não se atrasam com quem não tolera atrasos. Ou seja, saber interagir sem deixar as pessoas desconfortáveis", diz Gwen. "Conforto é a palavra chave para esse ponto. As pessoas irão procurar isso em seu olhar quando te encararem e querem ouvir isso no tom da sua voz", completa.

5 - Adaptabilidade

A habilidade de tratar os outros da forma que eles querem ser tratados, não importa como você se sinta sobre isso, é adaptabilidade. Isto é, abraçar diversidade e todas as suas formas, entendendo que cada indivíduo é diferente. Quando o cenário muda, pessoas carismáticas fazem um esforço para entender e ajustar sua forma de se relacionar.

6 - Visão

"Pessoas carismáticas tem um plano ou mensagem sobre o que as entusiasma, e elas são capazes de passar essa visão e paixão para outros. Quais suas ideias? O que te anima? Para ser mais carismático, trabalhe em projetar esta crença e esse compromisso (e como vai beneficiar seu público) em como você fala e se relaciona com os outros", explica Gwen.
Não importa o objetivo, mas seguindo todas essas dicas, será possível influenciar as pessoas a mudar de ideias e tomar ações baseadas em tudo o que você acredita.
Por: Redação - http://www.administradores.com.br/

segunda-feira, 23 de junho de 2014

Consertar o mundo

Olá amigos, aqui está uma breve e bastante conhecida história sobre como consertar o mundo. Espero que vocês gostem.

Um homem muito preocupado com os problemas do mundo passava dias em seu escritório, tentando encontrar meios de consertar o planeta.
Certo dia, seu filho de 7 anos entrou em seu escritório decidido a ajudá-lo.
O homem, nervoso pela interrupção, tentou fazer o filho brincar em outro lugar. Vendo que seria impossível removê-lo, procurou algo que pudesse distrair a criança. De repente, deparou-se com o mapa do mundo.
Estava ali o que procurava. Recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita adesiva entregou ao filho dizendo:
- Você gosta de quebra-cabeça? Então vou lhe dar o mundo para consertar. Aqui está ele todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho! Mas faça tudo sozinho!
Pelos seus cálculos, a criança levaria dias para recompor o mapa.
Passados alguns minutos, ouviu o filho chamando-o calmamente:
- Pai,consegui! Terminei tudo!
A princípio, o pai não deucréditoao chamado do filho. Seria impossível uma criança de 7 anos conseguir recompor um mapa que jamais tinha visto.
Relutante, o homem levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança. Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares. Ficou boquiaberto. Pensou: como seria possível? Como o menino de 7 anos foi capaz de tal feito? E resolveu perguntar:
- Meu filho, você não sabia como era o mundo, como conseguiu montá-lo completamente?
E a criança respondeu:
- Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel do jornal para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. Quando você me deu o mundo para consertar, eu tentei, mas não consegui.
Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem do outro lado da folha, pois o homem eu sabia como era. Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo!
Moral da história: o primeiro passo para consertar o mundo é consertar os seres humanos. Só seres humanos melhores poderão fazer do mundo um lugar melhor.
Autor desconhecido
Um grande abraço a todos, do palestrante Carlos Hilsdorf.
O homem, nervoso pela interrupção, tentou fazer o filho brincar em outro lugar. Vendo que seria impossível removê-lo, procurou algo que pudesse distrair a criança. De repente, deparou-se com o mapa do mundo.

Estava ali o que procurava. Recortou o mapa em vários pedaços e, junto com um rolo de fita adesiva entregou ao filho dizendo:

- Você gosta de quebra-cabeça? Então vou lhe dar o mundo para consertar. Aqui está ele todo quebrado. Veja se consegue consertá-lo bem direitinho! Mas faça tudo sozinho!

Pelos seus cálculos, a criança levaria dias para recompor o mapa.

Passados alguns minutos, ouviu o filho chamando-o calmamente:

- Pai, consegui! Terminei tudo!

A princípio, o pai não deu crédito ao chamado do filho. Seria impossível uma criança de 7 anos conseguir recompor um mapa que jamais tinha visto.

Relutante, o homem levantou os olhos de suas anotações, certo de que veria um trabalho digno de uma criança. Para sua surpresa, o mapa estava completo. Todos os pedaços haviam sido colocados nos devidos lugares. Ficou boquiaberto. Pensou: como seria possível? Como o menino de 7 anos foi capaz de tal feito? E resolveu perguntar:

- Meu filho, você não sabia como era o mundo, como conseguiu montá-lo completamente?
E a criança respondeu:

  • Pai, eu não sabia como era o mundo, mas quando você tirou o papel do jornal para recortar, eu vi que do outro lado havia a figura de um homem. 
  • Quando você me deu o mundo para consertar, eu tentei, mas não consegui.
  • Foi aí que me lembrei do homem, virei os recortes e comecei a consertar o homem do outro lado da folha, pois o homem eu sabia como era. 
  • Quando consegui consertar o homem, virei a folha e vi que havia consertado o mundo!

Moral da história: o primeiro passo para consertar o mundo é consertar os seres humanos. Só seres humanos melhores poderão fazer do mundo um lugar melhor.

Autor desconhecido


Qualidade Brasil - O seu portal brasileiro de Gestão 

sexta-feira, 20 de junho de 2014

Vantagens Competitivas - Consiga Identificá-las na sua Empresa


Muito se fala e se escreve a respeito das vantagens competitivas ou de diferencial competitivo das empresas. 

Vantagem competitiva é a capacidade de uma empresa agregar maior valor do que outras empresas no mesmo produto. Uma determinada empresa pode ter vantagem competitiva, ou não, sobre outra empresa que atue no mesmo mercado ou mesmo setor de negócios. 

Um exemplo de vantagem competitiva pode ser a ausência de concorrentes. 

A vantagem competitiva procura isolar as características de oportunidades únicas de produtos-mercados que darão à empresa forte posição competitiva. Ela deve ser necessariamente apropriável, ou seja, deve ser capaz de reter para a empresa o valor agregado que criou. Uma vantagem competitiva forma a base para o sucesso corporativo. 

Fica evidente que o rumo mais adequado para a futura estratégia empresarial será aquele em que a empresa possa distinguir-se favoravelmente de suas concorrentes. 

A busca da vantagem competitiva incentiva o desenvolvimento de competências distintas e direciona para otimização de custos de distribuição ou diferenciação de maior valor para o consumidor. 

Os indicadores de vantagem de posição são as habilidades de altas influências e recursos que fazem o máximo para reduzir custos ou criar valor ao cliente. Cada atividade na cadeia de valor de uma empresa é influenciada pelo efeito combinado destes indicadores (Porter 1985). 

Mas você, pequeno empresário, consegue identificar na sua empresa quais são essas vantagens e está usando-as para melhorar seu negócio, para ter um diferencial de vantagem em relação aos seus concorrentes ou para se manter no mercado? 

Vamos citar algumas vantagens que muitas empresas usam, independente de seu tamanho, que poderão ser de ajuda: 

- A sua Marca é conhecida, você a destaca nos rótulos, nas embalagens, nas notas fiscais, nas correspondências internas e externas, nos envelopes, nos e-mails, nos veículos da empresa, e ela está devidamente registrada e nas categorias corretas. 

- A Localização de sua empresa favorece a distribuição de seus produtos tanto por rodovias, como por portos, como por aeroportos, ou avenidas; favorece também o acesso de seus funcionários e dá a devida segurança. 

- Seu Preço é o que os clientes desejam pagar ou é uma limitante para que você possa ampliar seu negócio. 

- A Qualidade de seus produtos é reconhecida pelos clientes e consumidores ou é considerada “segunda linha” ou “carregação”. 

- A Força de Venda é dedicada, conhece bem o produto e o mercado, está motivada e treinada, conhece as necessidades dos clientes ou é apenas “tirador de pedidos”. 

- Os Pontos de Vendas são suficientes para atender o maior número de clientes, estão bem localizados, organizados e bem supridos. 

- A sua Assistência Técnica é suficientemente ágil e poderá ser encontrada em todo território em que se vende o produto. 

- A Garantia que cobre seus produtos é um atrativo ou está abaixo do que seus concorrentes oferecem. 

- A rapidez na Entrega faz de sua empresa a primeira opção dos seus clientes e consumidores. 

- Seu SAC (Serviço de Atendimento ao Cliente) está sempre disponível, seus atendentes são claros, objetivos e preparados para responder e solucionar problemas. 

- Sua Rede de Distribuição dá a devida atenção aos seus produtos ou coloca outros concorrentes como prioritários. 

- Sua empresa tem um Plano de Negócios para monitorar todo o trajeto, rentabilidade e viabilidade de seu produto. 

- Tem também um Planejamento Estratégico, por mais simples que seja, para você corrigir rapidamente algo que não esteja ocorrendo como o planejado. 

- Seus Funcionários estão Motivados e faz da empresa o seu próprio negócio, isto é, vestem a camisa, o boné e tudo que for necessário. 

Vantagem Competitiva Sustentável é a capacidade de se manter a Vantagem Competitiva ao longo do tempo, a despeito de entradas no mercado ou de tentativas de imitação por concorrentes. 

A melhor medida da sustentabilidade de uma vantagem competitiva é por quanto tempo uma empresa conseguirá desfrutar de uma lucratividade acima da média do mercado, ano a ano. 

A estratégia competitiva preocupa-se com a posição da empresa em relação aos seus concorrentes no mercado escolhido; ela é o casamento das capacidades internas com os relacionamentos externos. 

Uma estratégia bem sucedida é baseada em fazer bem o que os concorrentes não podem, ou não podem prontamente, mas não em fazer o que eles podem ou já fizeram. 

Cláudio Raza - http://www.varejista.com.br/

quarta-feira, 18 de junho de 2014

A Responsabilidade do Empresário Perante a Sociedade

Antes de pensarmos em qualquer responsabilidade do empresário, devemos compreender o que é ser empresário no Brasil..
Segundo a lei, o código Civil assim preceitua:
LIVRO II
Do Direito de Empresa
TÍTULO I
Do Empresário
CAPÍTULO I
Da Caracterização e da Inscrição
Art. 966. Considera-se empresário quem exerce profissionalmente atividade econômica organizada para a produção ou a circulação de bens ou de serviços.
Parágrafo único. Não se considera empresário quem exerce profissão intelectual, de natureza científica, literária ou artística, ainda com o concurso de auxiliares ou colaboradores, salvo se o exercício da profissão constituir elemento de empresa.
Como bem podemos perceber, temos um livro, um título e um capítulo dedicado a ele.
Na ótica legal, temos como empresário aquele que tem lucro, para produzir bens ou serviços ou ainda prestar serviços.
Tal assertiva é a baseada em lei.
Em fato, vimos no Brasil uma tentativa enorme de empresários baseados em um empreendedorismo muitas vezes louco ou irreal, que faz com que inúmeras empresas não durem mais de 1 ano abertas.
O fato é que precisamos muito do empresário, precisamos muito do seu empreendedorismo, contudo, precisamos igualmente de planejamento, estrutura, gestão, tecnologia, apoio governamental e um mercado favorável.
Analisando alguns dos prismas que formam o empresário, temos que o empreendedorismo é essencial.
Aquela coceira que dá na pessoa ao ver algo que poderia ser melhor. Aquela vontade de mudar o mundo com um serviço/produto novo. Aquele desejo de ter pessoas trabalhando pra ele e não apenas ele trabalhando para outros. Aquele desejo de ser parte de uma sociedade mais justa e fraterna, com apoio do seu trabalho.
E quando isto ocorre, a pessoa tem uma ideia, uma vontade, um desejo incontrolável de mudar a sua vida, junta um valor (muitas vezes pequeno, sem qualquer quantificação com a realidade), um PDV (programa de demissão voluntária) e abre o seu próprio negócio, se tornando um empresário.
O sonho de muitos brasileiros e que alguns tornam realidade.
Parece interessante ser dono do próprio negócio, não ter chefe, acordar a hora que bem entender, trabalhar quando quer… Parece que é um sonho mesmo.
Contudo, a realidade é bem diferente.
O empresário trabalha muito mais que qualquer funcionário. O empresário quase nunca tem finais de semana e não tem a menor ideia do que é hora extra. O empresário tem para si a responsabilidade de tudo na empresa e não apenas dos salários no final do mês.
Acha estranho? Nada parecido com o sonho, não é mesmo?
Para compreendermos a responsabilidade do empresário perante a sociedade temos que compreender suas responsabilidades em primeiro lugar e depois o seu papel social.
As responsabilidades do empresário não são poucas. Está no empresário as tarefas que envolvem a manutenção do negócio, tais como pagar impostos, funcionários, pensar em férias, 13 salário, horas extras, produtividade, controlar pessoas, entre outras. Além disto, deve estar atrelado as novidades do mercado, como melhorar o seu produto/serviço, compreender e lidar com todos os tipos de pessoas (funcionários, clientes, fornecedores) e assim vai.
E alguns ainda dizem que ser empresário é moleza. Moleza é fazer apenas o seu trabalho e ter todo final de mês o salario na conta. Isto sim é fácil.
E quando o empresário consegue equilibrar estas contas loucas de pessoas, mercado, dinheiro e sucesso, inicia mais um tipo de responsabilidade em suas costas: A social.
Atualmente, a legislação tem se moldado a cobrar do empresário como sua responsabilidade as questões sociais.
Temos visto amplamente este fato quando uma empresa, ao ver o prejuízo, decide demitir 100 ou 1000 funcionários, o Ministério Público do Trabalho ou o próprio Estado através de governadores ou prefeitos intervém dentro da empresa tentando minimizar as demissões ou fazer com que sejam feitas de forma agendada e não abrupta.
Para muitos uma intervenção desnecessária, para outros um aplauso ao Estado e seu poder controlador.
Um interessante pensamento do economista Adrian Rogers escrito em 1931:
É impossível levar o pobre à prosperidade através de legislações que punem os ricos pela prosperidade. Para cada pessoa que recebe sem trabalhar, outra pessoa deve trabalhar sem receber. O governo não pode dar para alguém aquilo que não tira de outro alguém. Quando metade da população entende a idéia de que não precisa trabalhar, pois a outra metade da população irá sustentá-la, e quando esta outra metade entende que não vale mais a pena trabalhar para sustentar a primeira metade, assim chegamos ao começo do fim de uma nação.
É impossível multiplicar riqueza dividindo-a.”
Quase um século depois ainda não aprendemos que temos que parar de punir quem realmente produz e começar a pensar em como podemos auxiliar a produzirmos mais e mais.
Não será através de quem não trabalha que evoluiremos socialmente. Será através do empresário e do seu suor, aliado ao de quem trabalha, que o país irá se desenvolver.
E diante desta premissa, temos que ter leis que coíbam as atrocidades ou aberrações, mas que interfiram minimamente nos negócios. Toda vez que o Estado mete sua colher no pirão, alguém ficará com fome.
Sei que muitos defenderão um Estado mais atuante e forte em relação aos negócios, contudo, os exemplos que temos são negativos neste sentido.
No Brasil, o Estado cobra bem, ganha muito em impostos de todos os tipos possíveis, tem leis severas para os empresários e nulas para os governantes e mesmo assim, não devolve nem 1% de volta aos cidadãos o que arrecada. Se um empresário não recolher adequadamente o Fundo de Garantia, por exemplo, além do processo de cobrança, com multas pesadas, pode até ser preso. Enquanto isto, um governante descaradamente que pega o valor dos impostos para uso próprio, caviar, lagostas e mansões, circula livremente, afinal, a lei é feita para quem trabalha.
Ao meu ver, ser empresário no Brasil é ser mágico: Com pouco fazer muito e conseguir resultados eficientes com uma carga tributária e de funcionários absurda, diante do retorno que temos socialmente. E não me venham com estudos comparativos, uma vez que em outros países se paga altos impostos, mas se tem retorno do Estado, algo que no Brasil é ineficiente.
Qual a responsabilidade do empresário perante a sociedade?
Enorme. Gigante.
E da sociedade perante o empresário?
Deveria ser na mesma ordem. Afinal, quem movimenta a economia com empreendedorismo e ideias/negócios/modelos novos é o empresário e dele é que toda a sociedade se beneficia.
#Ficaareflexão
Fonte: Gustavo Rocha - http://www.qualidadebrasil.com.br/

terça-feira, 17 de junho de 2014

Frases de Administração

  • “Uma empresa sem estratégia faz qualquer negócio.” (Michael Porter)
  • “Liderar é estabelecer uma sociedade entre o líder e sua gente.” (Ken Blanchard)
  • “Para ter um negócio de sucesso, alguém, algum dia, teve que tomar uma atitude de coragem.” (Peter Drucker)
  • “No mundo dos negócios nunca se obtém aquilo que se quer, mas sim aquilo que se negocia.” (Chester Karrass)
  • “Negócios – A arte de tirar dinheiro dos bolsos dos outros sem usar violência.” (Max Amsterdam)
  • “A qualidade é recordada muito depois de o preço ter sido esquecido.” (Autor desconhecido)
  • “As companhias prestam muita atenção ao custo de fazer alguma coisa. Deviam preocupar-se mais com os custos de não fazer nada.” (Philip Kotler)
  • “As únicas grandes companhias que conseguirão ter êxito são aquelas que considerarem os seus produtos obsoletos antes que os outros o façam.” (Bill Gates)
  • “Seus mais insatisfeitos clientes são sua maior fonte de aprendizado.” (Bill Gates)
  • “Descobrir o que o consumidor quer, é fácil. Fazer algo em relação a isso, é que já não é assim tão simples.” (Liz Wetzel)
  • “Deve-se comprar quando os outros querem vender.” (Autor desconhecido)
  • “É mais fácil ser o primeiro do que continuar a ser o primeiro.” (Bill Gates)
  • “Em qualquer corrida ao ouro, aqueles que mais ganham são sempre os que vendem as picaretas.” (Autor desconhecido)
  • “Existem dois tipos de riscos: Aqueles que não podemos nos dar ao luxo de correr e aqueles que não podemos nos dar ao luxo de não correr.” (Peter Drucker)
  • “Há três tipos de empresas: Empresas que tentam levar os seus clientes onde eles não querem ir; empresas que ouvem os seus clientes e depois respondem às suas necessidades; e empresas que levam os seus clientes aonde eles ainda não sabem que querem ir.” (Gary Hamel)
  • “Os elefantes demoram a se adaptar, já as baratas sobrevivem em qualquer ambiente.” (Peter Drucker)
  • “Não há nada de errado em correr riscos; desde que não se arrisque tudo.” (George Soros)
  • “Não podemos prever o futuro, mas podemos criá-lo.” (Paul Pilzer)
  • “Numa época de crise em que todos choram, há sempre alguém que se lembra de fabricar lenços.” (Autor desconhecido)
  • “O melhor cliente é aquele que já temos.” (Autor desconhecido)
  • “Se não tomares conta do teu cliente, alguém tomará.” (Autor desconhecido)
  • “Tempo de decisão poupado, é tempo de ação ganho.” (Gerald Michaelson)
  • “As riquezas do mundo pertencem efetivamente aos que têm a audácia de se declarar seus possuidores.” (Georges Duhamel)
  • “No mundo dos negócios todos são pagos em duas moedas: dinheiro e experiência. Agarre a experiência primeiro, o dinheiro virá depois.” (Harold Geneen)
  • “O homem nunca deve se por em posição em que perca o que não pode se dar ao luxo de perder.” (Ernest Hemingway)
  • “Qualquer atividade torna-se criativa e prazerosa quando quem a pratica se interessa por fazê-la bem feita, ou até melhor.” (John Updike)
  • “Falência é um procedimento legal que permite pôr o dinheiro nos bolsos das calças e entregar o paletó aos credores.” (Sam Goldwin)
  • “O segredo de meu sucesso é pagar como se fosse perdulário e comprar como se estivesse quebrado.” (Henry Ford)
  • “A recompensa nos negócios vai para o homem que faz algo com uma idéia.” (William Benton)
  • “Não é o empregador que paga os salários. Os empregadores só manipulam o dinheiro. É o freguês que paga os salários.” (Henry Ford)
  • “Há uma regra para industriais que é: Fazer a mercadoria de melhor qualidade possível, no menor custo possível, pagando o mais alto salário possível.” (Henry Ford)
  • “Um planejamento cuidadoso é capaz de vencer quase todas as dificuldades.” (Amiano Marcelino)-
  • “A única coisa ruim do planejamento é que as coisas nunca ocorrem como foram planejadas.” (Lúcio Costa)
  • “Não se pode planejar o futuro pelo passado.” (Edmund Burke)
  • “É importante ter metas, mas também é fundamental planejar cuidadosamente cada passo para atingi-las.”(Bernardinho)
  • “A maioria das pessoas não planeja fracassar, fracassa por não planejar.” (John L. Beckley)
  • “Antes de começar, é preciso um plano, e depois de planejar, é preciso execução imediata.” (Sêneca)
  • “Planejar é decidir de antemão qual é, e como será a sua vitória.” (Rhandy di Stefano)
  • “Se você falha em planejar, está planejando falhar.” (Lair Ribeiro)
  • “Administrar é usar recursos escassos e torná-los suficientes para atingir um objetivo.” ( Eliane de Oliveira )
  • “Ser competente é acertar um alvo que ninguém acertou, ser administrador é acertar um alvo que ninguém viu.”(Erlandson F. A. Andrade)
  • “O poder migrou das mãos das empresas para as mãos dos clientes”. (Autor desconhecido)
  • “Nenhuma empresa é melhor do que o seu administrador permite.” (Peter Drucker)
  • “Os resultados provêm do aproveitamento das oportunidades e não da solução dos problemas.” (Peter Drucker)
  • “A solução de problemas só restaura a normalidade. As oportunidades significam explorar novos caminhos”. (Peter Drucker)
  • “Uma organização que visa o lucro é, não apenas falsa, mas também irrelevante. O lucro não é a causa da empresa, mas sua validação”. (Peter Drucker)
  • “Todas as inovações eficazes são surpreendentemente simples. Na verdade, maior elogio que uma inovação pode receber é haver quem diga: Isto é óbvio! Por que não pensei nisso antes?” (Peter Drucker)
  • “Conquistar clientes “jogando os preços lá embaixo”, tem um efeito bumerangue: a própria empresa acabará sendo a vítima”. (Peter Drucker)
  • “Não é a empresa que define o mercado. É o cliente.” (Peter Drucker)
  • “A inovação sempre significa um risco. Mas ir ao supermercado de carro para comprar pão também é arriscado. Qualquer atividade econômica é de alto risco e não inovar é muito mais arriscado do que construir o futuro.” (Peter Drucker)
  • “A melhor maneira de predizer o futuro é criá-lo”. (Peter Drucker)
  • “O conhecimento não está vinculado a país algum. É transnacional, é portátil. Pode ser criado em qualquer lugar, de forma rápida e barata. Ele é, por definição, mutável”. (Peter Drucker)
  • “O planejamento não é uma tentativa de predizer o que vai acontecer. O planejamento é um instrumento para raciocinar agora, sobre que trabalhos e ações serão necessários hoje, para merecermos um futuro. O produto final do planejamento não é a informação: é sempre o trabalho.” (Autor desconhecido)
  • “Decisões empresariais sempre comprometem os recursos do presente com as incertezas do futuro”. (Peter Drucker)
  • “Não ser diferente é potencialmente suicida”.  (Willian ‘Bill’ Bernbach)
  • “Empreender é como saltar de um penhasco e construir o avião durante a queda“ – (Reid Hoffman – fundador do LinkedIn)
  • “A primeira regra de investimento é não perca dinheiro; a segunda regra é não esquecer a primeira”. (Warren Buffet)
  • “Um negócio que não gera nada a não ser dinheiro é um negócio pobre”. (Henry Ford)
  • “Uma marca é simplesmente uma coleção de percepções na mente do consumidor”. (Paul Feldwick)
  • “Não tenha medo de dar um grande passo. Não se atravessa um abismo com 2 passos pequenos”. (David Lloyd George)
  • “Por mais brilhante que a estratégia seja, você deve sempre olhar para os resultados”. (Winston Churchill)
  • “O que é uma boa estratégia para o líder é uma má estratégia para segundo colocado e vice-versa. (Jack Trout)
  • “Fracasso na publicidade vem, muitas vezes, da falta da habilidade básica de saber escolher as palavras certas”. (Alex Bogusky)
  • “Sucesso é 99% fracasso”. (Soichiro Honda)

Copiado: http://www.sobreadministracao.com/