QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

quarta-feira, 31 de março de 2010

Esta charge do Clayton foi feita originalmente para o O POVO

Como procurar emprego estando empregado

Especialista dá dicas para evitar deslizes no trabalho atual e em sua reputação.

Uma colocação melhor que a atual, uma nova oportunidade na carreira sonhada, mas não exercida, um salário maior, um novo desafio. Muitas são as razões para que o profissional busque uma nova colocação no mercado de trabalho. Como fazer isso estando empregado? Quais as melhores maneiras de prospectar o mercado sem infringir regras de etiqueta com o atual empregador?

Segundo Ivan Witt, head hunter e sócio da Steer Recursos Humanos, consultoria especializada na seleção de profissionais para cargos de alta qualificação e aconselhamento profissional, quem está nessa situação precisa tomar cuidado, ser discreto, ou arranhará sua reputação. "Recebo currículos ou questionamentos enviados de endereços corporativos. É no mínimo deselegante, e mostra que o profissional não presta atenção aos detalhes, um ponto contra antes mesmo de estabelecer um contato com a consultoria. Espera-se que esses profissionais atentem para essa situação e cuidem de sua imagem corporativa, comenta Ivan"

A frase "a melhor hora de procurar emprego é quando se está empregado" é muito utilizada. No entanto Ivan ressalta que os headhunters aprofundam suas análises e prestam atenção nos porquês da mudança. "Somos habituados a buscar os melhores talentos nas melhores empresas. No entanto não desprezamos uma indicação ou um candidato interessante que se apresente por conta própria. O mercado é muito grande e dinâmico e é impossível conhecer todo mundo". Por isso é legítimo prospectar.

Nesses casos é importante que o profissional passe uma imagem positiva desde o primeiro contato. A seguir algumas sugestões de como fazer a aproximação de uma maneira elegante.
• Ética - Jamais envie currículos e faça contatos visando entrevistas utilizando recursos da empresa. Use sempre seu e-mail pessoal e seu celular, de preferência em intervalos, horário de almoço ou depois do expediente. Saiba que a maioria das corporações monitora as contas de email, e isso é legalmente aceitável
• Discrição - Não comente com ninguém que está buscando outras oportunidades. Trate disso com total confidencialidade.
• Critério - Ao enviar seu currículo e carta de apresentação a uma consultoria, certifique-se da seriedade e do método de trabalho. Infelizmente existem vários casos de currículos enviados ao atual empregador
• Respeito a horários - Busque marcar entrevistas sempre fora do horário do expediente. Consultores e headhunters entendem o porque dessa escolha. Nunca deixe de comparecer a uma entrevista sem avisar com bastante antecedência e contemple possíveis imprevistos evitando assim atrasos
• Cuidados extras - Pela pressão dos compromissos corporativos, conversas com possíveis empregadores ou headhunters podem acontecer em almoços ou jantares em restaurantes. A chance de ser visto por um colega ou conhecido existe, e aí a confidencialidade do processo fica comprometida. Fique atento e procure um lugar discreto e afastado do seu cotidiano.

http://www.administradores.com.br/informe-se/informativo/como-procurar-emprego-estando-empregado/31738/

terça-feira, 30 de março de 2010

A mensagem de hoje é:

A vida é curta,quebre as regras,perdoe rapidamente, beije lentamente,
ame verdadeiramente,ria sem controle ...
E nunca se arrependa de coisa alguma que te faz sorrir.

segunda-feira, 29 de março de 2010

Armando Nogueira - Vah com Deus...

"A tabelinha de Peleh e Tostao confirma a existência de Deus"

Armando Nogueira!

Vah com Deus mestre...Botafoguense....

Saiba como negar um pedido do seu chefe

Por Karla Santana Mamona, InfoMoney

Profissional, ao se deparar com algo que não o agrade ou que não concorde, deve procurar o chefe para pedir mais informações sobre a atividade, diz especialista

Ao longo da carreira, é comum que profissionais sejam surpreendidos pelos seus chefes para cumprir uma tarefa com a qual não concordam, seja na forma de executá-la, no prazo de entrega estabelecido ou, até mesmo, por considerá-la desagradável. Nesse momento, o que deve ser feito? Como escapar dessa "saia justa"?

Segundo o sócio diretor da Compassa Desenvolvimento Humano e Empresarial, Wilson Roberto Lourenço, o profissional, ao se deparar com algo que não o agrade ou que não concorde, deve procurar o chefe para pedir mais informações sobre a atividade, sugerir outra maneira de fazer, e expor sua opinião sobre o que foi pedido.

“É muito importante esse canal de comunicação. Mas isso depende da abertura que existe entre líder e liderado. Os profissionais têm de se colocar, emitir a sua opinião. Mas não é indicado que ele bata de frente com o chefe. A conversa sempre é o melhor caminho” disse.

Assertivo

Lourenço afirma ainda que a situação torna-se mais complicada se o chefe não está disponível para conversa ou se o profissional não tem o hábito de se posicionar em relação ao trabalho. “Ser assertivo no mercado de trabalho é fundamental”.

Mas, para emitir opiniões, os profissionais devem ter um bom relacionamento com o líder. Se a comunicação for um problema, o especialista aconselha que a pessoa busque conversar com os colegas que conseguem falar mais abertamente com o chefe para pedir dicas. Outra maneira é procurar o departamento de RH (Recursos Humanos).

“O RH não foi feito para ouvir reclamação. Ir conversar e não acrescentar nenhuma sugestão ao profissional daquela área não mudará a situação. O RH não resolverá seu problema, mas poderá apoiá-lo de outra maneira”, esclarece Lourenço.

Pedido anti-ético

A situação pode se agravar ainda mais quando o pedido feito pelo líder for considerado anti-ético pelo profissional.

“Quando envolve valores morais, a situação é extrema. Das duas uma: ou o profissional cumpre a tarefa e depois fica se questionando, se culpando e arrependido de ter feito, ou conversa com o chefe e avisa que não irá fazer porque considerada aquele pedido anti-ético”, afirma Lourenço.

Lourenço alerta ainda que, depois, a pessoa terá de arcar com as conseqüências, como uma demissão ou ser transferido de setor. “O profissional deve seguir seus valores. É a sua imagem e seu nome que podem ficar sujos no mercado de trabalho”, finaliza.

domingo, 28 de março de 2010

Estadio Castelao - São Luís Maranhão

Estádio João Castelo (Castelão) - São Luís Maranhão

O Estádio Castelão foi totalmente reformado, de acordo com os padrões exigidos pela Fifa.


Castelão foi concluído em 1982 e inaugurado no dia 1º de maio do mesmo ano, em um empate entre Maranhão e Sampaio Corrêa, em partida válida pelo Torneio do Trabalhador. 
O título da competição, o primeiro disputado no estádio, ficou com o Sampaio Corrêa. 
Quatro dias depois da inauguração, a Seleção brasileira venceu a seleção portuguesa por 3x1.
O recorde de lotação do estádio é de 98.720 pessoas em 24 de setembro de 1998, quando o Santos ganhou a partida contra o Sampaio Corrêa por 5x1. 
Este jogo da Copa CONMEBOL quebrou o recorde anterior que foi de 95.000 pessoas (Moto Club 3x1 Sampaio Corrêa, jogado em 1987).
O jogador que mais marcou gols no estádio Castelão foi o centroavante Bacabal, que anotou quase duzentas vezes no estádio.

[editar]
Seleção Brasileira

A Seleção brasileira de futebol jogou quatro vezes no Castelão. A primeira partida foi em 05 de maio de 1982, contra Portugal, com vitória brasileira por 3 a 1 (um dos gols marcado por Zico). Depois, em 1º de abril de 1986, a seleção brasileira jogou contra a seleção do Peru e venceu por 4 a 0. Em 23 de setembro 1998 jogou contra a antiga Iugoslavia e empatou por 1x1, com gol de falta de Marcelinho Carioca. A última partida ocorreu em 2001 contra a Venezuela, pela rodada final das eliminatórias da Copa do Mundo de 2002, quando o Brasil venceu a partida por 3x0 (com dois gols de Luisão e um de Rivaldo).


O Estádio Castelão foi totalmente reformado, de acordo com os padrões exigidos pela Fifa, incluindo obras na parte estrutural e elétrica, além de recuperação das vias de acesso, instalação de catracas eletrônicas e de câmeras de circuito fechado de TV, adaptação às pessoas com deficiência e moderno sistema de iluminação.
O primeiro jogo após a entrega do estádio está marcado para szta quarta-feira (12), entre as equipes do Sampaio Corrêa e Vilhena (de Rondônia), partida válida pelas oitavas de final da Série D do Campeonato Brasileiro.






Nomes
NomeEstádio Governador João Castelo
Características
LocalSão Luís, Maranhão
Gramado(110m x 75m)
Capacidade40.000 pessoas
Construção
Data1981
Inauguração
Data1º de maio de 1982
Recordes
Partida inauguralMaranhão 1x1 Sampaio Corrêa
Primeiro golEvandro (Maranhão)
Público recorde97.720 pessoas
Data recorde24 de setembro de 1998
Partida com mais públicoSampaio Corrêa 1x5Santos
Outras informações
ProprietárioGoverno Estadual doMaranhão
Mandante

Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre

sábado, 27 de março de 2010

ANGRAD - 1ª Reunião da Diretoria do Biênio 2010/2011


Por Thais Carreira (http://www.angrad.org.br/)

Nos dias 25 e 26 de Março, será realizada, nas dependências da Sede Nacional da ANGRAD no Rio de Janeiro, a primeira reunião da Diretoria do Biênio 2010/2011.

O Presidente da ANGRAD, Professor Mauro Kreuz e seus Conselhos Diretor e Fiscal estarão reunidos para discutir os princípios, a plataforma de gestão e o plano de ação para o Biênio, bem como, examinar uma série de aspectos de relevância institucional. Entre os tópicos da pauta está o XXI ENANGRAD. Serão dois dias de muito trabalho e de envolvimento coletivo.

Estarão presentes também os Professores Mário Moraes, Francisco Barone, Gildo Galindo, Antônio Athayde, Cláudia Stadtlober, Tânia Cunha, Vicente Nogueira, Jorge Henrique Cavalcante, Rogério Profeta, Andrea Minardi e José Coimbra.

A convite do Presidente, também estara presente o Ex-Presidente da ANGRAD e Coordenador do Conselho Consultivo, Professor Rui Otávio de Andrade

quarta-feira, 24 de março de 2010

Homenagem da FAMA e da Camara Municipal de Sao Luis

Hoje tive uma das maiores alegria da minha vida ao receber na Câmara Municipal de São Luís - Maranhão, uma Placa em Homenagem aos 10 Anos da Faculdade Maranhense - FAMA e  pelo reconhecimento ao trabalho que executei na IES, ao longo deste período.
Estou em Estado de Graça....e bastante orgulhoso de ter contribuído de alguma forma pelo sucesso da FAMA.


Vereador Ivaldo Rodrigues, Zenira Fiquene (FAMA), Vereador Joaquim Ramos e Jorge Cavalcante(FAMA)

O que faz o sucesso das redes de franquias?

HSM Online

Segundo Claudia, do Grupo Bittencourt, a resposta está na qualidade da gestão praticada pela franqueadora com o seu franqueado
A qualidade da gestão praticada pelas redes de franquias tem sido um dos pontos mais pesquisados e questionados pelos empreendedores antes da decisão de investimento em uma franquia de determinada marca. O assunto é um dos principais aspectos que determinam o sucesso das redes de negócios.

Por mais que o franqueado pesquise sobre a qualidade do suporte e dos serviços prestados pela franqueadora à rede e como é a gestão praticada pela franqueadora, ele só tem condições de avaliar de fato estes aspectos a partir do momento em que inicia a operação de sua unidade.
No primeiro momento, este ponto é pouco tangível, no entanto, cabe ao franqueador não descuidar do monitoramento frequente das novas unidades, e, desde o primeiro momento deixar claro ao franqueado o que ele vai ou não receber. Com isso, a chance de eliminar frustrações do franqueado por percepções e expectativas irreais são maiores.

Com relação a excelência da gestão ou do gerenciamento, o que acontece nas redes de franquia não é diferente do que acontece nos negócios de uma maneira geral. O que muda são as conseqüências geradas pela excelência ou pela falta dela em função da existência neste cenário da figura do franqueado. Este, de acordo com o nível de expectativas, tem comportamento totalmente distinto de um gerente de rede com operações próprias.

Ao fazer uma análise mais holística sobre a origem dos problemas gerados nas redes em função do modelo de gestão utilizado pelos franqueadores, chegamos a algumas conclusões. A primeira é que a maior parte dos franqueadores que existe no Brasil é constituída por pequenos e médios empresários e estima-se que um número significativo desses empreendedores não está totalmente estruturado em relação ao modelo organizacional; processos; sistema de informação; gestão e capacitação de pessoas; administração de custos e de fluxo de caixa; contabilidade gerencial; entre outros.
A cultura dessas empresas, algumas familiares, é trazida pelos seus fundadores, que ao longo do tempo tiveram que lutar pela sobrevivência da empresa e que aprenderam com os próprios erros.

Acontece também nestas empresas um fenômeno comum no meio dos negócios: a empresa cresce mais do que a capacidade estrutural pode suportar. Este é o momento em que os problemas começam a aparecer, frutos da dificuldade interna de gerenciamento, da pouca eficiência ou falta de controle do que envolve a operação do negócio (pessoas, custos e o relacionamento com o cliente). E isso não é algo que o empresário percebe e muda de um dia para o outro, é um processo que muitas vezes custa caro para a imagem e para os resultados da empresa.

Em muitas empresas este é o momento que o empresário também está investindo em tecnologia, estrutura física, ou pessoas e tem planos para expandir o negócio ao abrir novas unidades em outras regiões. Neste estágio de desenvolvimento muitos destes empresários vislumbram também a possibilidade de franquear o negócio, e iniciam um projeto de expansão motivados por pedidos de franquias de outros empreendedores, que procuram um negócio próprio.

É nesse ponto que a maioria dos problemas de gestão nas redes de franquia tem origem. O empresário e futuro gestor da rede ou está passando por um processo de reestruturação dos processos internos e de implantação de sistema de informação em sua base ou ainda não percebeu esta necessidade. Ele tem todo o know how de operação do negócio.
Ou seja, compra, fabrica e até efetua a venda, mas não tem domínio de quais processos devem ser implantados para gerenciar estas atividades de forma a manter o controle do negócio e gerar lucros cada vez maiores. Geralmente, o negócio dá resultados, porém existe pouca condição para que sejam feitas algumas análises como: curva de crescimento do negócio, evolução das despesas, margem de contribuição de cada produto, gastos com pessoal e benefícios, lucratividade etc.

Resumindo, o “faça o que eu digo e não o que faço” acaba acontecendo nas redes de franquias. A idéia de que, com a contratação de um kit de manuais e um contrato que regulamente a relação entre franqueador e franqueado tudo vai funcionar sem esforço da franqueadora não é uma realidade. A gestão nas redes de franquias deve começar a partir de uma estrutura interna na franqueadora com pessoas capacitadas e processos para acompanhar, monitorar e incrementar resultados nas franquias. Se a empresa franqueadora não tem esse processo internalizado em sua estrutura fica difícil “dar o testemunho”.

O esforço da franqueadora como primeiro passo para o sucesso da rede deve ter um foco maior na estruturação interna, e uma profunda avaliação do negócio como um todo, desde a estrutura organizacional, pessoas, processos e resultados, e como vai conceder o acesso a todo esse complexo sistema para o seu franqueado usar, obter sucesso e ser feliz com a franquia.

Para finalizar, a “franquia é a disseminação da inteligência empresarial”. Portanto, a recomendação para os futuros franqueadores é: avalie o nível inteligência do seu negócio e se ele pode atrair futuros franqueados para a sua rede.

Claudia Bittencourt - www.bittencourtconsultoria.com.br)

terça-feira, 23 de março de 2010

A origem dos nomes dos estados

Acre: vem de áquiri, touca de penas usada pelos índios munducurus

Alagoas
: o nome é derivado dos numerosos lagos e rios que caracterizam o litoral alagoano.

Amazonas: nome de mulheres guerreiras que teriam sido vistas pelo espanhol Orellana ao desbravar o rio. Para Lokotsch, vem de amasuru, que significa águias retumbantes.

Bahia: o nome foi dado pelos descobridores em função de sua grande enseada.

Ceará: vem de siará, canto da jandaia, uma espécie de papagaio.

Espírito Santo
: denominação dada pelo donatário Vasco Fernandes Coutinho que ali desembarcou em 1535, num domingo dedicado ao Espírito Santo

Goiás: do tupi, gwa ya, nome dos índios guaiás, gente semelhante, igual.

Maranhão: Do tupi, mba'ra, mar, e nã, corrente, rio que semelha o mar, primeiro nome dado ao rio Amazonas.

Mato Grosso
: o nome designa uma região com margens cobertas de espessas florestas, segundo antigos documentos.

Minas Gerais: o nome deve-se às muitas minas de ouro espalhadas por quase todo o estado.

Pará: do tupi, pa'ra, que significa mar, designação do braço direito do Amazonas, engrossado pelas águas do Tocantins.

Paraíba: do tupi, pa'ra, rio, e a'iba, ruim, impraticável.

Paraná: do guarani pa'ra, mar, e nã, semelhante, rio grande, semelhante ao mar.

Pernambuco: do tupi, para'nã, rio caudaloso, e pu'ka, gerúndio de pug., rebentar, estourar. Relativo ao furo ou entrada formado pela junção dos rios Beberibe e Capibaribe.

Piauí: do tupi, pi'au, piau, nome genérico de vários peixes nordestinos. Piauí é o rio dos piaus.

Rio de Janeiro: o nome deve-se a um equívoco: Martim Afonso de Souza descobriu a enseada a 1º de janeiro de 1532 e a confundiu com um grande rio.

Rio Grande do Norte
: derivado do rio Potengi, em oposição a algum rio pequeno, próximo, ou ao estado do Sul.

Rio Grande do Sul: vem do canal que liga a lagoa dos Patos ao oceano.

Rondônia
: o nome do estado é uma homenagem ao marechal Rondon.

Santa Catarina: nome dado por Francisco Dias Velho a uma igreja construída no local sob a invocação daquela santa.

São Paulo: denominação da igreja construída ali, pelos jesuítas, em 1554 e inaugurada a 25 de janeiro, dia da conversão do santo.

Sergipe: do tupi, si'ri ü pe, no rio dos siris, primitivo nome do rio junto à barra da capitania.

Tocantins
: nome de tribo indígena que habitou as margens do rio. É palavra tupi que significa bico de tucano.

http://oveneta.blogspot.com/

Frases e Pensamentos...

"EM CADA UM DE NÓS HÁ UM SEGREDO, UMA PAISAGEM INTERIOR COM PLANÍCIES INVIDÁVEIS,VALES DE SILÊNCIO E PARAÍSOS SECRETOS. "
(Saint Exupery)

SEM LENÇO E SEM DOCUMENTO

Adm. Wagner Siqueira
www.wagnersiqueira.com.br

No meio ainda da explosão da crise americana dos subprimes, enfim uma gota de orvalho no deserto dos desalentos: anuncia-se a recuperação da produção industrial, que pode significar o começo da cura, mas também pode representar apenas a melhoria que antecede a do coma. Teme-se a reedição, em nível econômico, da famosa expressão médica da “visitas da saúde”, que costuma anteceder à morte do moribundo.

Seja como for, o fato levanta uma questão essencial: pequena ou grande, qualquer empresa só pode enfrentar a crise ou sair dela recorrendo aos préstimos desse grande exorcizador de crises, infelizmente pouco aproveitado neste País, que é o administrador profissional. Aliás, já se tornou até lugar comum afirmar que o Brasil não é um país subdesenvolvido, mas subadministrado.

Em época de crise econômica é preciso reduzir custos -- e isso é com o administrador. É preciso racionalizar a produção e os estoques -- e isso é com o administrador. É preciso dinamizar as vendas para compensar o estreitamento do mercado com a obtenção de uma fatia maior – e isso é com o administrador. É preciso encontrar novas formas de otimização da produção, das vendas e dos lucros – e isso é com o administrador.

Não por acaso só estão conseguindo derrotar a crise as empresas que recorrem amplamente às mais modernas técnicas e métodos de Administração. Os outros têm que se resignar a “caminhar contra o vento, sem lenço e sem documento”. E quem caminha contra o vento anda como caranguejo – para trás.

segunda-feira, 22 de março de 2010

Dia Mundial da Agua

Planeta Água

Guilherme Arantes

Composição: Guilherme Arantes
Água que nasce na fonte
Serena do mundo
E que abre um
Profundo grotão
Água que faz inocente
Riacho e deságua
Na corrente do ribeirão...
Águas escuras dos rios
Que levam
A fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população...
Águas que caem das pedras
No véu das cascatas
Ronco de trovão
E depois dormem tranqüilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos...
Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d'água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão...
Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris
Sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas
Na inundação...
Águas que movem moinhos
São as mesmas águas
Que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra...
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água...

domingo, 21 de março de 2010

Igreja Matriz Sao Benedito - Pedreiras-Maranhao (Princesa do Mearim)

Igreja Matriz  Sao Benedito - Pedreiras-Maranhao (Princesa do Mearim)
























80% das Fotos postadas são de Autoria de Jorge Cavalcante (JORGENCA) (2012)

sábado, 20 de março de 2010

Nordestinês

Nordestino não fica solteiro, ele fica solto na bagaceira!
Nordestino não vai com sede ao pote, ele vai com a bexiga taboca!
Nordestino não vai embora, ele vai pegar o beco!
Nordestino não diz 'concordo com você', Ele diz: Né issssso, homi!!!!
Nordestino não conserta, ele imenda!
Nordestino quando se empolga, fica com a mulesta dos cachorros!
Nordestino não bate, ele 'senta-le' a mãozada!
Nordestino não sai pra farra... ele sai pro muído, pra bagaça!
Nordestino não bebe um drink, ele toma uma!
Nordestino não é sortudo, ele é cagado!
Nordestino não corre, ele dá uma carreira!
Nordestino não malha dos outros, ele manga!
Nordestino não conversa, ele resenha!
Nordestino não toma água com açúcar, ele toma garapa!
Nordestino não engana, ele dá um migué!
Nordestino não percebe, ele dá fé!
Nordestino não sai apressado, ele sai desembestado!
Nordestino não aperta, ele arroxa!
Nordestino não dá volta, ele arrudeia!
Nordestino não espera um minuto, ele espera um pedacinho!
Nordestino não é distraído, ele é avoado, apombaiado!
Nordestino quando está irritado com alguém que fica 'botando boneco', diz: Homi largue de frangagem!
Nordestino não fica com vergonha, ele fica encabulado, todo errado!
Nordestino não passa a roupa, ele engoma a roupa!
Nordestino não houve barulho, ele ouve zuada!
Nordestino não acompanha casal de namorados, ele segura vela!
Nordestino não rega as plantas, ele 'agoa' as plantas.
Nordestino não quebra algo, ele tora!
Nordestino não é esperto, ele é desenrolado!
Nordestino não é rico, ele é um cabra estibado!
Nordestino não é homem, ele é macho!
Nordestino não chama 'seu desalmado', ele grita 'infeliz das costa ôca!'
Nordestino não pede almoço, ele pede o cumê
Nordestino não come carne, ele come 'mistura'
Nordestino não lancha, merenda!
Nordestino não fica satisfeito quando come, ele enche o bucho!
Nordestino não dá bronca, dá carão!
Nordestino não fica com raiva, ele 'pega ar'!
Nordestino não casa, ele se amanceba!
Nordestino não tem diarréia, tem caganeira!
Nordestino não tem mau cheiro nas axilas, ele tem suvaqueira!
Nordestino não tem perna fina, ele tem dois cambitos!
Nordestino não é mulherengo, ele é raparigueiro!
Nordestino não se diverte, ele "bota pa decê"!
Nordestino não joga fora, ele rebola no mato!
Nordestino não exagera, ele alopra!
Nordestino não vigia as coisas, ele pastora!
Nordestino não se dá mal, ele se réia, se lasca todinho!
Nordestino quando se espanta não diz: - Xiiii! Ele diz: Viiixi Maria! Aff maria!
Nordestino não compara dizendo: - Como é que pode? Ele diz: - Soxtô!
Nordestino não vê coisas de outro mundo, ele vê uns malassombros!
Nordestino não é escroto, é o creca! (Adoooooooooooooro!)
Nordestino não é chato, é caningado!
Nordestino não é cheio de frescura, é pantinzeiro!
Nordestino não pula, dá pinote!
Nordestino não arranja briga, arranja intriga!
Nordestina não fica grávida, fica buxuda!
Nordestino não fica bravo, fica com a gota serena!
Nordestino não é malandro, é cabra de pêia!
Nordestino não fica apaixonado, ele arrêia os pneus todiinho!.

http://oveneta.blogspot.com/

Frases e Pensamentos...

* "Nutra sua mente com grandes pensamentos, pois você nunca irá mais alto do que o que você pensa." | Disraeli |
* "O seu mundo é uma expressão viva de como você está usando e tem usado a sua mente." | Earl Nightingale |
* "A primeira responsabilidade de um líder é definir a realidade. A última é dizer obrigado. No meio, o líder é um servo." | Max De Pree
* "O homem que não tem vida interior é escravo de seus arredores." | Henri Frédéric Amiel |
* "Confie nos seus pressentimentos. Eles normalmente são baseados em fatos arquivados abaixo do nível da consciência." | Joyce Brothers
* "A idade não nos protege do amor. Mas o amor, até certo ponto, nos protege da idade." | Jeanne Moreau |
* "Como os jeans, a idade me fez ficar mais macia e adaptável." | Léa Waider |
* "Quem acolhe um benefício com gratidão, paga a primeira prestação da sua dívida." | Sêneca |
* "A vida é uma série de colisões com o futuro, não é uma soma do que temos sido, e sim do que desejamos ser." | José Ortega y Gasset
* "A vitória é mais doce quando você conheceu a derrota." | Malcolm Stevenson Forbes
* "É possível mudar nossas vidas e a atitude daqueles que nos cercam simplesmente mudando a nós mesmos." | Rudolf Dreikurs
* "Não podemos escolher como vamos morrer. Ou quando. Podemos somente decidir como vamos viver." | Joan Baez |
* "Assim como a traça come a roupa, e o cupim rói a madeira, assim a tristeza faz mal ao coração." | São Bernardo |
* "Só se superam todas as tristezas, ou com coragem, ou com um amigo." | Ausônio |
* "Tática significa fazer o que você pode com o que você tem." | Saul Alinsky |
* "A rotina nos afasta de minhas possíveis novidades." | Clarice Lispector |
* "O que não é planejado emociona bem mais do que confirmar expectativas." | Carpinejar |
* "Todas as coisas que eu entendo, eu entendo somente porque amo". | Tolstoi |
* "A gente todos os dias arruma os cabelos: por que não o coração?" | Provérbio chinês |

sexta-feira, 19 de março de 2010

Frases e Pensamentos...

  • A esperança não é um sonho, mas uma maneira de traduzir os sonhos em realidade... 
  • Amo como ama o amor. Não conheço nenhuma outra razão para amar senão amar. Que queres que te diga, além de que te amo, se o que quero dizer-te é que te amo?               Fernando Pessoa
  • "Sucesso é a soma de pequenos esforços, repetidos o tempo todo." | Robert Collier
  • "Educar é criar pessoas capazes de inovar." | Piaget
  • "As pessoas não se tornam especiais pela pela maneira de ser ou agir, mas pela profundidade com que atingem nossos sentimentos." Tiago Costa
  • "A alma não tem segredo que o comportamento não revele." | Lao-Tsé |
  •   "Há sempre alguma loucura no amor. Mas há sempre um pouco de razão na loucura." | Friedrich Nietzsche |
     
    Eduquem as crianças e não será necessário castigar os homens." | Pitágoras

Sao Jose de Ribamar - Parabens pelo seu dia...

Oração a São José de Ribamar

Poderoso São José, abençoai-me, defendei-me e obtende-me a graça de ser sempre bom católico praticante e alcançar-me a saúde da alma e do corpo, e a felicidade nesta vida e na outra. Que depois de uma vida virtuosa, tenha uma santa morte.  

SHOW DE ORGANIZAÇÃO

Adm. Fernando Viana - Consultor Empresarial

Recentemente, durante uma reunião sobre EFICIÊNCIA E EFICÁCIA das organizações, o coordenador solicitou aos participantes exemplos de organizações eficientes e eficazes. Surgiram vários nomes e justificativas interessantes.
O assunto girou no grupo e, ao chegar a minha vez, citei o exemplo das “Escolas de Samba” do Rio de Janeiro.
Naquele momento alguns acharam engraçado e outros descartaram minha sugestão.
O coordenador solicitou que eu justificasse a minha sugestão. Disse que durante vários anos assisti ao desfile pela televisão, ficando impressionado a ponto de ir assistir o desfile na Marquês de Sapucaí. Fiz isto durante quatro anos consecutivos, pois a idéia de que as Escolas de Samba são verdadeiros exemplos de organizações eficazes não saía da minha cabeça.
O meu entusiasmo pelo assunto me levou a desfilar pela Mocidade Independente de Padre Miguel, de 1990 a 2000, quando pude sentir a inexplicável emoção de desfilar, ser parte integrante da Escola campeã (1990, 1991 e 1996), mas, principalmente, obter os subsídios para compreensão do fenômeno que arrasta milhares de pessoas com toda a energia e entusiasmo em direção a um único objetivo – individual e coletivo – que, naqueles momentos pareciam estar fundidos, indiferenciados, num gigantesco espírito de equipe que envolve a todos, numa onda de cooperação, identificação e motivação humana.
Sempre ouvimos dizer que o carnaval é coisa do demônio. Se for verdade, podemos fazer a ilação que os demônios são extremamente competentes. Quanta heresia, dirão os religiosos.
Pude comprovar que as pessoas economizam o ano inteiro, privando-se de muitas coisas para comprarem suas fantasias. Muitos têm que batalhar para conseguir uma vaga para o desfile, o que não é muito fácil, como alardeia a imprensa. Viajam de longe para participarem. Vestem suas fantasias em casa e vão a pé, tomam ônibus, metrô, têm que chegar com três a quatro horas de antecedência na concentração (que é outro exemplo de motivação e integração), ficam no tempo, seja dia ou noite, com sol ou chuva. Não têm sequer lugar adequado para fazer xixi. Os sapatos, sapatilhas ou botas incomodam os pés, o peso da fantasia a cada minuto aumenta mias e começa a incomodar os ombros, a cabeça e o pescoço. Além disso, as pessoas não se conhecem e não há nenhuma cerimônia de recepção e integração do pessoal.
São, em média, quatro mil pessoas de todos os níveis seja cultural, econômico ou social que se encontram e em curto espaço de tempo se organizam e apresentam um resultado que é considerado internacionalmente como o maior espetáculo da terra. Como se explica isto? Que fenômeno é este?
Aquelas organizações não pagam salários, não têm planos de assistência à saúde, não têm política de recursos humanos, não têm programas importados de qualidade total e nem prêmios de produtividade.
Nas organizações industriais, comerciais e de serviços, estes sistemas são comuns.
Em contrapartida, a exemplo das organizações formais, as Escolas de Samba também têm hierarquia. Nelas encontra-se presidente, diretores, coordenadores, etc.
Têm cargos-chave como interpretes de samba – que os incautos denominam de puxadores de samba -,mestre-sala, porta-bandeira, destaques, mestre de bateria, Chefe do Barracão (onde são confeccionados os carros alegóricos), etc. Têm também equipamentos (móveis e fixos), mecânicos, elétricos e eletrônicos – com significativo avanço tecnológico.

Chega a hora do desfile. Surgem os imprevistos, os problemas. É um carro que quebra, alguém que se sente mal ou um defeito no som. As decisões precisam ser rápidas e certeiras. A ansiedade e a pressão aumentam, a agitação é geral. O coração e os nervos ficam pulsando.
A Riotur anuncia que determinada escola vai iniciar o desfile. A adrenalina é total. O interprete solta o grito de guerra e começa a cantar, tendo somente um cavaquinho tocando. Em seguida a bateria explode com força total e a escola entra na avenida. A partir deste momento cada um sabe que o sucesso ou o fracasso da sua organização depende diretamente dele.
Ele será visto por milhares de pessoas ao vivo e outros milhões através da televisão. Ele sabe que será observado, avaliado e, sabe, também, que o feedback será imediato pela expressão e comportamento da platéia e que a comissão de jurados será rigorosa na sua avaliação.
Com os pés sangrando ou não, com os ombros feridos ou não, estando ou não cansado, com sono, fome ou sede, ele continua sua tarefa e arranca do fundo do peito toda a energia de que dispõe e a coloca a serviço da garganta, dos pés e sobretudo, da meta a ser atingida e da sua realização pessoal. Com um sorriso nos lábios ele continua a sua tarefa com a certeza de que, mesmo estando entre quatro mil pessoas com o mesmo objetivo, ele é, naquele instante, realmente, o número um da sua organização.
Ele se sente importante, extremamente útil, comprometido dom o resultado, respeitado na sua função, com espaço para exercer em toda a plenitude, a sua criatividade. Ele vivencia a liberdade e experimenta de corpo e alma a felicidade. O que ele mais deseja é fazer mais e melhor. Diante de tão sublime grandeza ele não está preocupado em perder o seu espaço para o colega e nem em tomar o espaço de outro. Ele não deseja que a ala da frente ou a de trás fracassem. Ele não faz corpo mole para atrapalhar a sua própria ala.
Ao contrário, ele é o estimulo em pessoa. Ele contagia e é contagiado numa dinâmica excitante, numa relação de causa e efeito que faz de tudo aquilo o grande fator de sucesso da organização “Escola de Samba”. Não se têm notícias de que os diretores de harmonia ou de evolução tenham ido ao Japão, Canadá, Estados Unidos ou Alemanha, buscar “aquelas técnicas” para conseguirem resultados com as pessoas. Se analisarmos, com mais interesse, a situação social do Brasil, podemos considerar que eles conseguem, como em um toque de mágica, transformar “Sapos em Príncipes”.
Talvez seja o caso de dedicarmos menos tempo na análise do comportamento dos japoneses e de como ele obtêm sucesso, e pensarmos mais em nós mesmos, brasileiro, que, apesar de todas as dificuldades e carências, ainda conseguimos mostrar o nosso potencial e, às vezes, brilhar, quando nos sentimos estimulados.
Nesta reflexão parece não restar dúvidas de que as organizações formais têm muito o que aprender com a Mocidade, Portela, Mangueira, Salgueiro,etc.
Aproveito a oportunidade para deixar registrado o meu eterno agradecimento à Mocidade Independente de Padre Miguel, pela oportunidade de vivenciar momentos mágicos e inesquecíveis, e, principalmente, poder aprender um pouco mais sobre administração de organização modelo.
Fica assim colocada uma questão para nós, profissionais da administração, refletirmos um pouco mais. Se você puder assista – ao vivo ou pela televisão - o desfile do próximo ano, quando, mais uma vez, brilhará no céu a Estrela Guia de Padre Miguel, e faça sua própria análise.

quinta-feira, 18 de março de 2010

Saiba o que pode arruinar a sua reputação no trabalho

Segundo especialista, no caso dos estagiários, a tolerância em relação ao comportamento pode ser maior, mas mesmo assim há um limite

Por Karla Santana Mamona, InfoMoney

Ter uma má reputação no trabalho atrapalha a carreira do profissional, pois evita que a pessoa seja promovida e participe de novos projetos. Além de ser banido dentro da empresa, o profissional pode carregar a fama para o mercado de trabalho, o que o impedirá de conseguir novas oportunidades.
Segundo o consultor de Recursos Humanos do Grupo Soma, Antenor de Toledo Barros Neto, ter uma postura correta é fundamental para manter uma boa reputação. Confira abaixo atitudes que devem ser evitadas no ambiente de trabalho:
•Chegar sempre atrasado;
•Não ter ética;
•Não saber se comportar;
•Ser desorganizado;
•Não saber separar problemas da vida pessoal do trabalho;
•Relacionar-se com o colega de trabalho comprometido ou ser comprometido e ter um caso extraconjugal.

Como reverter o quadro
O consultor afirma que, para acabar com a fama ruim, é necessário um esforço verdadeiro e não basta mudar somente uma atitude. “A pessoa tem de ter outra postura profissional. A mudança deve ser verdadeira, não adianta melhorar em algumas coisas por pouco tempo”, declara.
Para que ocorra essa mudança profissional, o primeiro passo é ter consciência do estigma ruim que o acompanha. O segundo é conversar com os colegas para pedir um feedback sobre comportamento. E o último, caso seja necessário, é falar com o chefe direto.
“Pergunte ao colega sobre suas atitudes do dia a dia e veja quão desgastada pode estar a sua imagem. Esse colega falará a verdade, porque você demonstrou que está querendo mudar”, explica Neto.
Reputação no estágio
No caso dos estagiários, a tolerância em relação ao comportamento pode ser maior, mesmo assim há um limite. De acordo com a supervisora de Processos Especiais do Ciee (Centro de Integração Empresa-Escola), Noely David, desvios de comportamentos ou inadequações no ambiente de trabalho não são bem vistos.
“O estagiário deve chamar a atenção pelo seu interesse no trabalho e seu aprendizado, não por falar alto, pelas roupas, pelo comportamento e por fazer brincadeiras invasivas. Não pode exagerar na dose. Deve se por no seu lugar”, afirma Noely.
Para os estudantes, é importante ter retorno do supervisor do estágio que o acompanhará e direcionará não somente nas tarefas realizadas, mas também em relação ao comportamento. “Geralmente o estagiário é adolescente, não tem maturidade profissional nem pessoal, por isso precisa de um apoio”, explica Noely.
Como dica para evitar ter uma reputação ruim dentro da empresa, Noely aconselha que os estagiários observem o ambiente de trabalho. “Existem empresas mais descontraídas, mas isso não significa que o estagiário deve perder o controle. Ele não deve ser distinguido pelo comportamento, mas pelo comprometimento. O estagiário também deve vestir a camisa da empresa”, finaliza.

quarta-feira, 17 de março de 2010

Onde você se encaixa, minha amiga?

Lista Original

Eu quero um homem que...

1. Seja lindo,
2. Encantador,
3. Financeiramente estável,
4. Um bom ouvinte,
5. Divertido,
6. Em boa forma física,
7. Se vista bem,
8. Aprecie as coisas mais finas,
9. Faça muitas surpresas agradáveis,
10. Seja um amante criativo e romântico.

Lista Revisada aos 32 Anos
Eu quero um homem que...

1. Seja bonitinho,
2. Abra a porta do carro
3. Tenha dinheiro suficiente para jantar fora com certa freqüência
4. Ouça mais do que fale,
5. Ria das minhas piadas,
6. Carregue as sacolas do mercado com facilidade,
7. Tenha no mínimo uma gravata,
8. Lembre de aniversários e datas especiais,
9. Procure romance pelo menos uma vez por semana.

Lista Revisada aos 42 Anos
Eu quero um homem que...

1. Não seja muito feio,
2. Espere eu me sentar no carro antes de começar a acelerar,
3. Tenha um emprego fixo
4. Balance a cabeça enquanto eu falo,
5. Esteja em forma ao menos para mudar a mobília de lugar,
6. Use camisetas que cubram sua barriga,
7. Não compre cidra achando que é champagne,
8. Se lembre de abaixar a tampa da privada (já tá bom, né? Esquece o Romance...)

Lista Revisada aos 52 Anos
Eu quero um homem que...

1. Corte os pelos do nariz e das orelhas,
2. Não coce o saco e nem cuspa em público,
3. Não sustente as irmãs, nem as filhas do primeiro casamento
4. Não balance a cabeça até dormir enquanto eu estou reclamando,
5. Não conte a mesma piada o tempo todo.

Lista Revisada aos 62 Anos
Eu quero um homem que...

1. Não assuste as crianças pequenas,
2. Ronque bem baixinho quando dorme,
3. Esteja em forma suficiente para ficar de pé sozinho,
4. Use cuecas e meias limpas.

Lista Revisada aos 72 Anos
Eu quero um homem que....

1. Respire,
2. Lembre onde deixou seus dentes

Lista Revisada aos 88 Anos
Eu quero um homem que...

1. O que é um homem, mesmo???

http://oveneta.blogspot.com/

Geração Y está mudando o marketing

Por Rodrigo Rosa, Administradores.com.br

A Conhecida Geração Y (jovens que nasceram nas décadas de 1980 e 1990) vive um mundo completamente virtual

Entender comportamentos sempre foi o grande objetivo das agências de marketing e publicidade. Apesar de um avanço tecnológico monstruoso e incontrolável, está cada vez mais difícil estudar justamente quem consome o mercado de tecnologia. A conhecida Geração Y (jovens que nasceram nas décadas de 1980 e 1990) vive um mundo completamente virtual, seja através de um gadget que tenha às mãos, seja através dos mais de 170 milhões de celulares habilitados até o fim desse ano, segundo dados da consultoria Tendências.

Digitando o termo Geração Y, entre aspas, restringindo a pesquisa no Google, o site irá fornecer "aproximadamente 506.000 resultados". É muita coisa para um grupo que representa 26,2% da população brasileira, de acordo com a PNAD(Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios), do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada no fim de 2009.

Nos últimos meses o que mais se tem discutido é o perfil de consumo dessa geração, afinal, eles são totalmente diferentes: pesquisa da Bridge Research, empresa especializada no público jovem, mostra que essa geração preza pela velocidade e tecnologia, é multitarefada e individualista. Preocupa-se com o meio ambiente e o desenvolvimento social. Quer tudo à mão e ter a oportunidade de responder logo. O mobile marketing é a cara dos Y's: é rápido, seletivo, com capacidade alta (talvez singular) de segmentar e atingir o público-alvo, e ainda, de baixo investimento e de rápida capacidade de ser ajustada, quando necessário, além do quase inexistente impacto ambiental que essa tecnologia causa.

Dados do IBOPE Mídia, consultoria Gouveia de Souza e grupo Ebeltoft mostram que 42% dos brasileiros aceitam esse novo tipo de propaganda, principalmente por ter a opção de receber ou não aquela informação, ou seja, não é intrusiva. Sabendo dessa demanda, não à toa que o mercado de mobile marketing atingiu um investimento de R$ 80 milhões em 2009 no Brasil, segundo a Mobile Marketing Association (MMA); para 2010, o número deverá chegar a R$ 200 milhões. É a publicidade que fica em regime de 24/7 com o público.

E as empresas que não notarem essa migração podem perder mercado. De acordo com consultoria Gartner, as empresas estão tendendo a direcionar seus custos de marketing para canais como o mobile marketing. É uma forma de encantar quem já não se espanta com nada: o lema "tudo é possível" embala a revolução. O mobile marketing está alinhado com a velocidade, liberdade, consumo, individualidade e tecnologia que os jovens Y querem, exijem e buscam.

Eles conversam ao vivo, pelo celular, e-mail, MSN, Twitter ou qualquer outra ferramenta de comunicação que venha a surgir no mundo. Isso torna esses jovens exigentes, e certos nas decisões tomadas, pois é uma geração informada, que questiona muito e exige rapidez e precisão. A prova de que as campanhas não podem mais focar somente nas mídias tradicionais: o mobile marketing atinge sempre essa turma, pois exige uma campanha completa e integrada.
Mas não pense que parou por aí: para quem acha que tudo aconteceu, vem aí a Geração Z...

Rodrigo Rosa - diretor-sócio e responsável pela área comercial da 2Call, empresa especializada em Mobile Marketing, e representante da geração Y

terça-feira, 16 de março de 2010

Dicas de alimentação: colesterol e triglicerídeo elevado

COLESTEROL ELEVADO
- Evite alimentos gordurosos como: maionese, creme de leite e manteiga. Prefira margarina light com moderação;
- Prefira pães integrais e ricos em fibras, que não contenham açúcar e gorduras;
- Acrescente uma fonte de fibras na alimentação (aveia em flocos, farelo de trigo ou de arroz...);
- Modere o consumo de bolos, biscoitos e bolachas recheadas;
- Evite consumir massas com molhos e recheios muito calóricos e gordurosos, como os molhos brancos, que vão leite integral e queijo. Prefira um molho à base de tomates in natura e reduza a gordura do preparo;
- Evite doces preparados com chocolate, leite condensado e creme de leite, pois além do seu alto teor de açúcar, também são ricos em gordura;
- Evite consumir alimentos fritos. Prefira preparações assadas, cozidas ou grelhadas;
- Abuse de vegetais folhosos, legumes e frutas;
- Prefira leite e iogurtes desnatados;
- Evite consumir queijos amarelos. Eles são os mais gordurosos. Prefira o queijo branco, a ricota, minas, frescal e o queijo cottage;
- Evite as carnes gordurosas, pele de aves e os embutidos (bacon, salsicha, lingüiça, embutidos, mortadela, salame, presunto...). Prefira carnes magras
como frango e peixes;
- Limite o consumo de 2 ovos/semana, pois a gema contém muita gordura, podendo contribuir para o aumento do colesterol.

TRIGLICERÍDEOS ALTO
ALIMENTOS PROIBIDOS:
. Açúcar, mel e doces em geral;
. Massas como: lasanha, canelone, ravioli; pizzas;
. Farinhas (mandioca, milho, trigo);
. Refrigerantes;
. Bebidas alcoólicas.
ALIMENTOS USADOS COM MODERAÇÃO:
. Bolachas de água e sal, e torradas;
. Batata, mandioca, beterraba, arroz, macarrão, milho verde;
. Leguminosas - feijões, ervilha, soja, lentilha, vagem;
ALIMENTOS PERMITIDOS:
. Leite desnatado;
. Suco de frutas;
. Queijos magros;
. Carnes magras;
. Óleo vegetal em pouca quantidade (de preferência ao óleo de canola ou de milho);
. Frutas e hortaliças.
Fonte: Andréia João - Nutricionista > http://www.andreiajoao.com.br/wp/

SER FELIZ - Fernando Pessoa

Posso ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes, mas não esqueço de que minha vida é a maior empresa do mundo.
E que posso evitar que ela vá a falência.
Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si, mas ser capaz de encontrar um oásis no recôndito da sua alma.
É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um 'não'.
É ter segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.
Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo.

Fernando Pessoa (Lisboa, 13 de junho de 1888 - Lisboa, 30 de novembro de 1935)

Contribuição > Neide Carvalhêdo

segunda-feira, 15 de março de 2010

O professor está sempre errado

O material escolar mais barato que existe na praça é o professor!

Se é jovem, não tem experiência.
Se é velho, está superado.
Se não tem automóvel, é um pobre coitado.
Se tem automóvel, chora de "barriga cheia'.
Se fala em voz alta, vive gritando.
Se fala em tom normal, ninguém escuta.
Se Não falta ao colégio, é um 'caxias'.
Se Precisa faltar, é um 'turista'.
Se Conversa com os outros professores, está 'malhando' os alunos.
Se Não conversa, é um desligado.
Se Dá muita matéria, não tem dó do aluno.
Se Dá pouca matéria, não prepara os alunos.
Se Brinca com a turma, é metido a engraçado.
Se Não brinca com a turma, é um chato.
Se Chama a atenção, é um grosso.
Se Não chama a atenção, não sabe se impor.
Se A prova é longa, não dá tempo.
Se A prova é curta, tira as chances do aluno.
Se Escreve muito, não explica.
Se Explica muito, o caderno não tem nada.
Se Fala corretamente, ninguém entende.
Se Fala a 'língua' do aluno, não tem vocabulário.
Se Exige, é rude.
Se Elogia, é debochado.
Se O aluno é reprovado, é perseguição.
Se O aluno é aprovado, deu 'mole'.
É, o professor está sempre errado, mas, se conseguiu ler até aqui, agradeça a ele!

http://oveneta.blogspot.com/search/label/Curiosidades

Castigos

Aluno:
- Professora, alguém pode ser castigado por uma coisa que não fez?
Professora:
- Não.
Aluno:
- É que eu não fiz os trabalhos de casa.

Brindemos ao St. Patrick's Day por Mariana Caminha

Assim como eu, muita gente aqui já avisou que vai sair mais cedo do trabalho na próxima quarta-feira, quando se celebra o St. Patrick's Day. Reza a lenda que a sorte acompanha aqueles que participam da festa, e ninguém quer estar fora desse grupo, concorda?
A origem do feriado é religiosa. St. Patrick é tido como o patrono dos santos irlandeses (e foi lá que nasceu a tradição de celebrar o dia 17 de março), mas a festa já se espalhou pelo mundo. As mais expressivas comemorações acontecem no Reino Unido, Canadá, Austrália, Nova Zelândia e Estados Unidos.
Missionário do cristianismo, St. Patrick nasceu como Maewyn Succat no século 4, e era um homem muito rico. Depois de ver a sua casa destruída por bandidos e ter de trabalhar como escravo durante vários anos, passou a dedicar seu tempo ao ensino da religião.
O símbolo do St. Patrick's Day, um trevo de três folhas, faz referência ao modo como o santo falava da Santíssima Trindade aos seus alunos. Cada folha do trevo simbolizava uma das pessoas - Pai, Filho e Espírito Santo.
A vida de St. Patrick é comemorada desde a sua morte, no dia 17 de março. Em Londres a festa é grande, marcada pela presença de centenas de pessoas. Há oito anos um desfile pelas ruas do centro da cidade atrai multidões, com direito a muitos trevos de três folhas, e claro, muita cerveja.
É a cerveja, por sinal, uma das protagonistas dessa celebração. Apesar de nada religiosa, a bebida passou a ser parte importante do St. Patrick's Day a partir dos anos 90, quando o governo irlandês aproveitou a data para aumentar a propaganda sobre o país e atrair mais turistas durante o mês de março. Antes disso, surpreendentemente, os pubs irlandeses tinham de fechar, por lei, todo dia 17 de março. Algo inconcebível nos dias de hoje.
A maior patrocinadora do evento não poderia ser outra senão a Guiness, a cerveja preta de Dublin, famosa no mundo inteiro. Em todos os pubs da cidade (e em outros tantos espalhados por aí), o merchandising será intenso, incluindo roupas, chapéus, leques, cartazes etc. Uma gama de produtos que custa à empresa um investimento de 3 milhões de libras todos os anos.
A nós, só nos resta ajudar a manter a tradição irlandesa e nos juntarmos à festa. Que St. Patrick nos proteja!
Mariana Caminha é formada em Letras pela UnB e em jornalismo pelo UniCEUB. Fez mestrado em Televisão na Nottingham Trent University, Inglaterra.

    sexta-feira, 12 de março de 2010

    Pesquisa Medica...

    A chave para a vantagem competitiva

      A vantagem competitiva é o parâmetro de desempenho de uma empresa no mercado. Hoje, sua importância adquire dimensão ainda maior, visto que a competitividade no ambiente empresarial tem aumentado, em âmbito global.

    A vantagem competitiva decorre do valor que uma empresa cria para seus clientes – e da percepção e reconhecimento dos mesmos. Este valor pode estar na prática de preços inferiores aos da concorrência ou no fornecimento de benefícios únicos que compensem o preço despendido pelo consumidor, ao adquirir o produto ou serviço.

    Michael Porter define três estratégias para se alcançar a vantagem competitiva: liderança de custo, diferenciação e enfoque.

    Na estratégia de liderança de custos, a empresa parte para tornar-se o produtor de baixo custo em sua indústria. Procura ter um escopo amplo atende a muitos segmentos industriais, podendo até operar em indústrias correlatas – já que a amplitude de sua atuação é que definirá a vantagem de custo. Esta vantagem de custo, por sua vez, será resultado de economias de escala, ou de tecnologia patenteada ou de acesso preferencial a matérias-primas, ou de mão-de-obra barata, por exemplo.

    Na estratégia de diferenciação, a empresa procura ser única em sua indústria, ao longo de algumas dimensões amplamente valorizadas pelos compradores. Ela seleciona um ou mais atributos que muitos compradores consideram importantes e procura posicionar-se para satisfazer essas necessidades. Como resultado, a empresa é recompensada com um “preço-prêmio”, decorrente do valor que esses compradores reconhecem em suas atividades. A diferenciação percebida pelo comprador pode estar no próprio produto, na acessibilidade com que o produto é disponibilizado, nos serviços de pós-venda, no relacionamento que o cliente mantém com a marca.

    Na estratégia de enfoque, a empresa escolhe um segmento ou um grupo de segmentos na indústria e adapta todas as suas estratégias para atendê-los. A estratégia de enfoque pode ser de custo – onde a empresa procura ter o melhor custo para o segmento focado; ou de diferenciação, onde a empresa busca diferenciar-se perante o segmento focado, com atributos que lhe são valorizados.

    Uma empresa que se engaja em qualquer uma das estratégias citadas por Porter, mas não alcança nenhuma delas, dificilmente conseguirá estabelecer qualquer vantagem competitiva. O resultado será um desempenho abaixo da média, de quem irá competir com o líder no custo, com os “diferenciadores” ou “enfocadores”, que estarão mais bem posicionados para competirem em qualquer segmento.

    Nós acreditamos que a única estratégia de diferenciação de uma empresa, e portanto, de se estabelecer uma vantagem competitiva, está na relação de valor que o consumidor tem com a marca e os serviços que lhe são oferecidos. Se o consumidor sente que recebe mais do que numericamente está pagando, a relação de valor favorecerá a empresa – e enquanto este sentimento prevalecer – a empresa terá um consumidor fiel.

    Portanto, a receita para se alcançar a vantagem competitiva é simples, no entendimento: basta manter a relação de valor que o consumidor tem com os serviços que recebe. Mas é de difícil prática, porque requer disciplina das empresas em consultar seus clientes periodicamente, para monitorar os benefícios que realmente estão comprando, o grau de satisfação e de utilização dos serviços; antecipar necessidades. Requer disposição para monitorar permanentemente o ambiente de mercado, as estratégias dos concorrentes, as principais movimentações e tendências e alterações que provocam no comportamento de compra do consumidor.

    E finalmente, a velocidade e a coragem para inovar, na abordagem, na comunicação, na distribuição e no desenvolvimento de produtos e serviços. Ou seja, requer a prática da Inteligência Competitiva.

    Neste contexto, a Inteligência Competitiva vem ganhando espaço nas organizações, já que permite uma fotografia instantânea e contínua do mercado, da empresa e de seus concorrentes. Um diagnóstico mais rápido propicia tomadas de decisão mais rápidas, seja de correção, de bloqueio ou inovação.

    E o que é mais importante: a Inteligência Competitiva permite o registro da empresa não como ela pensa que é, mais efetivamente, como o consumidor a vê, visto que toda a metodologia é orientada a percorrer, utilizar todos os canais de comunicação e venda que a empresa e seus concorrentes disponibilizam ao consumidor.

    Fonte - Portal Inteligemcia - Patricia Marra possui mais de 15 anos de experiência em Marketing, como executiva nas empresas Du Pont do Brasil, World Tennis, Monday e Banco Real;

    Nostagia... meus 15 anos... em Brasilia ...

    quinta-feira, 11 de março de 2010

    Este texto não contém a letra "A" ..... É possível sim.

    Outro daqueles mirabolantes textos em Português que se consegue exprimir o que quiser sem auxílio de uma simples letra, verbo, etc... Só mesmo o Português (até onde eu saiba) é capaz de tamanha proeza. Divirtam-se e, para os mais interessados, sugiro guardarem esta preciosidade de um autor desconhecido. O que é pura maldade, não?
    Observação: Este texto não contém a letra "A"
    É possível sim.

    Sem nenhum tropeço posso escrever o que quiser sem ele, pois rico é o português e fértil em recursos diversos, tudo isso permitindo mesmo o que de início, e somente de início, se pode ter como impossível. Pode-se dizer tudo, com sentido completo, mesmo sendo como se isto fosse mero ovo de Colombo.
    Desde que se tente sem se pôr inibido pode muito bem o leitor empreender este belo exercício, dentro do nosso fecundo e peregrino dizer português, puríssimo instrumento dos nossos melhores escritores e mestres do verso, instrumento que nos legou monumentos dignos de eterno e honroso reconhecimento
    Trechos difíceis se resolvem com sinônimos. Observe-se bem: é certo que, em se querendo esgrime-se sem limites com este divertimento instrutivo. Brinque-se mesmo com tudo. É um belíssimo esporte do intelecto, pois escrevemos o que quisermos sem o "E" ou sem o "I" ou sem o "O" e, conforme meu exclusivo desejo, escolherei outro, discorrendo livremente, por exemplo, sem o "P", "R" ou "F", o que quiser escolher, podemos, em corrente estilo, repetir um som sempre ou mesmo escrever sem verbos.
    Com o concurso de termos escolhidos, isso pode ir longe, escrevendo-se todo um discurso, um conto ou um livro inteiro sobre o que o leitor melhor preferir. Porém mesmo sem o uso pernóstico dos termos difíceis, muito e muito se prossegue do mesmo modo, discorrendo sobre o objeto escolhido, sem impedimentos. Deploro sempre ver moços deste século inconscientemente esquecerem e oprimirem nosso português, hoje culto e belo, querendo substituí-lo pelo inglês. Por quê?
    Cultivemos nosso polifônico e fecundo verbo, doce e melodioso, porém incisivo e forte, messe de luminosos estilos, voz de muitos povos, escrínio de belos versos e de imenso porte, ninho de cisnes e de condores.
    Honremos o que é nosso, ó moços estudiosos, escritores e professores. Honremos o digníssimo modo de dizer que nos legou um povo humilde, porém viril e cheio de sentimentos estéticos, pugilo de heróis e de nobres descobridores de mundos novos.
    Quem escreveu? Mistério..
    Contribuição:  IVANA FRANCO

    quarta-feira, 10 de março de 2010

    30 razões que levam uma empresa a fechar as portas

    Confira quais são os 30 erros mais comuns das empresas, seja na administração de pessoas, processos ou finanças
    Provavelmente nunca ninguém lhe falou as principais falhas que você micro ou pequeno empresário pode estar cometendo na gestão financeira da sua empresa. Aproveite este artigo, o qual foi sugerido por um aluno e empresário.
    “Eu já montei e tive que fechar cinco empresas, depois dessa cruel experiência decidi voltar para a sala de aula”. Este foi o desabafo que um dos alunos do curso de Planejamento e gestão financeira, fez no primeiro dia de aula. A resistência para sair da rotina de trabalho, originada quase sempre pelo conforto é grande, mas chega uma hora que não tem outra saída. Foi o caso deste empresário, que depois dessa triste experiência, que aconteceu entre os 33 e 58 anos de idade, decidiu buscar conhecimento e se atualizar.
    Vejamos as principais falhas que temos percebido na área financeira, tanto em trabalhos de consultoria e assessoria, como em cursos abertos e fechados:
    1. Acreditar que basta colocar um software de gestão financeiro para controlar as contas da empresa.
    2. Acreditar que somente um funcionário pode tomar conta das finanças, dependendo do tamanho da empresa.
    3. Acrescentar às contas da empresa, suas contas particulares e até as contas da família, para o funcionário controlar.
    4. Misturar as contas da empresa com as contas particulares, inclusive com cartões de crédito pessoal, transferências de contas (pessoa física/pessoa jurídica), etc.
    5. Fazer retiradas avulsas das contas da empresa durante o mês de acordo com sua necessidade particular.
    6. Valor do pró-labore crescente e/ou indefinido (variável) todo mês.
    7. Não registrar as entradas e saídas de dinheiro com precisão e no instante do fato.
    8. Não dispor de um plano de contas gerencial (não tributário) que identifique e agrupe as principais contas da empresa (entradas e saídas no caixa e receita e despesa no demonstrativo de resultados).
    9. Exigir do funcionário melhor controle, sem este dispor das condições da segurança e da autonomia para controlar o caixa.
    10. Colocar o funcionário do financeiro para fazer outros serviços ou serviço externo.
    11. Pegar dinheiro do caixa, sem comunicar o responsável pelo controle.
    12. Acreditar que o saldo do caixa no final do mês é o lucro da empresa.
    13. Não controlar e fazer inventários periódicos, valorizando o estoque.
    14. Não dispor de controles a fim de conhecer com precisão o estoque inicial, estoque final e o custo da mercadoria vendida (ou custo da matéria prima).
    15. Gastar o saldo do caixa para pagar contas particulares e outros negócios.
    16. Não fazer uma reserva de caixa para despesas eventuais de final e inicio de ano.
    17. Acreditar que é difícil (ou impossível) fazer uma previsão de fluxo de caixa.
    18. Confundir lucratividade com rentabilidade.
    19. Confundir fluxo de caixa com demonstrativo de resultados.
    20. Confundir custos fixos com variáveis e vice-versa.
    21. Acreditar que acrescentando uma porcentagem “X” aos custos operacionais, é a forma correta de formar o seu preço de venda.
    22. Não considerar descontos, devoluções, garantias e as despesas escondidas como: encargos sociais, depreciação, seguros, etc, na apuração de resultados.
    23. Confundir contas de caixa com contas de resultados.
    24. Confundir regime de caixa com regime de competência.
    25. Não calcular e atualizar o capital de giro necessário para a empresa.
    26. Não conhecer e nem calcular o seu ponto de equilíbrio para controle, tomada de decisões e criação de estratégias sazonais.
    27. Não saber com precisão qual o lucro (ou prejuízo) da empresa.
    28. Acreditar que são os funcionários que precisam da empresa (emprego).
    29. Contratar mais parentes baseado somente pela confiança e/ou por pena.
    30. Prescindir das novas tecnologias da informação.
    Como consequência dessas inconformidades, a empresa estagna, não consegue mais crescer e logo em seguida passa a pagar seus compromissos com atraso. Depois passa a depender de empréstimos bancários e por último passa a demitir funcionários para diminuir a folha de pagamentos. Com isso cai a produtividade e a qualidade dos serviços.
    Daí os clientes começam a migrar para os concorrentes mais atualizados e agressivos, terminando com o fechamento do negócio. Essa é a triste história deste aluno e de milhares de empreendedores e pequenos empresários do Brasil e do planeta inteiro. O negócio era bom em quanto era pequeno – dava para administrar e ganhar dinheiro.
    Agora, as condições externas e internas estão muito diferentes, os clientes estão cada vez mais exigentes, existem muito mais opções no mercado para atender as mesmas necessidades. Depois que a empresa começa a crescer, a situação fica mais difícil de administrar.
    Se pelo menos cinco destas situações estiverem acontecendo com você (ou com seu amigo), sua situação é delicada e muito perigosa. A tendência é piorar cada vez mais.
    Federico Amory (Consultor da Eficaz consultoria de gestão, especialista em reestruturação organizacional e empresas familiares. http://www.empresa-eficaz.com.br - ee@empresa-eficaz.com.br )