QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Curva ABC: Controle de Estoque

Um dos grandes desafios que as pequenas e médias empresas enfrentam é a gestão e o controle de estoque. Mas nada como uma boa administração de armazenagem para facilitar as coisas, como reduzir custos desnecessários e até mesmo melhorar a qualidade e distribuição dos itens. 

Classificar as mercadorias de acordo com sua importância é uma tarefa essencial para evitar perdas de itens prioritários ou, em outros casos, quando necessário, identificar a necessidade de vender alguns deles imediatamente. Atualmente, existem sistemas que contribuem para a melhoria desse processo, aumentando a produtividade.

O que é Curva ABC 

A Curva ABC, também conhecida como Teorema de Pareto, tem origem na teoria do economista italiano Vilfredo Pareto, que identificou que 80% das consequências se originam a partir de 20% das causas. Ela tem sido usada na gestão de estoques, definição de políticas de vendas, estabelecimento de prioridades para programar a produção e uma série de outros problemas usuais na empresa. Por isso, esse conteúdo irá mostrar qual nível de atenção deve ser direcionado para cada tipo de produto e, com isso, inúmeras questões poderão ser resolvidas com uma única solução. Então, é importante que em algum momento o empreendedor conheça a curva ABC.

Conceito da Curva ABC na gestão de estoque é fundamental

Pareto analisou que boa parte da riqueza estava concentrada em uma pequena parcela da população, então, partindo dessa mesma concepção, nas empresas boa parte do seu lucro advém de uma minoria de produtos que resultam na maior parcela dos custos de estoque.

Por exemplo, 20% das pessoas concentram 80% da riqueza mundial, 20% da área de uma casa é utilizada 80% do tempo e 20% dos produtos representam 80% do seu faturamento. Essa regra pode sofrer algumas variações dependendo do ramo de atividade, mas em geral a dinâmica é muito semelhante.
O teorema da Curva ABC é aplicado em várias áreas para análise de causa e consequência, inclusive na administração para identificar bons clientes e fornecedores.

Na logística, podemos utilizar a Curva ABC no controle de estoque para classificar os produtos e identificar os que mais contribuem no faturamento ou que tem maior fluxo de movimentação.

Alguns produtos são mais importantes que outros e, por isso, precisam de maior atenção. Pode ser feita a separação dos itens no estoque seguindo algum critério, como: giro do produto, proporção sobre o faturamento, margem de lucro, custo do estoque ou outro parâmetro escolhido. 


O termo ABC consiste em classificar os itens em 3 faixas:
– Classe A: 20% dos itens representam 80% do valor do estoque;

– Classe B: 30% dos itens representam 15% do valor do estoque;

– Classe C: 50% dos itens representam 5% do valor do estoque.
Com a curva ABC, estoque não será mais um problema!

Gráfico de Pareto
curva abcAgora basta identificar que:
A CLASSE A é o grupo de itens mais importantes que devem ser trabalhados e administrados com atenção especial.

CLASSE B é o grupo intermediário que possui boa margem de contribuição e precisa de uma gestão moderada.

CLASSE C é o grupo de itens menos importantes em termos de movimentação, no entanto, requer atenção pelo fato de gerar custo para manter o estoque.

Montagem da Curva ABC para administração de estoques

Depois de entender o conceito e a separação das classes AB e C, veja o passo a passo de como é indicado fazer a montagem da curva:

1. Relacione os itens do período que estiver sendo analisado;

2. Tenha o número ou referência do produto;

3. Nome do produto;

4. Preços unitários atualizados;

5. Valor total do consumo;

6. Arrume os itens em ordem decrescente de valor;

7. Some o total do faturamento;

8. Defina os itens da classe “A”, aqueles que equivalem 80% do faturamento;

9. Defina os itens da classe “B”, aqueles que equivalem 15% do faturamento;

10. Defina os itens da classe “C”, aqueles que equivalem 5% do faturamento;

Também é possível construir a curva ABC de forma rápida com a ajuda de uma simples planilha no Excel.

Gestão de estoque com a Curva ABC


Estando com os dados relativos aos estoques e seus custos (para todos os produtos), organize-os em ordem decrescente de custo. Some todos esses custos e depois calcule o percentual que cada produto representa do valor total. Depois, é só somar as primeiras linhas até encontrar 80% dos custos (isso deve representar em torno de 20% dos produtos). Esses produtos serão aqueles que farão parte da Classe A da Classificação ABC. Siga a mesma ideia para montar as classes B e C.

Pense que alguns itens também devem ser incluídos na lista dos “Classe A” por serem estratégicos, ou seja, estarem atrelados a contratos de fornecimento ou mesmo por questões de marketing. Serão poucos itens nesta situação, mas que merecem tratamento diferenciado.

Com essas informações sobre a Curva ABC, o controle de estoque pode ser realizado de maneira mais eficiente ao direcionar os esforços e recursos para os itens mais importantes do seu negócio. Dessa forma você obtém lucro mais rápido ao mesmo tempo que reduz gastos, o que fará uma bela diferença para o seu negócio.

Copiado: https://www.mandae.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário