QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

terça-feira, 14 de março de 2017

Teoria do Balanceamento do Livre Arbítrio

Em 1990, um amigo meu, teve que tomar umas das decisões mais importantes para com o futuro dele; aceitava o convite de estudar uma segunda graduação na extinta União Soviética, que oferecia bolsa de estudo completa, incluindo mensalidade paga, moradia, alimentação, passagem área e até uma mesada em rubros (a moeda do país), ou escolher o Brasil, cujo único benefício era da mensalidade paga na PUCSP.
Antes de tomar a decisão certa, houve muita pesquisa através de visitas a organizações internacionais com sede em Lima-Perú, Embaixadas, institutos de pesquisas econômicas internacionais e até pessoas que moraram nesses países.
Depois de transformar dados e números em informação, desenvolver um pouco de conhecimento, foi tomado a sabia decisão de optar pelo Brasil.
Dois anos depois, a União Soviética estava falida e os estudantes tiveram que retornar aos seus países de origem, com o prejuízo financeiro e do tempo perdido.
A Teoria do Balanceamento do Livre Arbítrio, se fundamenta no conceito econômico do Trade-Off¹, na qual, tomamos decisões de escolher entre o produto A em relação ao produto B, baseado no ganho a mais que vamos obter no futuro, cujo resultado pode ser positivo ou negativo.
Cabe destacar que, esta teoria não se aplica para decisões simples ou supérfluas, como a compra de uma caneta fina ou um par de sapatos de marca. A opção que optamos, vai modificar substancialmente nossas vidas ou da nossa família, definirá os rumos de longo prazo, dependência de terceiros ou vice-versa.

Vejamos os seguintes exemplos: comprar um apartamento de dois ou três dormitórios? Aceitar a oferta doe emprego A em relação ao B? Qual pós-graduação fazer e em qual universidade? Fazer intercambio por seis meses largando nosso atual emprego? Ter filhos ou ser tio? Aposentadoria ou diversão presente? Participar de atividades sociais ou de caridade nos finais de semana?
O poder de tomar decisões de escolha está presente, desde as origens da humanidade. Vejamos o caso do Império Romano, que quando conquistava uma civilização decidiam em transpor, ou seja, destruir a cultura do vencido, ou transformar, assimilando o melhor da civilização perdedora e incorporando-a a cultura Romana.
Os sábios optaram por uma vida com “ausência de perturbações”, a uma vida com tempestades.

O Livre Arbítrio é um direito adquirido dos seres humanos, na qual se manifesta nos primeiros anos das nossas vidas. O balanceamento recai, na decisão certa ou errada que tomados, fundamentado nas pesquisas que realizamos, nos questionamentos que surgiram, nas analises detalhadas e técnicas que concluímos, na projeção de cenários positivos e negativos e as suas alternativas propostas, e, finalmente dos depoimentos tomados das pessoas que já passaram pela porta da vida, na qual pretendemos passar também.
_____________________
¹ Trade-Off, é uma expressão que define uma situação em que há conflito de escolha. Ocorre quando se abre mão de algum bem ou serviço para se obtiver outro bem ou serviço distinto.
Por: Fredy Nilson Garcia Panduro - http://meuartigo.brasilescola.uol.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário