QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Parabéns São Luís/Maranhão - 400 Anos...Patrimônio Cultural da Humanidade

Foto: Jorge H. Cavalcante

Fundada por franceses, no dia 8 de setembro de 1612, São Luís, capital do Maranhão, vive a euforia dos 400 anos.

O momento é festivo para os maranhenses, que comemoram os 400 anos da capital, que se apresenta para o turismo com suas belezas naturais e, sobretudo, seus prédios históricos que lhe conferiram o cobiçado título de Patrimônio Cultural da Humanidade.


O nome da capital do Maranhão é uma homenagem dos franceses ao Rei da França, Luís IX, também chamado de São Luís. O rei ficou popular porque durante seu reinado a França teve um excepcional poder político, econômico, militar e cultural. 


O país viveu "o século de ouro de São Luís". Assim, os franceses, em homenagem ao monarca, puseram o nome de São Luís na nova cidade.


O maior atrativo de São Luís é o centro histórico, uma área de 220 hectares. Ali, existem cerca de 2.500 imóveis tombados pelo patrimônio histórico estadual e 1000 pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).


O tombamento não garante a manutenção e muitos prédios estão destruídos pelo tempo. 

Parte do sítio histórico foi declarado Patrimônio Mundial, em 1997, por seu conjunto arquitetônico colonial português adaptado ao clima da cidade.


Foto: Jorge H. Cavalcante


O sítio inclui belos sobrados com mirantes, muitos revestidos com preciosos azulejos portugueses; casas térreas e solares. 


Os solares, sobrados suntuosos, possuem detalhes refinados e as casas térreas são passíveis de classificações, como por exemplo, morada inteira (porta com duas janelas de cada lado) e meia morada (porta lateral e duas janelas).


Entre as edificações históricas de destaque estão o Palácio dos Leões (sede do governo do Estado), o Palácio de La Ravardière (sede da prefeitura), a Catedral de São Luís, o Palácio Episcopal, o Convento do Carmo, o Convento das Mercês, a Casa das Tulhas, as igrejas do Rosário e do Desterro, a Casa das Minas, das Fontes e das Pedras e o Teatro Artur Azevedo.

São Luís esbanja sabores em sua gastronomia exótica e oferece belas praias, como Ponta d´Áreia, Praia de São Marcos, a preferida dos surfistas; Praia do Calhau, Olho d´Água e Praia do Meio. 

A cidade também oferece noites variadas pela diversidade de gostos e estilos musicais, bem como boa estrutura de bares, boates, restaurantes e casas de shows. Um dos points de diversão é a Lagoa do Jansen, dotada de infraestrutura adaptada à prática de esportes e com grande quantidade de bares e restaurantes para todos os públicos.

Em 1º de setembro de 2010, São Luís foi eleita a Capital Americana da Cultura para o ano de 2012. É uma iniciativa cultural, de cooperação e de promoção do destino nos países da América, respeitando a sua diversidade nacional e regional e destacando o seu valioso patrimônio cultural.

A história de São Luis está ligada diretamente com o Tratado de Tordesilhas. A divisão da recém descoberta América entre Portugal e Espanha não agradou a França. Isso que fez com que os franceses, ao longo de mais de um século, tentassem estabelecer colônias no Brasil. Primeiro a da França Antártica, no Rio de Janeiro, depois, a da França Equatorial em São Luís do Maranhão

Foto: Jorge H. Cavalcante

Ao longo desses 400 anos, a vida cultural da capital maranhense ganhou intensidade, e revelou para o Brasil e para o mundo vários artistas nas mais diferentes linguagens. Na música, o destaque é a sambista Alcione.

São Luís, a Atenas Brasileira, Cidade dos Azulejos, Ilha do Amor, Patrimônio Cultural da Humanidade. Todos esses títulos dão apenas uma ideia do significado da capital maranhense.

A cidade respira poesia pelas ruas do Centro Histórico e constantemente é a musa inspiradora de artistas que não se cansam de louvá-la.

Paixão declarada dos versos do poeta. Inspiração ontem, hoje, sempre. São Luís é mais que uma cidade, para os olhares do artistas é uma musa pronta para posar e virar obra de arte.

História marcada pelos fundadores e colonizadores europeus que trouxeram o lado erudito e o encontro de etnias que fez surgir crenças e festas, uma mistura que fez nascer uma cidade de muitas caras. 

Em quatro séculos, São Luís construiu uma rica história cultural, com a influência dos povos que ajudaram a formar a identidade da população e está presente nas artes plásticas, na literatura, na música, na diversidade, no folclore.

Foto: Jorge H. Cavalcante

A pesquisadora Ester Marque explica por que São Luís se tornou uma cidade cultural única no país. “Uma cidade marcada por várias etnias, cujas origens se perdem no tempo, mas foram deixando, cada um a sua maneira, uma herança que foi se misturando. A gente poderia chamar isso de um processo de miscigenação de culturas que acabou dando à cidade um tom fortemente diferenciado das outras capitais do nordeste, um tom mais alegre, mais jovial, um tom em que somente aqui dentro se percebe a alegria e a movimentação dessas narrativas que se constroem no dia a dia da cidade”, descreve ela.

Em diversas épocas, a vida cultural em São Luís ganha intensidade. Na literatura, surge uma enorme quantidade de intelectuais e escritores fazendo do Maranhão um grande cenário da poesia, da prosa e do jornalismo no século XIX. 

Para o escritor e integrante da Academia Maranhense de Letras, Sebastião Moreira, a tradição literária foi legado deixado pelos franceses. “Os franceses já começaram deixando livros como legado para a gente. Estes são livros que fazem uma diferença muito grande e existem cidades grandes hoje no Brasil que não tiveram uma certidão de nascimento tão documentada como São Luís do Maranhão”, conta ele.

A tradição da riqueza literária de São Luís também foi construída por um dos mais importantes nomes da literatura de língua portuguesa, Padre Antônio Vieira. “Não é à toa que Fernando Pessoa chama o Padre Vieira de o imperador da língua portuguesa. Aqui, o Padre Vieira deixou um rastro formidável de trabalho, fez sermões notabilíssimos, escreveu cartas...”, explica Sebastião Moreira, que diz ainda que os intelectuais e escritores maranhenses contribuíram com a formação da base da literatura brasileira.

Foto: Jorge H. Cavalcante

São Luís também é uma cidade recriada por meio de pincéis, espátulas e emoção. Ela passou a ser vista nas telas de vários artistas, cada um com seu estilo de retratar a cidade e muitos cenários. Com 40 anos e carreira, Péricles Rocha lembra que os artistas dos anos 40, 50 e 60 faziam uma reportagem visual de São Luís. Com sua geração, os traços da capital nas telas ganharam mais liberdade. Em sua recente exposição, Péricles Rocha mostrou por que as festas, a culinária e as lendas da cidade são fontes inesgotáveis de inspiração.

Por: W.Araújo - TV Mirante http://g1.globo.com/ma/maranhao/noticia/

Nenhum comentário:

Postar um comentário