QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

quinta-feira, 9 de maio de 2013

Ferramentas utilizadas no MASP (Método de Análise e Solução de Problemas)



MASP - (
Método de Análise e Solução de Problemas) - 
Algumas das várias técnicas, ou como gosto de chamar “ferramentas”, desta metodologia de análise que provavelmente você já conhece ou ouviu falar.
  • BRAINSTORMING 
O brainstorming, ou literalmente "tempestade cerebral" em inglês, ou ainda tempestade de idéias, mais que uma técnica de dinâmica de grupo, é uma atividade desenvolvida para explorar a potencialidade criativa de um indivíduo ou de um grupo colocando-a a serviço de objetivos pré-determinados.

É basicamente uma rodada de idéias, destinada a busca de sugestões para solução de problemas através do trabalho de grupo. Usado para gerar idéias rápidas e em quantidade, que podemos utilizar em diversas situações. 

De autoria de Alex Osborn, dentre diversos outros métodos, a técnica de brainstorming propõe que um grupo de pessoas, de duas até dez pessoas, se reúna e se utilizem das diferenças em seus pensamentos e idéias para que possam chegar a um denominador comum eficaz e com qualidade, gerando assim idéias inovadoras que levem o projeto adiante.

É preferível que as pessoas que se envolvam nesse método sejam de setores e competências diferentes, pois suas experiências diversas podem colaborar com a "tempestade de idéias" que se forma ao longo do processo de sugestões e discussões. Nenhuma idéia é descartada ou julgada como errada ou absurda. Todas as idéias são ouvidas e trazidas até o processo de brainwriting, que se constitui na compilação ou anotação de todas as idéias ocorridas no processo de brainstorming, em uma reunião com alguns participantes da sessão de brainstorming, e assim evoluindo as idéias até a chegada da solução efetiva.
Quando se necessita de respostas rápidas a questões relativamente simples, o brainstorming é uma das técnicas mais populares e eficazes.

  • DIAGRAMA DE DISPERSÃO
O diagrama de dispersão é um gráfico onde pontos no espaço cartesiano XY são usados para representar simultaneamente os valores de duas variáveis quantitativas medidas em cada elemento do conjunto de dados.

Permite a identificação do grau de relacionamento entre duas variáveis consideradas numa análise.

Quando observamos uma forte correlação podemos estabelecer a regressão entre as variáveis e através de fórmulas matemáticas utilizadas para fazer estimativas de uma variável em função da outra

O diagrama de dispersão é usado principalmente para visualizar a relação/associação entre duas variáveis, mas também para é muito útil para:
- Comparar o efeito de dois tratamentos no mesmo indivíduo;
- Verificar o efeito tipo antes/depois de um tratamento.


  • DIAGRAMA DE FLUXO
O diagrama de fluxos de dados (DFD) é uma ferramenta para a modelagem de sistemas. Ela fornece apenas uma visão do sistema, a visão estruturada das funções, ou seja, o fluxo dos dados.


  • COLETA DE DADOS
O Método de Coleta de Dados é o meio pelo qual a informação sobre as variáveis é coletada, conjunto de técnicas que, com o emprego de uma ”folha de verificação” apropriada, permite a obtenção de dados para um tratamento estatístico.


  • GRÁFICOS
Das mais variadas formas, os gráficos são ferramentas poderosas na veiculação de informações.
São destinados à síntese e apresentação dos dados, permitindo que sejam mais facilmente interpretados.


  • HISTOGRAMA
Na Estatística, um histograma, também conhecido como Distribuição de Frequências ou Diagrama das Frequências, é uma representação gráfica na qual um conjunto de dados é agrupado em classes uniformes, representado por um retângulo cuja base horizontal são as classes e seu intervalo e a altura vertical representa a frequência com que os valores desta classe estão presente no conjunto de dados. 

É uma das Sete Ferramentas da Qualidade. O histograma é um gráfico composto por retângulos justapostos em que a base de cada um deles corresponde ao intervalo de classe e a sua altura à respectiva freqüência. Quando o número de dados aumenta indefinidamente e o intervalo de classe tende a zero, a distribuição de freqüência passa para uma distribuição de densidade de probabilidades. 
A construção de histogramas tem caráter preliminar em qualquer estudo e é um importante indicador da distribuição de dados. Podem indicar se uma distribuição aproxima-se de uma função normal, como pode indicar mistura de populações quando se apresentam bimodais.
Basicamente são gráficos de colunas que mostram, de maneira visual muito clara, a freqüência com que ocorreu um determinado valor ou grupos de valores.



  • SIX SIGMA
UM SIGMA É…. Desvio padrão: mede o afastamento em relação a um valor central. Ele é representado tipicamente pela letra grega “σ”, logo, “Sigma” é um termo estatístico que mede o desvio em relação a um valor determinado.

O Seis Sigma ou Six Sigma (em inglês) é um conjunto de práticas originalmente desenvolvidas pela Motorola para melhorar sistematicamente os processos ao eliminar defeitos. Um defeito é definido como a não conformidade de um produto ou serviço com suas especificações. Seis Sigma também é definido como uma estratégia gerencial para promover mudanças nas organizações, fazendo com que se chegue a melhorias nos processos, produtos e serviços para a satisfação dos clientes. Diferente de outras formas de gerenciamento de processos produtivos ou administrativos o Six Sigma tem como prioridade a obtenção de resultados de forma planejada e clara, tanto de qualidade como principalmente financeiros.

O princípio fundamental do Seis Sigma é o de reduzir de forma contínua a variação nos processos, eliminando defeitos ou falhas nos produtos e serviços
Para melhorar a performance do processo, você tem que reduzir a variação.

Menos variação possibilita:
  - Maior previsibilidade do processo
  - Menos desperdício e retrabalho, o que abaixa os custos
  - Produtos e serviços melhores e mais duráveis
  - Clientes mais satisfeitos

Níveis de Performance:



O 6 Sigma como uma Filosofia:
- Desperdiça menos de 10% das vendas em custo de falhas;
- Produz 3,4 defeitos por milhão de oportunidades;
- Confia na Capacidade de processo que NÃO produz defeitos;
- Sabe que a companhia de alta qualidade também É a companhia de baixos custos;
- Tem uma metodologia para coletar e analisar as informações;
- Faz Benchmark com o melhor do mundo;
- Acredita que 99% é inaceitável!

Projetos Six Sigma seguem duas metodologias inspiradas pelo ciclo PDCA (Plan-Do-Check-Act Cycle) de Walter A. Shewhart (amplamente difundidas por W. Edwards Deming, no Japão pós-guerra). Estas metodologias, compostas de cinco fases cada, são chamadas pelos acronimos DMAIC e DMADV.

DMADV é usado para projetos focados em criar novos desenhos de produtos e processos;
DMAIC é usado para projetos focados em melhorar processos de negócios já existentes.

DMADV
A metodologia DMADV, também conhecida como DFSS ("Design For Six Sigma"), possui cinco fases:
Define goals: definição de objetivos que sejam consistentes com as demandas dos clientes e com a estratégia da empresa;
Measure and identify: mensurar e identificar características que são criticas para a qualidade, capacidades do produto, capacidade do processo de produção e riscos;
Analyze: analisar para desenvolver e projetar alternativas, criando um desenho de alto nível e avaliar as capacidades para selecionar o melhor projeto;
Design details: desenhar detalhes, aperfeiçoar o projeto e planejar a verificação do desenho. Esta fase se torna uma das mais longas pelo fato de necessitar muitos testes;
Verify the design: verificar o projeto, executar pilotos do processo, implementar o processo de produção e entregar ao proprietário do processo.

O DMAIC é um método de resolução de problemas dividido em cinco etapas:
Define (Definir),Measure (Medir), Analyze (Analisar), Improve (Melhorar) e Control (Controlar). 
Começou a ser difundido pela Motorola na década de 80 do século passado e foi massificado pela GE dentro do Programa Seis Sigma, que forma especialistas (conhecidos como Black e Green Belts) empenhados em atacar problemas de maneira organizada, e com apoio de ferramentas de qualidade e estatísticas mais complexas. 

A explicação sobre cada uma das etapas do DMAIC é dada abaixo:

D – Define
Definir com precisão o cenário do projeto, dizendo qual é o problema.
M – Measure
Determinar a localização ou foco do problema, mostrando onde está o problema.
A – Analyze
Determinar as causas de cada problema prioritário, comprovando porque temos os problemas.
I – Improve
Propor, avaliar e implementar soluções para cada problema prioritário, eliminando as suas causas.
C – Control
Planejar e executar ações complementares, de correção de rota ou caso não obtenham êxito, voltar ao passo 2.

Nenhum comentário:

Postar um comentário