QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

terça-feira, 5 de junho de 2018

O Transtorno De-Quem-Nunca-Caiu.


Hoje de manhã, li uma frase que me trouxe uma inquietação sem tamanho, era mais ou menos assim:

"Falta de sorte ou de oportunidade: é falta de trabalho duro e planejamento".

Eu já tive empregos horríveis, já ganhei bem pouco, já trabalhei em multinacional, já fiquei um tempo sem emprego, já me candidatei a vagas que eu não era capacitada e também me candidatei a vagas muito abaixo do meu currículo, já mudei de área, já estudei muito (e continuo estudando, sempre!), já me reinventei.

Até conseguir um norte, tive muitos altos e baixos em minha vida profissional. E quanto mais eu caminho nesse mundo, mais nítida é a percepção que tenho que as coisas podem mudar. E mudam depressa, de repente, sem você esperar. 

Tanto para melhor, quanto para pior. Num dia, você pode ser a cereja do bolo! No outro, você pode ser aquele pedaço esquecido, seco e esfarelado que ninguém quer. Por isso, o fator que mais admiro em um profissional é a HUMILDADE.

É saber que, em primeiro lugar, o teu conhecimento não te faz melhor nem pior que ninguém. Pelo contrário, deveria ser usado para ajudar o outro. 


Como é bom ter alguém que sabe muito e compartilha com você e/ou sua equipe aquilo que sabe fazer de melhor. 

Te dá dicas de como se tornar um bom profissional, ideias, e nem por isso está atrás de louros.
Em segundo, o mercado de trabalho é incerto e muita gente não reconhece isso, acha que está segura para sempre em seus empregos. - 

"Ah, mas sou SÊNIOR e tenho todas as especificações para este cargo! Sou demais!". Aí o seu diretor te troca pelo filho do sócio...rsrs. A coordenadora prefere um puxa-saco mais eficiente. 

O gestor quer alguém que acate a todas as suas ideias. Ou simplesmente, te trocam por um profissional mais eficiente e/ou que custe menos.

Ninguém tem o controle absoluto de nada, estamos TODOS expostos a qualquer tipo de mudança. Você pode se preparar, sim. E deve! Mas nem sempre se você trabalhar duro, fazer coaching, enviar milhares de currículos ao dia, ir a N entrevistas, ter uma coleção de pós-graduações farão você necessariamente conseguir/manter um emprego.

Diariamente vejo pessoas que têm realmente uma jornada de trabalho sem estarem trabalhando: são Job Hunters delas mesmas, investindo horas e horas a fio na procura de emprego. 

Pessoas que estudam, que se esforçam, enviam e entregam currículos, tentam manter sua empregabilidade em dia, planejam-se, sonham, submetem-se a subempregos. E nem por isso estão perto de terem o emprego dos sonhos (ou a menos um emprego).


Quanto mais as pessoas em busca de um emprego precisam "planejar-se"? "Trabalhar duro"? Foi aí que minha inquietação veio seguida de um entendimento...

Quando vejo o background dos que encaram o desemprego de outras pessoas como um insucesso pessoal/profissional ou de caráter, certamente é porque estão há anos na mesma empresa, acomodadas em seus mesmos empregos, fazendo as mesmas coisas (quizá subiram um ou dois cargos em 15 anos de empresa). 

Essas pessoas nunca "caíram", não passaram por desemprego, não tiveram que despender de um grande esforço para estar aonde estão e, simplesmente, acham que é tudo muito fácil e OS OUTROS que não se esforçam o suficiente. Certamente não entendem... Ficam lá, sentadas em seus tronos onipotentes, desclassificando o esforço alheio e metralhando desmotivação LinkedIn afora. Estão acometidos pelo Transtorno De-Quem-Nunca-Caiu.

Você que está buscando: Vivemos um momento muito delicado em nosso país, muitas vezes não há nem vagas para se candidatar. Mas estude, se prepare e faça a parte que lhe cabe para quando sua vaga surgir. 

Você não é ruim porque não está trabalhando e nem quem está empregado é melhor. Simplesmente a oportunidade não surgiu. Continue, não desista; uma hora vai dar certo!!

Você que possui o Transtorno De-Quem-Nunca-Caiu: Procure tratamento urgente. E lembre-se que os desempregados de quem você fala, estão se preparando. E você?

Por: Niara Ananias - https://www.linkedin.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário