QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

segunda-feira, 25 de junho de 2018

Fluxo de Caixa em 6 passos

O equilíbrio entre receitas e despesas é um fator fundamental para o sucesso de uma empresa. 
Organizações que gastam menos do que arrecadam são aquelas que conseguem se manter por mais tempo no mercado, exibindo saúde financeira e demonstrando capacidade de investir constantemente em novos negócios. E esse equilíbrio é mantido pelo fluxo de caixa.
O fluxo de caixa é o controle rigoroso de todos os recursos que entram e todos os que saem dos cofres da empresa. 
Gestores que não possuem este controle dificilmente conseguem manter a empresa funcionando bem, já que não têm a exata noção da saúde da organização.
Veja algumas dicas para organizar o fluxo de caixa da sua empresa e incrementar sua gestão contábil:

1. Determine um período

O acompanhamento do fluxo de caixa pode ser diário, semanal, quinzenal ou, no máximo, mensal. 
Não deixe para realizar a conferência em um período maior do que o de 30 dias, pois assim você perde o controle mais facilmente e fica com menos ferramentas nas mãos para corrigir eventuais desvios.

A periodicidade ideal vai depender do porte e do volume de negócios realizados pela organização. Mas o controle diário, mesmo que mais trabalhoso, é a melhor receita.

2. Identifique as receitas e despesas

Em geral, empresas têm uma movimentação financeira muito grande. Para facilitar o acompanhamento do fluxo de caixa, você deve adotar uma metodologia de cores para identificar as entradas e saídas de recursos. 
Assim, você consegue ter uma visão global do resultado final do caixa no dia.
A sugestão mais simples é adotar o verde para as receitas e o vermelho para as despesas.

3. Identifique desvios na sua movimentação financeira

Quando estiver fazendo a conferência do seu fluxo de caixa, você deve ter em mãos a previsão de gastos para o período correspondente. 
O ideal é que você consiga identificar os desvios que tiverem ocorrido, para poder discutir soluções para os próximos dias.

4. Registre todas as contas a pagar e a receber

O fluxo de caixa considera, dentro das receitas e despesas, as contas a pagar e a receber. 
Afinal, embora não sejam diretamente relacionadas ao negócio, elas impactam o caixa da organização.
Faça uma previsão das contas de consumo, dos aluguéis e de todas as entradas e saídas fixas para poder conferir se essas movimentações ocorreram efetivamente. 
O que possibilita que você não fique com um resultado irreal em seu fluxo de caixa.

5. Organize as receitas e despesas em categorias

Outra boa dica para organizar seu fluxo de caixa é agrupar as receitas e despesas em grandes categorias. 
Desse modo, você consegue setorizar melhor a sua empresa e ver em quais tipos de serviços você está gastando mais ou recebendo mais dinheiro.

6. Crie centros de custos e de lucros

Se a sua empresa é de médio porte, ou maior, provavelmente ela funciona dividida em vários setores. 
Para controlar o fluxo de caixa nesses casos o mais aconselhável é criar centro de custos e de lucros e você saberá quais áreas foram responsáveis por quais receitas ou despesas.
Copiado: http://www.mxm.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário