QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sexta-feira, 27 de abril de 2018

A NOVA BATALHA DE NIKAIA

Com inspiração na deusa grega, mulheres ajudam outras a se empoderarem e mostrar o seu lugar

A luta feminina está diariamente nos jornais. 

As mudanças trazidas pelo príncipe Mohammed bin Salman na Arábia Saudita são apenas uma demonstração de extremismo nos limites impostos às mulheres e que só agora poderão dirigir, por exemplo.


Porém, a trajetória feminina vai além do mundo árabe. Mesmo em sociedades mais modernas, a mulher enfrenta a realidade de oportunidades reduzidas. De acordo com a Pnad 2015, as mulheres representam 44% da força de trabalho no Brasil, mas apenas 37% dos cargos de liderança.

Hoje, as empresárias já são quase 8 milhões, porém, segundo o Sebrae, a maioria atua em empresas informais ou com menor estrutura. Infelizmente, a realidade brasileira não é única.

Para se ter ideia, no Vale do Silício apenas 2% das startups são chefiadas por mulheres. Racionalmente, todos consideram esses dados absurdos. Mas, esses conceitos continuam entranhados em nossa cultura. 

Ao longo do tempo buscam-se alternativas para provar a importância das mulheres nas organizações. Mas, a especialista em diversidade nas organizações, Sarah Kaplan, da Rotman School of Management, trouxe à tona uma questão.

  • Por que temos que provar que a mulher é necessária nas organizações? 
  • Por que criar casos para justificar o seu desempenho? 
  • Alguém já pediu isso a um homem? 
  • A verdade é que até nossas questões são permeadas por essa visão.

A história da mulher é marcada pela busca de uma justificativa para ser valorizada e por equilibrar milhares de pratos ao mesmo tempo. 

No entanto, a história que temos que escrever é a da deusa grega Nikaia ou Nice que estava sempre próxima à Atena, a deusa da estratégia e das batalhas, garantindo-lhe o bom resultado. 

E foi para mostrar esse lado vitorioso da mulher, que eu, juntamente com nove outras coaches oriundas de carreiras executivas, criamos o Grupo Nikaia.

O objetivo é empoderar as mulheres e fazer que entendam o contexto no qual estão inseridas dentro das organizações, além de fazer com que acreditem na sua capacidade de voar e chegar aonde desejam, como a deusa grega. 

Essa batalha é longa e árdua. 

Que Nikaia nos garanta mais uma vitória!


Por: Ana Paula Alfredo - http://www.gestaoenegocios.digisa.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário