QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

quinta-feira, 18 de maio de 2017

Absenteísmo nas Empresas

absenteísmo, palavra de difícil pronúncia, pouco utilizada e completamente desconhecida por muitas pessoas, é uma palavra de origem latina e significa "estar fora, afastado ou ausente". De uma forma mais simples, o absenteísmo nada mais é que a ausência do funcionário no ambiente de trabalho. 
Na prática, refere-se ao número de horas de trabalho perdidas, seja por faltas, saídas ou atrasos, justificados ou não.
Em  uma empresa, o colaborador que se abstém de executar suas atividades ou funções laborais está cometendo o absenteísmo. Bons exemplos disto é o de um funcionário faltar ao trabalho devido a algum tipo de doença, problemas familiares, motivos pessoais, dificuldades financeiras, dificuldades de transporte, falta de motivação, entre outras. O que muitos empresários não têm conhecimento é que o absenteísmo traz uma série de problemas à empresa, aumentando os custos e dificultando a concretização dos seus objetivos. 

Como resultado, e muito negativo por sinal, o absenteísmo, uma das grandes preocupações das organizações, afeta a eficácia e eficiência da empresa.

  • O que o absenteísmo revela?
O absenteísmo, por outro lado, tem o seu lado menos ruim, já que indica aos responsáveis pela empresa que algo muito desfavorável está acontecendo. Isto pode ser um indicativo, por exemplo, de que certos colaboradores estão perturbando o bem-estar do grupo; ou que os funcionários da empresa estão insatisfeitos com a forma de tratamento interna; ou que está havendo uma incorreta distribuição das tarefas, sobrecarregando uns em detrimento de outros; e muito mais.
  • Por que é tão importante cultivar uma boa relação interna com e entre os funcionários?
Em ocasiões diversas, o absenteísmo é apresentado por causas sociais ou psíquicas. Sendo assim, fomentar as relações humanas dentro da empresa é uma das melhores maneiras de combatê-lo.
  • Fatores que contribuem para o absenteísmo
1- Líderes inexperientes - 

Líderes despreparados delegam ordens de forma arbitrária, o que afugenta os membros de sua equipe.

2- Falta de infraestrutura - 
Funcionários que se sentem “amarrados” na execução de suas atividades, por não disporem de recursos mínimos para tal, devido a uma inadequada infraestrutura que os dê suporte, são fortes candidatos ao absenteísmo.


3- Metas intangíveis - 
O estabelecimento de metas, geralmente, já é o suficiente para causar grande estresse nos colaboradores. Quando essas metas são impossíveis de se alcançar, então, podem oprimir os colaboradores da empresa e, neste momento, talvez por não saberem lidar com a situação, fogem do ambiente de trabalho.



4- Comunicação inadequada e ineficiente - 
Qualquer comunicação ineficiente ou até mesmo a falta de comunicação na empresa leva os funcionários a fazerem interpretações errôneas sobre determinadas situações. Esta situação leva os integrantes da empresa a se sentirem desestimulados enquanto funcionários e, consequentemente, aumenta o número de absenteísmo na empresa.

5- Desmotivação - 

Funcionários desmotivados, devido a brigas, clima ruim entre seus companheiros, falta de pagamento, por falta de feedback de seus líderes, imaturidade profissional, ou outros motivos mais, tendem a faltar ao trabalho.

6- Doenças ocupacionais - 
O exercício da atividade profissional de forma inadequada faz com que o organismo do trabalhador seja agredido, seja fisicamente ou mentalmente, o que eleva a taxa de absenteísmo na empresa. 


7- Assédio moral - 
O assédio moral, fator de extrema gravidade para a empresa como um todo, é um dos que mais contribuem para a ausência do funcionário no ambiente de trabalho. São várias as formas em que o assédio moral pode ocorre, mas o que importa é que trata-se de um assunto grave e deve ser tratado com austeridade pelas organizações.



  • Como calcular o nível de absenteísmo na empresa? - Cálculo individual
Suponha o período de um mês de trabalho e uma equipe de 10 pessoas.
1- Calcule quantas horas de trabalho a equipe toda deveria trabalhar no mês, sem faltas, atrasos ou saídas antes do horário;
Por exemplo:
Cada funcionário trabalha 6 horas por dia, 5 dias na semana, 4 semanas no mês. 
Então, 6 x 5 X 4 = 120 h/mês.

2- Some os atrasos, faltas e saídas antecipadas da equipe;
Por exemplo:
Se durante o mês 5 funcionários faltaram, você deverá transformar os dias perdidos em horas.
Então, 5 dias faltados x 6 horas diárias de trabalho = 30 horas perdidas no mês.


3- Agora, some os minutos de atrasos e transforme-os em horas
Por exemplo:
Imagine que em sua equipe 6 funcionários atrasaram 20 minutos durante o mês todo.
Logo 6 x 20 min/pessoa = 120 min de atraso no mês, que equivale a 2 h de atraso em toda a equipe.


4- Agora some as horas faltadas com as horas atrasadas e obtenha o numero total de horas de trabalho perdidas no mês. 
Por exemplo:
2 h/atraso + 30 h/altas = 32 horas perdidas.


5- Dívida o número de horas perdidas pelo número de horas de trabalho (obtido no 1º passo) e multiplique por 100, obtendo a porcentagem de absenteísmo de toda a equipe.
Por exemplo:
32 h/perdidas em um total de 1000 horas no mês
Então, 32/1000×100 = 3,2.
 3,2% de absenteísmo no mês!


Por Silvana Teixeira - https://www.cpt.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário