QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, VIATNT e AGUASHOW), Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

Você Pode Tudo, Menos Desistir!

Certa vez em uma palestra aprendi que antes de entrar em cena, o elefante de circo permanece preso, quieto e contido somente por uma corrente que aprisiona uma de suas patas a uma pequena estaca cravada no solo. 
A estaca é só um pequeno pedaço de madeira. E, ainda que a corrente fosse grossa, parece óbvio que ele com sua própria força, poderia, com facilidade, arrancá-la do solo e fugir.
Então descobri que o elefante do circo não escapa porque foi preso à estaca ainda muito pequeno. E quando isso aconteceu, o elefantinho puxou, forçou, tentando se soltar. E, apesar de todo o esforço, não pôde sair. A estaca era muito pesada para ele. 
E o elefantinho tentava, tentava e nada. Até que um dia, cansado, aceitou o seu destino: ficar amarrado na estaca, balançando o corpo de lá para cá, eternamente, esperando a hora de entrar no espetáculo.
Então, aquele elefantinho cresceu e se tornou enorme, porém não se solta porque acredita que não pode. Para que ele consiga quebrar os grilhões é necessário que ocorra algo fora do comum, como um incêndio por exemplo. O medo do fogo faria com que o elefante em desespero quebrasse a corrente e fugisse.
Assim acontece com as pessoas, seguem ordens todos os dias e nunca fizeram nada diferente do que foram treinadas. Algumas até fazem, quando a vida lhe obriga! Conforme diz Flávio Augusto da Silva em seu livro GV 2: As pessoas que foram criadas dentro de um sistema, aprenderam a viver nos limites de uma gaiola corporativa, comendo a porção de alpiste colocada no pratinho todo o mês. Como só conheceram esse modelo de vida, acreditam que não há escolha, por isso tem muito medo de bater asas e voar. Assim, continuam ali, conformando-se cada vez mais com seu estilo de vida.
Eu te convido a acreditar mais em você, a correr atrás do que realmente deseja, e mesmo que te critiquem, não tenha vergonha dos seus sonhos. 
Respeite a opinião de todos, mas tenha em mente aonde você quer chegar e orgulhe-se disso. Não espere as oportunidades aparecerem, quando você mesmo pode criá-las...
Por: Karol Gomes Santos - https://www.linkedin.com/pulse

Nenhum comentário:

Postar um comentário