QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sexta-feira, 17 de fevereiro de 2017

CONTROLE DE ACESSO À INTERNET NAS EMPRESAS, O QUE BLOQUEAR E O QUE LIBERAR?

Controlar o acesso à internet durante o trabalho é uma prática comum nas empresas e cada vez mais necessária, considerando os riscos que a internet apresenta em relação a segurança da informação e principalmente o tempo desperdiçado pelos profissionais em atividades não relacionadas ao trabalho, como redes sociais, e-mail pessoal, comunicadores instantâneos, sites de entretenimento e outros.
A definição do que será bloqueado e o que fica liberado para acesso deve partir de uma análise das atividades realizadas pelas equipes, definindo quais tipos de conteúdos e serviços fazem parte das atividades da empresa e quais contribuem para o desperdício de tempo da equipe. Também é importante, antes de definir o que será bloqueada, obter relatórios de acesso para identificar o que os profissionais costumam acessar e então, criar filtros de acesso que evitem o acesso a sites que não tenham relação com o negócio da empresa.
Na definição da política de acesso é importante ter bom senso e coerência, há tipos de conteúdo que inevitavelmente devem ser bloqueados, porém, temos alguns sites que podem ser liberados para alguns setores ou em horários específicos, de acordo com as responsabilidades de cada equipe e até mesmo como alternativa para descanso e relaxamento em pequenos intervalos durante o trabalho.
Veja os principais tipos de conteúdo que devem ser avaliados para a definição de uma boa política de controle de acesso à Internet na sua empresa:
SITES NOCIVOS - A internet está repleta de ameaças e sites que podem causar problemas de segurança para sua empresa. É comum o recebimento de spam com links para sites maliciosos que podem instalar vírus e malwares nos computadores, esses programas são nocivos e podem causar sérios problemas, desde lentidão nos computadores e na internet, até perda de informação e captura de dados sigilosos, como senhas de banco e acesso a sistemas. Por isso, é fundamental evitar o acesso a esses sites na sua empresa.
REDES SOCIAIS - De longe o acesso às redes sociais é o fator que mais contribui para o desperdício de tempo no trabalho. No Brasil, 90% dos usuários de internet possuem perfil em ao menos uma rede social e pesquisas apontam que 72% dos profissionais acessam seus perfis sociais durante o trabalho. Uma alternativa é liberar o acesso em alguns horários ou somente para os colaboradores que utilizam as redes sociais para atividades da empresa, como atendimento a clientes ou marketing.

E-MAIL PESSOAL - Semelhante às redes sociais, a maioria dos profissionais costumam acessar o e-mail pessoal durante o trabalho, para troca de mensagens com familiares, amigos, estudos e outros. É recomendada o bloqueio do e-mail pessoal, ficando como alternativa a liberação do acesso em horários específicos de intervalo.

PORNOGRAFIA, VIOLÊNCIA, DROGAS E BEBIDAS ALCOÓLICAS - 

Você pode imaginar que esse tipo de conteúdo não é acessado pelos seus colaboradores, mas a realidade pode mostrar o contrário, por isso é importante o bloqueio irrestrito para qualquer tipo de conteúdo impróprio como pornografia e violência.
Também é importante acompanhar os relatórios de acesso para verificar quem está acessando ou tentando acessar conteúdos impróprios, nesse caso o recomendado é informar o colaborador e no caso de reincidência, aplicar notificações e penalidades.

ÁUDIO, VÍDEO E ENTRETENIMENTO - 

Serviços de vídeo como o Youtube ou rádios on-line, são os maiores vilões na perda de concentração durante o trabalho e também contribuem muito para a lentidão da internet, pois consomem muitos recursos da rede. Além disso, é comum os profissionais acessarem sites de entretenimento, como esportes, novelas ou outras áreas de interesse pessoal. Considerando isso, é recomendado haver algum tipo de restrição para esses sites, principalmente em horários ou períodos de maior utilização da internet, como início de turno e dias do mês que concentram a execução de atividades importantes da empresa, como o envio de guias de impostos em um escritório de contabilidade.

COMUNICADORES VIA INTERNET

Mais um tipo de serviço que contribui para o desperdício de tempo são os comunicadores instantâneos, como Skype, WhatsApp, Facebook Messenger e outros. Para esses serviços, também é recomendado algum tipo de restrição, podendo ser liberado caso utilizado para atendimento a clientes ou vendas, também pode haver liberação em horários específicos de intervalo.

ARMAZENAMENTO DE ARQUIVOS E DOWNLOAD DE SOFTWARE

Esses tipos de sites também contribuem em prejudicar o desempenho da internet, pois serviços de armazenamento de arquivos costumam ser utilizados pra transferência de arquivos pesados. Além disso, sites de download de software podem oferecer arquivos maliciosos que venham a instalar programas indesejados nos computadores. Para evitar riscos, também é recomendado o bloqueio desses sites, ficando liberados somente em casos onde são necessários para atividades da empresa, como troca de arquivos pesados com clientes, como pode ser a necessidade de uma agência de publicidade ou uma gráfica.

JOGOS E APOSTAS - 

Mais um tipo tipo de conteúdo que você pode pensar que seus colaboradores não acessam durante o trabalho, mas acessar sites de jogos pode ser mais frequente do que você imagina. Como esse tipo de conteúdo raramente terá relação com as atividades da sua empresa, o recomendado é bloquear o acesso sem nenhum tipo de liberação por horário ou setor.

OUTROS - 

Ainda temos alguns outros tipos de sites que devem ser considerados na definição da política de acesso a internet da sua empresa, veja abaixo:
  • Compras e e-commerce
  • Empregos
  • Esportes
  • Governo e política
  • Moda e beleza
  • Religião e esoterismo
  • Viagem e turismo
É importante ressaltar que em cada um dos tipos ou categorias de conteúdos, podem haver exceções, por exemplo, você pode bloquear o acesso às redes sociais deixando liberado o acesso somente ao LinkedIn, porque é usado pelo setor de recursos humanos para recrutamento, ou pode bloquear comunicadores instantâneos, mantendo o Skype liberado na sua equipe de vendas para atendimento aos clientes.
Novamente, a definição de uma política de acesso eficiente passa pelo bom senso e equilíbrio. Podendo haver serviços liberados em alguns horários de descanso e intervalos e ao mesmo tempo permitindo aos colaboradores acesso a alguns conteúdos do seu interesse até mesmo pessoal. Afinal, é importante haver momentos de descanso durante o trabalho, para que os colaboradores possam relaxar e com isso retomar suas atividades com mais concentração e foco.
Para implementar o controle de acesso à internet na sua empresa, existem diferentes alternativas, como soluções tradicionais de firewall/proxy Linux fornecidas por empresas especializadas, que demandam maior investimento com servidores, mão de obra especializada e manutenção constante, outras opções são Dell Sonic WallFortinet FortGate e semelhantes, ou então soluções mais modernas, que utilizam recursos em nuvem, são mais acessíveis e de fácil implementação e gerenciamento. Esse tipo de serviço é principalmente recomendado para empresas de até médio porte, boas opções são OpenDNS ou Lumiun.
Na escolha da melhor opção para para gerenciar o acesso a internet é importante definir bem as necessidades da sua empresa e comparar os custos, características e benefícios de cada uma das soluções existentes.
Copiado: https://www.profissionaisti.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário