QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sexta-feira, 8 de julho de 2016

Não Entre Em Pânico Com Uma Demissão!

Semana passada, um amigo me procurou para dizer que tinha sido demitido. Após perguntar o motivo do desligamento e ouvir o seu desabafo, mudei o foco e fiz 5 perguntas: 
1. Quanto ele tinha economizado para enfrentar um período de recolocação;
2. Flexibilidade dele em relação a salário; 
3. Mudança de cargo; 
4.Mudança de cidade e; 
5. A disposição e planejamento que tinha para aproveitar a oportunidade e virar um empreendedor.
Infelizmente quando as pessoas estão empregadas, esquecem que a empresa pode demitir a qualquer momento, seja por reestruturação organizacional, desvio de ética ou performance.
Em relação a reestruturação organizacional, pouco se pode fazer nesse momento. Foi o caso do meu amigo. No entanto, durante o comunicado de desligamento, ele fez uma sugestão ao Diretor da empresa e, felizmente, foi cancelada sua demissão e designado para o novo desafio proposto.
Não é usual acontecer isso! Mas até nesse momento é importante ter visão sistêmica e tentar um saída estratégica.
  • O desligamento por performance é bem mais comum, e acontece com bastante frequência. Infelizmente nesses casos, alguns colaboradores são surpreendidos quando recebem o comunicado. Não deveria acontecer! Pois o gestor imediato deve ser franco e co-responsável durante a jornada do colaborador na empresa.
  • Franqueza é uma coisa difícil, mas necessária para orientar o que precisamos fazer para continuar evoluindo, pessoal ou profissionalmente. Quando fica transparente para o colaborador que ele não está entregando os resultados esperados, a demissão se torna descomplicada e esperada.
  • A responsabilidade dessa conversa franca não deve ser somente da liderança, os colaboradores também devem requisitá-la, do colega que senta ao lado ou de alguém mais sênior de dentro ou fora da empresa.

Normalmente as pessoas não requisitam esse tipo de "feedback" porque temem o que podem ouvir. É mais confortável não saber! Nesses casos, correm um grande risco na carreira.
As melhores empresas para se trabalhar, estruturam programas de avaliação de desempenho, obrigando os líderes a conversarem de forma estruturada com seus liderados, pelo menos uma vez ao ano.
Em relação a 5 perguntas, não deixe para respondê-las somente quando for "surpreendido" com uma demissão. 
O melhor que pode fazer nesse momento é estar pronto e com um planejamento para uma nova fase na vida!
Por: 

Nenhum comentário:

Postar um comentário