QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

terça-feira, 19 de julho de 2016

Empresas Familiares: Alguns Exemplos de Problemas e Suas Soluções.


Uma empresa é um organismo vivo, que se modifica aos poucos com o passar do tempo e sofre com problemas de várias naturezas, sejam novos e inesperados, ou antigos, que parecem ser difíceis de solucionar.  

Quando se procuram alternativas,estas  podem gerar também novas oportunidades,que  a seguir são abordadas com sugestão de soluções.

  1. Ausência de um plano de carreira geral aberto a todos, reservando  os cargos mais altos para os filhos e filhas, gerando um muro intransponível  aos demais colaboradores, que mesmo capacitados, não terão acesso aos cargos diretivos, nem por antiguidade. 
  • Solução: definir diretrizes para gestão das pessoas na empresa, com plano de carreira aberto a todos, baseado em capacitação e competência pessoal, sem favorecimentos.
  1. Brigas entre sócios ou herdeiros, por divergências menores, como aquisição de carros por um sócio ou esposa, cuja retirada é similar, enquanto o outro fica com o carro velho, ou mesmo por ciúmes pessoais ou mesmo usar o caixa da empresa, para avalizar a compra ou financiá-la. 
  • Solução:estabelecer acordos societários e éticos, sobre retiradas do pró-labore, de acordo com faturamento e capacidade financeira da empresa,  estabelecendo valores equilibrados, que não causem prejuízos ao fluxo de caixa e impedindo o uso dos recursos da companhia para pagar contas pessoais, além de salários formais, para familiares que ocupam funções executivas ou administrativas, no mesmo nível do mercado e outros funcionários de nível similar.

  1. Colocar dentro da empresa pessoas que terão dificuldade para demitir ou transformar a empresa em cabide de empregos, poderá gerar uma situação crítica, se não derem certo nas funções, como parentes próximos, primos, cunhados, genros, noras, amigos de infância, cuja futura demissão poderá gerar fim dos relacionamentos pessoais entre as partes envolvidas.
  • Solução: criar um processo de recrutamento e seleção de pessoas, técnico, baseado em competências e formação compatível com as funções, independente do parentesco e nos acordos societários e éticos, estabelecer se fecha ou mantém aberta a possibilidade da contratação de parentes próximos e salários para funções exercidas, no patamar do mercado, sem favorecimento pessoal.
  1. Dificuldade em separar os fluxos de caixa pessoal e da empresa,usando cheques da empresa para pagar aquisições pessoais e a própria conta corrente, através de cartões ou cheques, para quitar contas da empresa,  gerando recibos ou notas fiscais, que depois serão acertadas pelo financeiro, criando uma confusão na contabilidade  destes documentos.
  • Solução: separar o caixa da empresa do caixa pessoal, fazendo suas compras com os recursos do pró-labore ou salário definido para função exercida e pago nos dias da folha de pagamento e pagando contas da empresa  com seus próprios recursos, planejando melhor as compras, para evitar sufocos financeiros em datas inadequadas.
  1. Dificuldade na gestão dos patrimônios e recursos materiais ou uso dos recursos materiais, veículos e instalações da empresa, misturando uso dos veículos profissionalmente com fins pessoais ou viagens particulares, funcionários limpando piscinas ou chácaras de sócios,  buscando crianças nos colégios, comprar casa na praia para uso dos sócios e uns usar  outros não.
  • Solução: estabelecer nos acordos societários e éticos, como proceder em relação aos patrimônios e recursos materiais e obter o consenso entre sócios e herdeiros quanto a isso, mantendo um conselho familiar , que vai fiscalizar e disciplinar os acordos feitos.
  1. Dificuldade para treinar e avaliar os herdeiros e sucessores, com rédea frouxa, com relação à formação escolar e especialização ou  adiar a busca de um “Coach de Gestão Familiar” para acompanhamento pessoal dos herdeiros e com isso prolongar o tempo de capacitação dos mesmos. Ou mesmo, avaliar de forma muito dura os herdeiros mais próximos, endurecendo a ocupação dos espaços ou amolecendo demais e pulando etapas, como em casos de famílias que colocam os filhos ainda verdes nos cargos mais altos, por uma questão de status familiar. A palavra chave é PROFISSIONALIZAÇÃO TOTAL, para todos, sejam parentes ou não.
  • Solução: estabelecer dentro dos acordos societários e éticos, os procedimentos formais para treinar, capacitar e avaliar os herdeiros e sucessores, seja na formação básica essencial,  direcionada ao negócio e suas áreas de atuação, seja na especialização, visando enriquecer funções ocupadas, seja em viagens de negócios, para conhecer novas tecnologias que possam ser incorporadas, trabalhar em outras empresas durante uma temporada para ter uma visão mais abrangente do mercado.
  1. Discriminação no uso das instalações da empresa, seja refeitório, com mesas reservadas,  ou estacionamento, como placas “reservado para diretoria” ou dr. Fulano...
  • Solução: integrar os ambientes de refeição, como já ocorre em grandes empresas, como Petrobrás, Bradesco  e outras, onde ambientes corporativos como sala de diretoria são integradas, sem paredes ou salas fechadas.  E criar estacionamentos, de acordo com a quantidade de carros existentes na empresa.
  1. Divergência de interesse entre dirigentes e herdeiros e sucessores, quanto ao futuro do negócio, afetando decisões de investimento, seja em pessoas, instalações, máquinas e equipamentos, adiando, perdendo oportunidades.
  • Solução: estabelecer um processo para tomada de decisões corporativas, que reduzam o tempo de implantação das ações tomadas, evitando que sejam adiadas por questões pessoais dos envolvidos e ter um conselho, que através de um representante, direcione as decisões, para superar os conflitos de interesse ou personalidades. Também poderão separar os divergentes,  que ainda tenham competência para continuar no negócio, em unidades diferentes, onde possam mostrar resultados, sem ocorrer choque pessoal entre os mesmos.
  1. Estrutura organizacional não competitiva e desatualizada, perdendo capacidade de competir no mercado em que atua, com produtos defasados, estrutura funcional acomodada, perdendo espaços para concorrentes antigos ou novos.
  • Solução: realizar uma reengenharia administrativa, na estrutura organizacional, redesenhando a organização, suas funções e seus produtos e investimento para recuperar ou ocupar novos espaços no mercado.

  1. Excesso de herdeiros e sucessores na geração atual da empresa, com lotação maior que a capacidade financeira da empresa, para manter um padrão social compatível com os desejos pessoais.
  • Solução: expandir os negócios, inclusive incentivando a criação de empresas pessoais não concorrentes com a atividade fim do negócio principal, que poderão ser fornecedoras ou mesmo atuar de forma independente, gerando caixa adicional para suprir as necessidades pessoais dos sócios, que o pró-labore e salário não comportem. Definir também a quantidade de herdeiros e parentes que a empresa poderá absorver e incentivar a busca por carreiras independentes, para manter o equilíbrio entre espaços disponíveis e quantidade de herdeiros desejando ingressar no negócio da família.  Afunilar o processo para entrada de familiares, ou seja, tem espaço, é capacitado, entra. Se não for, fica fora. Não tem espaço, ninguém entra. É uma forma de criar um critério, que deverá constar nos acordos societários e éticos.

Por: João Mariano de Almeida - http://www.estudantesdeadm.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário