QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, VIATNT e AGUASHOW), Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

quinta-feira, 19 de maio de 2016

Por Que Não Dão Retorno Depois das Entrevistas de Emprego? Veja Cinco Razões

Você pesquisou sobre a empresa em que queria trabalhar, se preparou para a entrevista e achou até que foi bem... Mas, depois do encontro com o entrevistador, vem o silêncio. 
Nenhum e-mail ou telefonema para dar um retorno, seja ele negativo ou positivo. Pois isso é mais comum do que se imagina. O site americano Mashable listou cinco motivos pelos quais as empresas não dão feedback depois de uma entrevista de emprego e as melhores formas para lidar com isso.
1) Eles simplesmente não estão interessados. Vamos ser francos: mesmo que você tenha achado que arrasou na entrevista, pode simplesmente haver outra pessoa que ganhou o coração do recrutador. E, em vez de entrar em contato com um e-mail dizendo que “o problema não é você”, o gestor ou entrevistador pode acabar optando por não falar nada. Se um outro candidato foi escolhido para a vaga, não há muito mais a ser feito. “Você pode mandar um e-mail para demonstrar que continua interessado na empresa. Reafirme seu entusiasmo com a possibilidade de trabalhar na companhia e diga que espera poder manter o contato no futuro”, afirma Alexandra Levit, especialista em recursos humanos. Assim, você mostra que “sabe perder” e ajuda a fazer com que os recrutadores se lembrem do seu currículo mais facilmente no futuro.
2) A empresa teme questões legais. Pode ser que você nunca mais tenha notícias da empresa quando a companhia teme ser processada por informar as razões pelas quais um candidato não foi escolhido para uma vaga. Caso não consiga viver sem entender os motivos, pode valer a pena entrar em contato e se comprometer a não divulgar as informações e até mesmo assinar um termo de confidencialidade, prática que é mais comum nos Estados Unidos do que no Brasil. Mas tenha cuidado para mandar o e-mail em tom educado — e não amargo — e deixe claro que você gostaria de obter mais informações para se tornar um profissional mais forte e qualificado. Ainda assim, esse tipo de approach nem sempre dá certo. 
3) Eles ainda estão fazendo entrevistas e negociando. Talvez a empresa tenha decidido por um outro candidato e esteja em processo de negociação com esse profissional e, por isso, ainda não entrou em contato, pois você pode ser a segunda opção, caso a negociação não vá para frente. Depois de duas semanas da entrevista, é perfeitamente aceitável entrar em contato para procurar saber como anda o processo de seleção. A melhor forma de fazer isso é por e-mail e não por telefone — Alexandra Levit recomenda não mandar mais de três e-mails em dois meses. “Se, em dois meses, ninguém responder, é hora de seguir em frente”, diz a especialista.

4) A vaga foi eliminada ou congelada. Depois de sua entrevista, a empresa pode ter sido surpreendida com a notícia de que precisa cortar gastos e, assim, eliminar posições, o que pode resultar numa pausa no processo de seleção. A companhia também pode ter sido forçada a reconfigurar suas equipes em função da saída de algum gestor ou outro funcionário, por exemplo. Nesses casos, não há muito o que ser feito, além de esperar. Mas, como não há garantia de que a vaga seja reaberta, o melhor a fazer é continuar a busca por emprego.
5) É apenas falta de consideração pelos outros. Em alguns casos, a empresa recebe tantos currículos que não tem como responder a cada um. Em muitos casos, também falta essa preocupação. “Infelizmente, a prática de não entrar em contato com candidatos que não foram selecionados é a norma”, diz Alexandra Levit. Agora, caso a empresa tenha o cuidado de dar o feedback, mesmo que negativo, não a deixe de lado. “Mantenha essa empresa em seu radar, porque provavelmente ela tem uma cultura corporativa bacana”.

Nenhum comentário:

Postar um comentário