QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

quinta-feira, 31 de março de 2016

Você acha que é Multitarefa? Cuidado, seu Foco está comprometido.

Você atende seu celular enquanto dirige seu carro? 
Conversa com um amigo enquanto checa suas mensagens ou posta uma foto no seu aplicativo preferido???
Parece que a velocidade da vida aumentou de tal forma, que precisamos fazer várias coisas ao mesmo tempo e o tempo todo… Este é um dos efeitos colaterais de nosso mundo tecnológico, onde estamos plugados 24 horas por dia: e-mails, facebook, whats´app, twitter, etc.. Não nos desgrudamos mais de nossos smartphones, tablets, notebooks, etc.
Isto nos coloca em uma roda viva que nos dá a “falsa” sensação de que somos multitarefa.
O neurocientista Earl Miller, professor do MIT (Massachusetts Institute of Technology, EUA), observa que quando as pessoas pensam que estão realizando multitarefas, na verdade estão apenas pulando de uma atividade para outra muito rapidamente. 
E todas as vezes que fazemos isto, há um alto custo de processamento em nosso cérebro, promovendo um aumento na produção dos hormônios do estresse, cortisol e adrenalina.
Isto causa uma intensa fadiga mental, que compromete profundamente nossa capacidade de atenção e foco. Miller alerta ainda para o fato de que esta mania multitarefa, realizada cotidianamente, acaba por induzir a um “vício” por estímulos externos, o que induz ainda mais à desatenção e falta de capacidade de concentração.
Daniel Goleman, o grande estudioso da inteligência emocional, ressalta que tecnologias e excesso de informação geram distração e dispersão a cada minuto, destruindo nossa capacidade de foco e concentração. E os circuitos cerebrais usados pela concentração, são os mesmos que geram a ansiedade. 
Quando aumenta o fluxo de distrações, a ansiedade aumenta na mesma proporção. E as consequências são estresse, depressão e muitos outros adoecimentos.
Como sair deste círculo vicioso???
Nossa proposta é a adoção de práticas meditativas. Existem inúmeras técnicas e modalidades que, se inseridas no cotidiano, podem interromper este “loop” multitarefa e suas consequências negativas.
Uma técnica budista ancestral, que ficou conhecida no ocidente como “mindfulness”, é a meditação da plena atenção. Certamente, é uma das formas mais simples e naturais de restabelecer nossa capacidade de concentração, além de serenizar a mente e diminuir a produção dos hormônios do estresse.
Experimente, por alguns minutos, simplesmente voltar sua atenção para a sua respiração. Respire profundamente, de maneira mais lenta, e observe o movimento suave de seu corpo: o ar entrando, o ar saindo…
Tente isto por apenas 5 minutos, algumas vezes ao dia, e desfrute de uma agradável serenidade…
Ao término de cada prática, veja como se sente,  como fica o seu bem estar e como modifica sua capacidade de foco nas atividades seguintes.
Copiado: http://www.cristinagobbi.com.br - https://www.linkedin.com/

Nenhum comentário:

Postar um comentário