QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sexta-feira, 24 de outubro de 2014

Depressão: O que Ela me Ensinou de Bom para o Meu Trabalho



É um tabu. Assim como eram outras antigamente. A depressão, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde) é uma doença que afeta só no Brasil, 36 milhões de pessoas. No mundo, estudos apontam que 25% das mulheres e 15% dos homens podem sofrer com o problema. 
Apesar da conotação social, não tenho problemas em dizer que sofri desse mal. Agora ele está sob controle.
Mas o que isso tem a ver com o meu trabalho? Tudo. Nós somos o que tiramos das nossas experiências. Sem notar e por conta dos sintomas que tive (ansiedade, preocupação exagerada, desesperança, etc), acabei, durante o tratamento, buscando mais autoconhecimento. 
  • Esta busca veio através de leitura, terapia e coaching. Sem querer encontrei meu caminho profissional ao unir estas três ferramentas e buscar um sentido de orientação nelas.
Vejam meus ganhos: Novas descobertas: Foram tantas as descobertas a respeito de afinidades profissionais que eu mesmo me impressionei. Atualmente trabalho como consultor em TI. Faço isso há 15 anos e me dou muito bem na minha profissão. Nunca pensei em abandoná-la. Porém, por meio do coaching e terapia descobri uma nova afinidade: o desenvolvimento humano.
Agora tenho 2 paixões profissionais. Sou um privilegiado! :) 
  1. Autoconhecimento: Ao aumentar o número de livros que leio e a sua qualidade, comecei a me interessar por novas áreas de estudos. Como dito no item acima, descobrir mais um caminho profissional abriu minha mente. O autoconhecimento me trouxe menor ansiedade, preocupações e um posicionamento profissional que definitivamente fez a diferença na minha vida. 
  2. Autoconhecimento 2: Foi tentando me conhecer que eu descobri que não me conhecia. Somos todos feitos e agimos por meio de gatilhos emocionais.
Determinadas situações fazem com que atuemos de forma similar sempre. Isso serve para as coisas boas ou ruins. Conhecer os meus me fez ter o poder de controlá-los mais. 
Agora, situações de stress que antes me abalavam, não me abalam mais. Momentos felizes são mais comuns. A valorização de ambos é constante. Autodesenvolvimento: A soma dos 3 itens acima leva você ao melhoramento.
Isso é um fato. Este autodesenvolvimento me fez criar novas redes de relacionamento nas redes sociais (como o LinkedIn) que agregam valor ao meu perfil profissional. Este aumento se transforma em novas oportunidades de trabalho para mim e em chances de desenvolvimento para outras pessoas. Hoje utilizo meus conhecimentos no desenvolvimento de outros profissionais.
Ao final percebi que a depressão é realmente muito ruim, uma vez que seu efeito pode ser devastador (isso você já sabe). Porém, ela me trouxe muitas coisas boas que sem ela eu não enxergaria. Pude rever minha vida e refazer o balanço de tudo. Cheguei à conclusão de que novas frentes profissionais deveriam ser abertas e, de certa forma, creio que acertei na mosca.
Você não precisa passar por isso para descobrir estas coisas. Note que os itens acima só dependem de força de vontade, empenho e disciplina. Eu, antes, não os utilizava neste sentido. 
Desenvolva-se. Você verá que compensa. Hoje, após tudo, eu digo: "Depressão, eu vou lhe usar!" :) 
Sem querer a depressão me fez um bem danado!
Por: Rodrigo Pace - http://www.administradores.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário