QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sexta-feira, 17 de outubro de 2014

Análise RAM – Reliability, Availability, Maintainability

Análise RAM – Reliability, Availability, Maintainability – desculpem o título quase todo em Inglês!!! Vocês sabem que americanos adoram acrônimos (abreviaturas por iniciais), e em Português ainda não é usual o acrônimo equivalente CDM – Confiabilidade, Disponibilidade, Manutenibilidade. 

Análise RAM – relembrando os conceitos

  • Confiabilidade (Reliability): é a probabilidade de que um componente, sistema ou equipamento cumpra sua função para um determinado período de tempo.
  • Disponibilidade (Availability):é a percentual de tempo em que determinado componente, sistema ou equipamento está disponível para uso ou operação, ao longo de uma campanha.
  • Manutenibilidade (Maintainabiliy): é a probabilidade de que um componente, sistema ou equipamento atenda a determinadas condições especificadas, quando uma ação de manutenção corretiva ou preventiva é realizada conforme rotinas e procedimentos estabelecidos.

Portanto, Confiabilidade é uma expectativa de resultado futuro, Disponibilidade é um registro passado. E a Manutenibilidade é também uma expectativa de desempenho futuro, porém neste termo usualmente se considera inclusa também a facilidade de submeter um equipamento à Manutenção.

Análise RAM – o que é?

A análise RAM busca atingir um equilíbrio sustentável entre o custo de uma ação, e o risco de adiar ou cancelar esta ação. Para implementar a análise RAM, é muito útil a utilização de uma Matriz de Risco, assunto já abordado aqui no Blogtek.
Parece um pouco com a RCM (Reliability Centered Maintenance), ou, em Português, a MCC (Manutenção Centrada na Confiabilidade), objeto também de vários artigos no Blogtek.
A diferença é a inclusão dos aspectos de disponibilidade, a qual, como vimos acima, NÃO é a mesma coisa que Confiabilidade.
No período em que morei nos Estados Unidos, me chamou a atenção de que as casas não possuem caixas d’água. Por quê? Porque a disponibilidade do fornecimento de água é altíssima, portanto você não precisa de uma caixa d’água.
Aqui no Brasil, por vezes há falta de água (que o digam nossos amigos paulistas!!!). Então, é vantajoso dispor de uma caixa d’água, porque é mais efetivo do que cobrar da concessionária de água uma confiabilidade maior no fornecimento.
Vamos no entanto imaginar um parque de tancagem em uma refinaria: o que será mais efetivo, em termos de custo e risco, aumentar enormemente a tancagem, ou investir em confiabilidade no suprimento? Tanques são caros, e quando você compara as refinarias norte-americanas com as brasileiras, poderá perceber que nossas tancagens são muito maiores (há uma tendência de reversão).

Análise RAM – como se processa?

Os requisitos para efetuar uma Análise RAM se baseiam em alguns pontos:
Os requisitos de RAM devem ser expressos em termos quantificáveis (perda de produção, custo de reparos, custos de instalação, etc.).
Os requisitos de Confiabilidade devem levar em conta a Missão, a função do equipamento ou sistema, e a confiabilidade logística.
Os requisitos de Manutenibilidade devem considerar a facilidade e efetividade da prestação do serviço, o custo de reparo e o custo de reposição, e a possível opção por um programa de Manutenção Preventiva, ou Preditiva, ou Corretiva (run to fail).
Os requisitos da Disponibilidade devem considerar estoques de produtos e insumos, custos da falta de produtos ou insumos, operabilidade do sistema.

Análise RAM – Ferramentas

O histórico de falhas pode originar um diagrama Pareto, para poder abordar os itens mais importantes (por isso é importante ter todos os registros).
A partir de uma determinada falha, algumas ferramentas irão nos ajudar a identificar causas e soluções:
FMECA – Failure Mode, Effects and Criticality Analysis (Análise de modos, efeitos e criticidade das falhas):
Técnica que permite identificar falhas potenciais e determinar seus efeitos no equipamento. Utiliza um viés “bottom-up”, ou seja, do evento base ao topo. Permite identificar áreas que requerem ações corretivas, categoriza a severidade das falhas, e identifica componentes críticos para confiabilidade. Breve abordaremos o assunto aqui no Blogtek.
Ferramentas de Manutenção Centrada na Confiabilidade (MCC):
Leia mais sobre o assunto nos artigos sobre MCC, aqui no Blogtek.
LORA – Level of Repair Analysis:
Técnica que avalia as ações de manutenção para definir se é mais efetivo reparar ou substituir um componente ou sistema, e auxilia a definir o nível de manutenção a ser executado de forma mais efetiva sob o prisma custo-benefício.
Por:  - http://blogtek.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário