QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sexta-feira, 23 de maio de 2014

Não Odeie Os Ricos

Há uma cultura no Brasil de que os ricos são sempre desonestos. Muitos até dizem que isso é um pleonasmo.

Precisamos mudar essa crença. Muita gente rica é extremamente honesta, e cumpre com seus deveres de cidadão, de ser humano, e ajuda o próximo, além de fazer bem seu papel como pessoa.

Tem gente que chega até a ter ódio de quem é rico. Na realidade não percebe que essa atitude é que a deixa pobre. 

É como se dissessem ao dinheiro “vá para bem longe de mim”. Como ele é um bom escravo, obedece.

Honestidade e desonestidade são como a gripe: não escolhem classe social. Se espalham como uma epidemia.

Crenças religiosas também atrapalham. Muita gente entendida do assunto prega a pobreza e condena a riqueza, dizendo que dinheiro não é importante, que o que importa é a felicidade, a paz de espírito. 

O problema é que essas pessoas não percebem que a conta de água, de luz, o carro, a casa que a pessoa quer, só se paga com dinheiro e não com felicidade, nem com gargalhadas ou com um sono tranquilo. Aliás, raramente alguém tem um sono tranquilo se não consegue cumprir suas obrigações como cidadão, nem honrar sua família com conforto, segurança e bem-estar.

Precisamos admirar os ricos, pessoas que se esforçaram, lutaram com garra e hoje desfrutam de uma boa qualidade de vida financeira. Ter ódio, inveja, raiva, na realidade, não melhora nossa condição, tampouco piora a dessas pessoas. Conservar esses sentimentos só faz com que o dinheiro, a riqueza se afastem de nós.

Então você deve amar o dinheiro? Sim. Deve. Só que menos do que seus valores, sua ética, seus princípios, sua fé. Você deve fazer dele, como já a própria Bíblia ensina, um escravo e não seu chefe, seu senhor.

Crie uma relação melhor com o dinheiro. Goste dele, diga que o quer por perto, e que admira pessoas ricas, milionárias. O desapego é lindo, mas só aquele que é verdadeiro, e geralmente isso acontece com pouquíssimas pessoas. A maioria só desapega de dinheiro depois que já ganhou bastante, ou desfrutou de tudo o que ele pode proporcionar, e percebeu que só dinheiro realmente não é sinal de riqueza espiritual, de paz e plenitude.

Diga para você mesmo: eu gosto de dinheiro, eu quero dinheiro. Quero construir uma vida de riqueza, para ser feliz, ajudar minha família, comprar coisas, ajudar o próximo e fazer o bem.

Deus ama quem é rico e tem a dimensão certa do dinheiro. Ele quer que mais e mais pessoas do bem fiquem ricas, que ganhem dinheiro. Pois assim Ele sabe que o mundo vai ser tornar cada vez mais um lugar melhor para se viver.

O problema é que Deus está achando pouca gente para dar riqueza, já que boa parte das pessoas de bem estão dizendo que dinheiro não é bom.

Mude essa crença, e ajude outras pessoas a mudarem também. Vamos criar um círculo de gente do bem que gosta de dinheiro, que quer ficar rico. Assim conseguiremos melhorar a condição de vida, a saúde, a educação de muita gente.

Vamos comigo nessa?
Fique com Deus, sucesso e felicidades sempre.

Fonte: Paulo Sérgio Buhrer  - http://www.qualidadebrasil.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário