QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

quinta-feira, 10 de abril de 2014

A Cultura Organizacional Influencia no Sucesso do Projeto, e Muito!

Por que algumas organizações são muito melhores do que outras em gerenciamento de projetos? 

Acredite, existem organizações com taxa de sucesso igual a 0% em seus projetos, e outras com 100%. As razões para isto? 

Ah, são muito diversas, mas sem dúvida as organizações que tem mais sucesso tem uma cultura favorável à inovação e à mudança.

Muitos fatores influenciam a capacidade da organização de realizar projetos e alcançar resultados, mas a cultura é a determinante para o sucesso. Organizações muito tradicionais e hierarquizadas de regra tem dificuldade na escolha e na execução de projetos, uma vez que a sua estrutura de poder bloqueia a inovação e a melhoria.

O termo cultura organização geralmente se traduz como: aqui a gente faz assim, aqui é assim, aqui é tudo devagar mesmo... Sempre que você ouve alguma coisa assim, está percebendo os aspectos da cultura da organização.

Pois vejamos alguns pontos onde a cultura se manifesta a favor do gerenciamento de projetos e consequentemente dos resultados:

Orientação à melhoria
As organizações que tem bons processos e bem estruturados e uma cultura orientada à melhoria e ao atendimento das necessidades de seus clientes tem muito mais chance de sucesso em projetos. 
Por quê? 

Porque já estão acostumadas a conviver com a mudança e já aprenderam a planejar e executar a mudança, que ocorre sempre por meio de projetos. 

Da mesma forma estão acostumadas a aproveitar oportunidades oriundas do ambiente externo, enxergam riscos como oportunidades, entendem o risco como uma coisa boa, um problema bom, e não ruim. E com esta abordagem são flexíveis na execução de seus projetos fazendo com que alcancem resultados superiores.

Governança
Muitas organizações têm processos de governança, comitês gestores formalmente instituídos, mas na prática não praticam (ops, desculpe pelo trocadilho). 

De um jeito bem simples, governança é gerir o desempenho em todos os níveis, mas principalmente no nível estratégico, no alcance dos objetivos estratégicos. Algo como navegar de olho na bússola e no GPS, ciente dos desvios mas de olho no destino. Mas qual é o problema? 

A gestão isolada de projetos, cada área atirando para o seu lado, puxando a brasa pro seu assado, às vezes de forma totalmente desconectada da estratégia da organização, executando pet projects, verdadeiros bichinhos de estimação dos gestores de plantão. E a solução, claro, passa pela gestão integrada dos projetos em portfólios e programas sequenciados onde projetos são selecionados e acordo com os interesses da organização e não das áreas, são todos interligados e gerenciados em conjunto, fazendo com que os resultados sejam otimizados.

Capacitação
Organizações ruins na capacitação, que não conseguem conectar a capacitação à estratégia, que continuam treinando para os problemas do passado e não para o futuro, geralmente também são ruins no desenvolvimento de competências gerenciais como planejamento, entendimento da estratégia, e gestão de processos e de projetos. 

Acredite, com gerentes despreparados e sem a formação básica a probabilidade de rumar para o desastre em projetos é enorme.

Responsabilidade
Nas organizações de sucesso todo mundo sabe o seu papel, sabe o que tem que fazer, e o que ganha se fizer direitinho e alcançar as metas. As pessoas sabem exatamente o que a organização espera delas. 

Organizações assim têm papeis bem definidos e partes interessadas muito bem identificadas e conhecidas. São gerentes de projeto comprometidos, patrocinadores reais e clientes realmente envolvidos com a mudança e com a melhoria. Muitos ainda pensam que projetos são autoexecutáveis, com um arquivo de instalação de aplicativo, mas isto é literalmente uma piada.  

Projeto mexe com mudança, e mudança agrada a alguns e desagrada a outros. E quem perde com a mudança vai contestar, espernear e até mesmo sabotar os projetos. Por isto a exigência de patrocínio forte e presente. Ainda tem dúvida sobre isto? Leia Maquiavel, O Príncipe, vai esclarecer bastante.

Eu não tenho dúvida de que o investimento real na mudança de cultura favorece a mudança e pode garantir o futuro da organização. Quanto mais a sua organização demorar a admitir isto, maior o risco dela sucumbir à concorrência e deixar de existir.

O que se percebe na maioria das organizações? Gerentes de projetos sendo culpados pelo fracasso, quando na verdade e culpa é da organização, quando não os treina e não os suporta na sua missão.

  • Visualize estes sinais: projetos fracassaram ou não alcançaram os resultados previstos? 
  • Seus gerentes de projeto foram culpados pelo fracasso ou premiados pelo sucesso?

Pois invista na governança e no desenvolvimento gerencial, pode ser parte da solução.



Fonte: Joel Solon Farias de Azevedo - http://www.qualidadebrasil.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário