QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sexta-feira, 25 de outubro de 2013

Produção com Qualidade depende de Processos e controle

Entre os processos para realização de um produto, a empresa deve considerar também a aquisição, o fornecimento, a rastreabilidade, a propriedade oferecida pelo cliente, a preservação e a medição. A seguir, cada um deles será relatado em detalhes.

Aquisição

  • A aquisição é um requisito que visa identificar em matérias-primas possíveis defeitos que possam comprometer a qualidade de um produto ou serviço. Para impedir que isso ocorra, a empresa precisa avaliar riscos com fornecedores e fornecimentos inadequados, acompanhar os métodos de seleção e qualificação e aperfeiçoar os canais de relacionamento com os seus fornecedores.
  • A inspeção é o melhor mecanismo para se verificar o que foi solicitado ao fornecedor e o que foi entregue. Portanto, quanto maior a confiança no fornecedor, menor a necessidade de inspeções mais rigorosas.
A empresa pode fazer um registro de desempenho de seus fornecedores quanto à matéria-prima entregue, os prazos, etc. Nas auditorias, busca-se identificar os níveis de avaliação e a seleção de fornecedores.

Produção e fornecimento de serviço
A produção e o fornecimento de serviço exigem procedimentos para:
  • Planejar as atividades de produção e de processos;
  • Prover o pessoal com instruções de trabalho e com os critérios da qualidade do trabalho;
  • Qualificar e controlar os processos de produção;
  • Usar equipamentos de produção e realizar manutenção dos equipamentos para assegurar a continuidade da capacidade do processo.
A empresa precisa considerar que, quanto mais treinado, mais conhecedor e mais habilitado for o seu grupo de funcionários, menor será a exigência de documentos explicativos sobre os processos.

Por outro lado, a necessidade de instruções de trabalho escritas tende a assegurar respeito aos padrões. Isso envolve, por exemplo, atividades pós-entrega (assistência técnica, por exemplo) que devem estar especificadas em procedimentos para garantir a execução adequada do produto ou serviço.

É comum que planos de produção, ordens de serviço ou equivalentes abordem o planejamento da produção (quem faz o quê, quando). O mesmo vale para registros de monitoramento ou medição de parâmetros de processo/características de produto.
Auditores procuram demonstrar se os procedimentos e o planejamento da produção cobrem todas as etapas do processo. E ainda se estão disponíveis para os funcionários que executam as atividades.

Identificação e rastreabilidade

  • O requisito está relacionado à identificação de materiais, componentes e produtos durante os estágios de produção.
  • Quando o cliente não apontar requisitos específicos, cabe à empresa determinar até que ponto a rastreabilidade é apropriada. Normalmente isso ocorre quando se quer descobrir que coisas são feitas, de onde vieram e como são feitas. 
  • Cada empresa deve definir seus próprios métodos de identificação e rastreabilidade de acordo com seus volumes de produção, número de funcionários e fornecedores.
A rastreabilidade é um requisito que deve ser registrado pela empresa.
Em processos de auditoria, procura-se demonstrar a capacidade do sistema de identificar e, quando for o caso, rastrear o processo produtivo.


Propriedade do cliente
A empresa deve tomar cuidado com os materiais fornecidos pelos próprios clientes. Por isso, esse requisito exige procedimentos para garantir que eles sejam aceitáveis e adequados aos objetivos. Caso contrário, o cliente precisa ser informado. 
A aplicação deste requisito aos sistemas da qualidade das empresas não deve ser descartada sem uma análise adequada.
Há exemplos típicos de situações em que esta cláusula é aplicável:
  • Lavanderias, em que as roupas são o produto fornecido pelo cliente;
  • Oficinas de conserto;
  • Empresas de treinamento, quando as salas e os equipamentos pertencem ao cliente.
Durante a auditoria, são verificados os mesmos requisitos aplicáveis aos produtos adquiridos, além do procedimento que assegure o relato dos danos e a separação de produtos inadequados.

Preservação do produto
O requisito da preservação inclui:
  • Métodos de manuseio de produtos que previnam danos e deterioração;
  • Áreas de armazenamento definidas;
  • Controle de entrada e saída de produto da área de armazenamento;
  • Avaliação regular das condições dos produtos estocados;
  • Especificação e controle dos produtos embalados;
  • Aplicação de métodos adequados de preservação e segregação;
  • Proteção do produto até a entrega, quando especificado em contrato.
Em todos os estágios do processamento, a empresa deve dispor de recursos para que sejam aplicados métodos de manuseio, armazenamento e preservação apropriados ao produto.

Os procedimentos para embalagem e expedição devem assegurar que o produto chegue ao cliente na mesma condição em que deixou a empresa. Nesse caso, é importante avaliar os benefícios da rotação de estoques quando se lida com bens fechados que podem estragar.

Para avaliação das condições do produto armazenado, a empresa pode recorrer aos registros. O mesmo vale para procedimentos especiais de armazenamento.

Nas auditorias, é observado se os produtos estão sendo manuseados e armazenados em lugares específicos. Os auditores costumam analisar também os métodos de autorização para recepção e expedição de produtos armazenados.

Controle de dispositivos de medição e monitoramento
A empresa deve providenciar medições e acompanhamentos e os dispositivos necessários para demonstrar a conformidade do produto. Eles devem ser coerentes com os requisitos aplicáveis para elaboração do produto ou serviço. Para que isso ocorra, a empresa deve:
  • Identificar as medidas a serem tomadas e a precisão requerida;
  • Identificar o equipamento necessário e assegurar que seja mantido calibrado regularmente e ajustado conforme apropriado;
  • Descrever como isso será feito de forma que os registros estejam disponíveis e mostrem que a calibração é rastreável a padrões nacional ou internacionalmente reconhecidos.
Os equipamentos de medição usados para confirmar atendimento às especificações do cliente devem seguir os padrões nacionais. Equipamentos que não atendam a esses padrões, normalmente custam à empresa tempo e dinheiro.

Mesmo que a empresa terceirize essa atividade, é necessário estabelecer algumas formas de controle desse processo. Caso o fornecedor pertença à Rede Brasileira de Calibração (RBC) do Inmetro ou seja filiado a uma rede metrológica estadual, os riscos são menores.

Todos os equipamentos de medição e acompanhamento devem ser registrados, bem como dados referentes ao padrão utilizado, aos valores, aos procedimentos e aos responsáveis pela atividade.

A situação dos equipamentos de medição encontrados nas áreas de produção e os respectivos certificados, laudos ou relatórios são fiscalizados em auditorias. 

Autor:  Flávia Alves de Brito Lacerda / Sebrae - http://www.qualidadebrasil.com.br/

Nenhum comentário:

Postar um comentário