QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Estrutura e Abrangência do Comércio Eletrônico

Comércio ElêtronicoA Estrutura do Comércio Eletrônico

Para executar e manter aplicações ligadas a CE, as empresas necessitam de informações, infraestrutura e serviços de apoio adequados. Abaixo, observe as cinco áreas de suporte a infraestrutura que as aplicações de CE precisam contar:

Exemplos de aplicações ligadas a comércio eletrônico:
- Marketing Direto, 
– Empregos, 
– Bancos on-line, 
– E-Purchasing (compra eletrônica),
- Trocas B2B, 

– C-commerce,
– M-commerce, 
– Leilões, 
– Viagens, – Publicações on-line
- Serviços ao consumidor
Estrutura do Comércio Elêtronico

Classificação do Comércio Elêtronico pela natureza (Modelos)

Uma classificação bastante comum do CE é feita pela natureza da transação ou pelo relacionamento entre os participantes. Seguem abaixo alguns dos tipos encontrados com maior frequência:
  • Business-to-BusinessB2B (E-Commerce, podemos dizer que é nas transações de negócios no mundo virtual, visto que também tem maiores oportunidades para melhores relacionamentos com o cliente, por meio de marketing a ser definido como a substituição dosprocessos eletrônicos. 
O  comércio B2B é dividido em três áreas:
• Os e-Marketplaces consistem em plataformas tecnológicas com base na Internet onde compradores e fornecedores se encontram e transacionam em tempo real.
• O E-Procurement é um meio eletrônico desenvolvido para apoiar o aprovisionamento das organizações, levando estas a obter melhores resultados nos seus fornecimentos, no que diz respeito ao custo e ao tempo;
• Os E-Distributions consistem em plataformas eletrônicas geradas para integrar as empresas com os seus distribuidores, filiais e representantes. 
As suas principais funções são: Gerenciamento da rede de vendas; Pedido de venda: visualização e escolha de produtos/pedidos; Conhecimento de entrega: criação de documento para atendimento dos pedidos e envio de aviso ao cliente; Administração de catálogos/lista de preços; Procura de produtos; Condições comerciais (condição de pagamento, tipo de entrega e outros); Relatórios de vendas e consultas.
  • Business-to-Consumer B2C (Empresa-Consumidor): A Business-to-Consumer pode se definida como o estabelecimento de relações comerciais eletrônicas entre as empresas e os consumidores finais. Para realizar este tipo de comércio virtual utiliza geralmente vitrines virtuais como, por exemplo, o site www.submarino.com.br ou o site www.americanas.com.br.
O B2C facilita as atividades de pré ou pós venda, associando grande valor ao processo de venda;
  • Business-to-Administration – B2A/B2G (Empresa-administração): A categoria Business-to-Administration cobre todas as transações online realizadas entre as empresas e a Administração Pública. Envolve uma grande quantidade e diversidade de serviços, designadamente nas áreas: fiscal, da segurança social, do emprego, etc;
  • Consumer-to-Administration – C2A/C2G (Consumidor-administração): Abrange todas as transações eletrônicas efetuadas entre pessoa física e a Administração Pública. Sendo várias as áreas de aplicação: Segurança Social (através da divulgação de informação e realização de pagamentos), Saúde (marcação de consultas, informação sobre doenças e  pagamento de serviços), Educação (divulgação de informação e formação à distância), Impostos (entrega das declarações e pagamentos).
Os dois modelos que envolvem a Administração Pública, Business-to-Administration e Consumer-to-Administration estão grandemente associados à proposta de modernização, transparência e qualidade do serviço público, aspectos cada vez mais realçados pelas entidades governamentais.
  • Mobile commerce – As atividades e transações de e-commerce realizadas em ambientes sem fios são chamados de comércio móvel (mobile commerce) ou m-commerce. O foco deste tipo de modalidade são os celulares, tabletes, i-pads, e outros dispositivos móveis.
Por ser um campo novo, o CE ainda está desenvolvendo suas bases teóricas e científicas. Pode-se notar, pela breve descrição de seus diferentes modelos e infra-estrutura, que está relacionado a diferentes disciplinas. As principais são marketing, ciência da computação, contabilidade, administração, dentre outras.
  
Por: RSS - Sucesso Empresarial.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário