QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

terça-feira, 24 de maio de 2011

Por desafios, executivos deixam grandes empresas para trabalhar nas PMEs

Transição de executivos para empresas menores é uma tendência ainda maior nas empresas familiares, afirma especialista .
Castigo: ele ficou na escola ou também é aplicado nas empresas? Os executivos brasileiros se mostram mais interessados em trabalhar em pequenas e médias empresas. Um levantamento realizado pela Hays Recruiting experts worldwide, consultoria especialista em recrutar para média e alta gerência, revela que entre 20% e 30% das vagas abertas são preenchidas por executivos que trocaram as grandes corporações por empresas de menor porte.
"A expansão do mercado e crescente aporte estrangeiro fazem com que as chamadas PMEs [Pequenas e Médias Empresas] invistam no crescimento para brigar por fatias maiores do mercado. Para isso, essas empresas estão apostando na profissionalização de suas equipes e negócios, o que requer profissionais com experiência de mercado", explica um dos diretores da Hays do Brasil, Gustavo Costa.
Motivos:
Segundo o especialista, os executivos que deixam as grandes empresas vão em busca de fazer o negócio crescer, aliado à facilidade de exposição e maior autonomia.
Costa acrescenta ainda que nas empresas menores os benefícios variáveis somados à remuneração fixa podem gerar rentabilidade igual ou até superior a oferecida por grandes companhias. "Isso sem contar o fator qualidade de vida que certamente pesa na hora da decisão", complementa.
Para ele, a transição de executivos para empresas menores é uma tendência ainda maior nas empresas familiares. "No cenário atual, os proprietários estão deixando o operacional para permitir que um novo executivo, que vem com uma bagagem maior de mercado, possa trazer um novo olhar ao negócio, dar andamento a tudo. Assim, o dono pode atuar de uma forma mais estratégica", finaliza.

Texto publicado: Infomoney - http://www.administradores.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário