QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sábado, 10 de abril de 2010

Uma Visão de Planejamento


    Era uma vez um caçador que contratou um feiticeiro para ajudá-lo a conseguir alguma coisa que pudesse lhe facilitar o trabalho nas caçadas. Depois de alguns dias, o feiticeiro lhe entregou uma flauta mágica que, ao ser tocada, enfeitiçava os animais, fazendo-os dançar. Desse modo, o caçador teria facilitada a sua ação.
    Entusiasmado com o instrumento, o caçador organizou uma caravana convidando outros amigos caçadores para à África. Logo no primeiro dia de caçada, o grupo se deparou com um feroz tigre. De imediato o caçador pôsse a tocar a flauta e milagrosamente, o tigre, que já estava próximo de um de seus amigos, começou a dançar. Foi fuzilado a queima roupa. Horas depois, um sobressalto. A caravana foi atacada por um leopardo que saltava de uma arvore. Ao som da flauta, contudo, o animal transformou-se de agressivo, ficou manso e dançou. Os caçadores não hesitaram o mataram com vários tiros.
    E foi assim flauta sendo tocada, animas ferozes dançando, caçadores matando. Ao final do dia, o grupo encontrou pela frente um leão faminto. A flauta soou mas o leão não dançou. Ao contrário, atacou um dos amigos do caçador flautista, devorando-o. Logo depois devorou o segundo. O tocador de flauta desesperadamente, fazia soar as notas musicais, mas sem resultado algum. O leão não dançava. E enquanto tocava, o caçador foi devorado.
    Dois macacos, em cima de uma arvores próxima, a tudo assistiam. Um deles observou com sabedoria:
    - Eu sabia que eles iam se dar mal quando encontrassem um surdinho...

    Moral da História:

     Não confie cegamente nos métodos que sempre deram certo. Um dia podem não dar.
    Tenha sempre planos de contingência;
    Prepare alternativas para as situações imprevistas;
    Preveja tudo que pode dar errado e prepare-se.
    Esteja atento as mudanças e não espere as dificuldades para agir.
    "CUIDADO COM O LEÃO SURDO"

Nenhum comentário:

Postar um comentário