QUEM SOU EU

Minha foto

Administrador de Empresas(UEMA), Mestrado em Administração(FGV-RIO), Professor Universitário (FAMA/UFMA), Ex-Presidente do CRA-MA, Ex-Conselheiro Federal de Administração - CFA, Empresário (DEPYLMAR, ), Ex-Conselheiro Fiscal da ANGRAD, Vogal da Junta Comercial do Maranhão (JUCEMA)Consultor de Empresas, Avaliador do INEP/MEC, Maranhense de Pedreiras, filho de Valdinar e Cavalcante Filho, Casado (Graça Cavalcante), 02 Filhos (Nathália Johanna e Diego Henrique), apaixonado pelo Moto Club de São Luís, Botafoguense de Coração e Feliz da Vida...

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Solidariedade aos irmãos do CHILE

O terremoto, de cerca de um minuto de duração, ocorreu às 3h34 (horário local de verão, o mesmo de Brasília) e estremeceu prédios na capital, Santiago, a 325 km de distância. Várias regiões da cidade ficaram sem energia e muitos chilenos, com medo, saíram às ruas. O número de mortos pelo terremoto de 8,8 graus de magnitude que atingiu a região central do Chile na madrugada deste sábado (27) chega a 122 até agora, segundo informacoes vinda do Chile.

"Quero compartilhar da dor dos familiares das mais de 122 pessoas que perderam a vida neste terremoto. E espero que os irmãos Chilenos, saia dessa o mais rápido possível, sob a Protecao da sua  Padroeira, Nossa Senhora do Carmo (Virgem del Carmen)  Padroeira do Chile."

Jorge Henrique Cavalcante 






sexta-feira, 26 de fevereiro de 2010

Twitter: desperdício de tempo ou troca de informações úteis?

O Twitter virou febre. Quem está fora não pode deixar de entrar, quem está dentro sabe que não deve sair. Poderosa ferramenta de troca de informações e de “networking”, o Twitter ganhou espaço por permitir que o conhecimento fosse compartilhado, ultrapassando fronteiras.

Criado há quatro anos, tem no Brasil, diz pesquisa, o segundo maior número de usuários no mundo, e celebridades como o apresentador Luciano Huck – primeiro brasileiro a conquistar um milhão de seguidores no país - e o presidente dos EUA, Barack Obama. Não só mudou os hábitos de comunicação, como impôs inúmeros desafios, um deles é o grau de retenção da informação transmitida.

Quanto a esse aspecto é preciso considerar que dado à característica do Twitter - 140 caracteres e uma avalanche de mensagens que a pessoa envia e recebe por dia -, o grau de retenção da informação é baixíssimo, é efêmero.

Sabem por quê? Pensem um pouco, quanto tempo dura a informação que você acaba de receber pelo Twitter? Certamente, dura até o próximo Twitter que você receberá em instantes. Simples assim. Então, é preciso olhar o Twitter sob essa perspectiva, de que ele é um transmissor de informação etérea, que tem prazo de validade curtíssimo.

Se as informações que circulam entre seus seguidores são descartáveis, restam as seguintes perguntas: (i) como absorver todo esse mar de conhecimento que logo será jogado no lixo ou deletado de nossas mentes? (ii) vale a pena o tempo que se dedica a ler e responder as mensagens?

Talvez a resposta esteja na brilhante sacada da colunista do jornal Financial Times, Lucy Kellaway, que admiro e tem seus artigos reproduzidos no Valor Econômico: “Cheguei à conclusão libertadora de que a maioria de nós não precisa lembrar-se de quase nada para fazer nossos trabalhos de forma competente, porque quase todas as informações podem ser encontradas com um clique de mouse na internet”.

Será que caminhamos para era da memória descartável? Apesar de me considerar um twitteiro de carteirinha, não posso deixar de questionar o tempo por vezes desperdiçado com a rápida troca de informações que circulam entre nós como um cometa que mal conseguimos enxergar.

É inegável o poder que as redes sociais têm sobre nós, mas ouso duvidar se realmente estamos preparados para aproveitar essa avalanche de informações que recebemos a cada segundo, muitas das quais acabam se perdendo no limbo em meio à enxurrada irresistível de twitters onde há de tudo: informação útil, bobagens, futilidades, desabafos, coisas de gosto duvidoso.

O desafio está lançado e levante a mão quem tem alguma solução.

Julio Sergio Cardozo:
Conferencista, consultor de empresas e professor livre-docente de controladoria & finanças.

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2010

Logística na prática - Custo Logístico


É muito comum hoje em dia escutar falar ou ler em revistas técnicas e jornais sobre Custo Logístico, mas você sabe ao certo o que é um Custo Logístico? Se você utilizar a seção "Dicionário Log" do www.guiadelogistica.com.br  verá que é a somatória do custo de transporte, custo de armazenagem e custo de manutenção de estoque, mas será que com esta informação você sabe apurar o Custo Logístico de sua empresa?
Foi pensando nisto, que resolvi detalhar como chegar a cada um destes custos, para depois sim você ter a certeza de que a somatória irá realmente representar seu Custo Logístico.
Vamos explicar a seguir cada um dos componentes:

1) Custo de Armazenagem
Em primeiro lugar é bom esclarecer que este custo envolve a armazenagem (almoxarifado) para matérias-primas e embalagens (produtos acabados).
Terá de considerar: salários, horas extras, encargos sociais, assistência médica/dentária, cesta básica, transporte de funcionário, material de consumo (limpeza e segurança), aluguel de imóveis, depreciação de equipamentos, depreciação de imóveis, manutenção (peças de reposição/serviços), impostos/taxas/associações de classe, manutenção (limpeza), restaurante, RH, mão de obra contratada, impresso/material de escritório, despesa com seguro, energia e compra de bens duráveis.
Acho que engloba todas, mas se tiver mais alguma que não esteja acima, acrescente.

2) Manutenção de Estoque
Terá de pegar o saldo médio de estoque de cada item e multiplicar pelo custo de fabricação. Chegará a um sub-total. Somar o sub-total de todos os ítens e multiplicar pelo (x,x) % ao mês. Este (x,x) é o índice que o Financeiro de sua empresa trabalha.
Multiplicar o resultado por 12 meses. Se trabalhar em dólar, multiplicar pelo valor do dólar vigente. Desta maneira chegará ao valor de Manutenção de Estoque.

3) Custo de Transporte
Se o transporte na sua empresa for terceirizado, considere o valor total pago ao(s) terceiro(s).
Se for frota própria considere como custos: salários, encargos sociais, horas extras, administração, assistência médica/dentária, cesta básica, vale transporte, depreciação, manutenção (óleos e lubrificantes), restaurante, reformas mecânicas (peças), pneus, combustível, despachante/multas, seguro obrigatório, seguro dos veículos, seguro das cargas, licenciamento/IPVA e outros que possa ter.
Se trabalhar com meia frota própria e meia frota terceirizada, terá de somar as duas.

Depois de tudo calculado, somando-se 1 + 2 + 3 = Custo Logístico

Agora que já sabe como calcular o Custo Logístico de sua empresa, mãos à obra e depois de apurado mostre a seu superior (supervisor, gerente, diretor, etc.) e tente reduzí-lo, mostrando o seu plano de ação para tentar baixar cada componente de custo.
É importante ter conhecimento do seu Custo Logístico, pois afinal não podemos melhorar aquilo que não mensuramos. Com números, tudo fica mais claro e poderá saber ao certo onde está e para onde quer ir como meta.

Marcos Valle Verlangieri,
Diretor da Vitrine Serviços de Informações S/C Ltda.

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

DAR NÃO É FAZER AMOR

Luís Fernando Veríssimo

Dar é dar.

Fazer amor é lindo, é sublime, é encantador, é esplêndido.

Mas dar é bom pra cacete.

Dar é aquela coisa que alguém te puxa os cabelos da nuca...

Te chama de nomes que eu não escreveria...

Não te vira com delicadeza...

Não sente vergonha de ritmos animais. Dar é bom.

Melhor do que dar, só dar por dar.

Dar sem querer casar....

Sem querer apresentar pra mãe...

Sem querer dar o primeiro abraço no Ano Novo.

Dar porque o cara te esquenta a coluna vertebral...

Te amolece o gingado...

Te molha o instinto.

Dar porque a vida é estressante e dar relaxa.

Dar porque se você não der para ele hoje, vai dar amanhã, ou depois de amanhã.

Tem pessoas que você vai acabar dando, não tem jeito.

Dar sem esperar ouvir promessas, sem esperar ouvir carinhos, sem

esperar ouvir futuro.

Dar é bom, na hora.

Durante um mês.

Para os mais desavisados, talvez anos.

Mas dar é dar demais e ficar vazio.

Dar é não ganhar.

É não ganhar um eu te amo baixinho perdido no meio do escuro.

É não ganhar uma mão no ombro quando o caos da cidade parece querer te abduzir.

É não ter companhia garantida para viajar.

É não ter para quem ligar quando recebe uma boa notícia.

Dar é não querer dormir encaixadinho...

É não ter alguém para ouvir seus dengos...

Mas dar é inevitável, dê mesmo, dê sempre, dê muito.

Mas dê mais ainda, muito mais do que qualquer coisa, uma chance ao amor.

Esse sim é o maior tesão.

Esse sim relaxa, cura o mau humor, ameniza todas as crises e faz você flutuar

Experimente ser amado...

"A vida é a arte de tirar conclusões suficientes de dados insuficientes".

Enviada por: Magna Rafaela Ribeiro

terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

No mais


Lula andou dizendo que sua prioridade este ano é eleger Dilma Rousseff.
Não seria melhor se as prioridades fossem educação, saúde, melhorar a infraestrutura etc. Com todo o respeito.

Blog do Ancelmo Gois (O Globo) 23/02/2010

Concursos oferecem vagas para Administradores em diversos locais do país

CFA, 19/02/2010
O Departamento Estadual de Trânsito de Roraima (Detran/RR) lançou o edital do concurso público que oferece 373 oportunidades, sendo 69 imediatas e 304 para cadastro reserva. As vagas são para cargos de níveis fundamental, médio e superior. Os salários variam de R$ 688,41 a R$ 2.130,86.
Para os cargos de nível superior, há uma vaga para o cargo analista técnico I, na especialidade de Administrador. Os interessados em concorrer ao cargo precisam ter o diploma de graduação na área e registro no Conselho Regional de Administração. As inscrições já estão abertas e podem ser feitas até o dia 8 de março pelo site da Fundação Cetap, organizadora da seleção. A taxa de participação custa R$ 80,00 para superior.

A Pró-Reitoria de Ensino de Graduação (PROGRAD) da Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) também publicou nesta quinta-feira (11) os editais para a abertura de inscrições para o concurso público do Hospital Universitário (HU). Serão oferecidas 471 vagas, sendo 10 para Administrador. Para esse cargo, serão 40 horas semanais, com salário base de R$ 2.307,85. As inscrições poderão ser feitas a partir do dia 1º de março, no site www.ufgd.edu.br/concursos. O valor da inscrição será de R$ 60,00.

Começam na próxima terça-feira, 23, as inscrições para o concurso da Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) para provimento de cargos de níveis médio, médio técnico e superior, para formação de cadastro reserva no seu quadro permanente. Embora o novo concurso seja para compor cadastro de reserva, a empresa afirma que a convocação da maioria dos selecionados terá início logo após a aprovação no processo seletivo, tendo em vista a grande demanda da Caern por novos profissionais.

Os interessados terão até o dia 22 de março para se inscreverem via internet pelo endereço eletrônico: http://www.fgv.br/fgvprojetos/concursos/caern10. Há vagas para administrador, cujo salário oferecido é de R$ 3.652,12.

Ana Gonçalves
Jornalista

segunda-feira, 22 de fevereiro de 2010

Parabéns Botafogo - Fogão Campeão

De volta a São Luís do Maranhão, feliz da vida, o Botafogo me fez passar a melhor alegria destes últimos dias, quebrou a invencibilidade do Flamengo e de quebra, a do Vasco. 
Parabéns Fogão...

sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

SEXO E FUTEBOL

(Luis F. Veríssimo)

E, já que o assunto é sexo, vamos lá. Em que o sexo e o futebol se parecem?

No futebol, como no sexo, as pessoas suam ao mesmo tempo, avançam e recuam, quase sempre vão pelo meio mas tambem caem para um lado ou para o outro, e às vezes há um deslocamento.

Nos dois é importantíssimo ter jogo de cintura.

No sexo, como no futebol, muitas vezes acontece um cotovelaço no olho sem querer, ou um desentendimento que acaba em expulsão. Aí um vai para o chuveiro mais cedo.

Dizem que a única diferença entre uma festa de amasso e a cobrança de um escanteio é que na grande área não tem música, porque o agarramento é o mesmo, e no escanteio tambem tem gente que fica quase sem roupa.

Tambem dizem que uma das diferenças entre o futebol e o sexo é a diferença entre camiseta e camisinha.

Mas a camisinha, como a camiseta, tambem não distingue, ela tanto pode vestir um craque como um medíocre.

No sexo, como no futebol, você amacia no peito, bota no chão, cadencia e tem que ter uma explicação pronta na saída para o caso de não dar certo.

No futebol, como no sexo, tem gente que se benze antes de entrar e sempre sai ofegante.

No sexo, como no futebol, tem o feijão com arroz mas tambem tem o requintado, a firula e o lance de efeito. E, claro, o lençol.

No sexo tambem tem gente que vai direto no calcanhar.

E tanto no sexo quanto no futebol o som que mais se ouve é aquele "uuu".

No fim, sexo e futebol só são diferentes, mesmo, em duas coisas.

No futebol não pode usar as mãos.

E o sexo, graças a Deus, não é organizado pela CBF.

Contribuição de Ivana Franco

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

" Degustación del Vinos",

Continuo juntamente com Graça, minha caminhada " Degustación del Vinos", aqui em Santiago do Chile e arredores, na famosa Rota del Vinos....

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Nas terras de Pablo Neruda

Neste periodo momesco, estou passeando na terra de Pablo Neruda, (VALPARAISO/VINA DEL MAR e SANTIAGO do CHILE), versando nos poemas encantadores do Poeta.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

10 dicas de liderança comportamental: a liderança de resultado

1- Assuma o controle da sua vida – lidere a si próprio!
Uma das origens da liderança comportamental é ser responsável pelas suas escolhas. Quanto mais assumo a responsabilidade, mais tenho poder de resolução!

2- Saiba as razões pelas quais está disposto a superar os desafios – (automotivação)!
Muitas pessoas passam a vida sem se dar conta do que efetivamente as movimenta, o que as estimula, o que as motiva. Saber por quais razões você se levanta pela manhã contribui para o seu senso de bem-estar e propósito de vida. É o seu combustível na direção do que deseja.

3- Tenha um objetivo definido (sonhos, objetivos e metas)!
Ter um alvo, algo no que manter o foco. Para quem não sabe para aonde está indo, qualquer estrada serve. Foco é força, distração destrói.

4- Faça as suas escolhas: tome suas decisões! Mantenha o Foco!
A palavra decidir, em latim, significa: ruptura. Seguir um caminho e romper com o outro. Quem mantém um pé em cada canoa, acaba caindo dos dois barcos. Tome sua decisão e faça a sua jornada.

5- Desenvolva o Planejamento estratégico!
Quem planeja a jornada poderá ter êxito. Quem não planeja a jornada provavelmente não chegará no lugar desejado ou demorará muito mais tempo.

6- Coloque em prática: planejamento – ação – avaliação – correção – resultado desejado (Inteligência comportamental)!
Ser capaz de realizar aquilo que você deseja. Isso é inteligência do Sucesso.

7- Estabeleça padrões emocionais poderosos e saudáveis: desenvolva emoções construtivas!
Usar emoções e crenças fortalecedoras permite a você ter disponíveis seus melhores estados de excelência comportamental. Emoções positivas fortalecem sua saúde e aumentam o seu bem-estar.

8- Pratique a Atitude Mental Positiva. Acredite e poderá ter sucesso. Duvide e, com certeza, fracassará!
“Se você pensa que você pode ou se você pensa que você não pode, não importa. De qualquer forma estará certo.” H. Ford.
Creia e realize. Duvide e fracassará.

9-Utilize sua Energia Vital. Respire profundamente. Renove a vida e as esperanças, estimule sua mente e seu coração. Perceba o universo de possibilidades.
10- O segredo dos “4 C&&s”: Creia – Construa - Compartilhe – Concretize!
“OUSE FAZER DE SUA VIDA UMA VIDA EXTRAORDINÁRIA!”

Portal O Gerente - Dr. Jô Furlan - Palestrante, Escritor e Especialista em Auto-DesenvolvimentoNotícia disponibilizada no Portal www.cmconsultoria.com.br às 11:31 hs.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

DEFICIÊNCIAS - Mario Quintana

"Deficiente" é aquele que não consegue modificar sua vida, aceitando as imposições de outras pessoas ou da sociedade em que vive, sem ter consciência de que é dono do seu destino.
"Louco" é quem não procura ser feliz com o que possui.
"Cego" é aquele que não vê seu próximo morrer de frio, de fome, de miséria, e só tem olhos para seus míseros problemas e pequenas dores.
"Surdo" é aquele que não tem tempo de ouvir um desabafo de um amigo, ou o apelo de um irmão. Pois está sempre apressado para o trabalho e quer garantir seus tostões no fim do mês.
"Mudo" é aquele que não consegue falar o que sente e se esconde por trás da máscara da hipocrisia.
"Paralítico" é quem não consegue andar na direção daqueles que precisam de sua ajuda.
"Diabético" é quem não consegue ser doce.
"Anão" é quem não sabe deixar o amor crescer.
 E, finalmente, a pior das deficiências é ser miserável, pois:
 "Miseráveis" são todos que não conseguem falar com Deus.
 "A amizade é um amor que nunca morre."
Mario Quintana (escritor gaúcho nascido em 30/07/1906 e morto em 05/05/1994 .

Informação falsa em currículo pode se tornar crime

Por Karla Santana Mamona - InfoMoney

 
Um Projeto de Lei (nº 6561/09) que tramita na Câmara dos Deputados estabelece pena de dois meses a dois anos de detenção para quem inserir informações falsas no currículo.
 Segundo a proposta, será enquadrado nesta conduta quem falsificar currículo para satisfazer interesse pessoal, causar danos a terceiros ou habilitar alguém a obter cargo, emprego ou qualquer outra vantagem.

 Punição específica

 Para o autor do projeto, deputado Carlos Bezerra (PMDB-MT), ele é necessário pois os currículos têm sido alvos constantes de falsificação para obtenção de vantagens indevidas ou para causar prejuízos a terceiro.

 Ele afirma ainda que atualmente, no Código Penal, não está prevista punição específica para falsificação em currículos. O código estabelece penas para falsidade documental, com reclusão de um a cinco anos para quem falsificar documento particular.
 O projeto deve ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania, antes de ser votado pelo Plenário da casa.
 Currículo
 Com a possibilidade dessa nova lei, a elaboração do currículo deve ser levada ainda mais a sério. Para isso, confira algumas dicas, elaboradas pela gerente de Treinamento do Nube, Carmen Alonso:

  •  Dados Pessoais - Coloque seus dados pessoais no início do currículo para facilitar sua identificação. Não é necessário colocar número de documentos ou referências pessoais, a não ser que a empresa solicite.
  • Objetivo - Indique somente uma área de interesse. Se houver mais de uma, faça mais de um currículo com objetivos diferentes.
  • Qualificações - Destaque no máximo quatro qualificações adquiridas em experiências de trabalho. Outras habilidades poderão ser mostradas durante o processo seletivo.
  • Formação Acadêmica - Ordene sua atual ou última graduação para a primeira. Obedeça a ordem: curso, instituição de ensino, ano de conclusão ou ano de início e término. O nível técnico ou ensino médio devem ser colocados apenas quando forem relacionados à formação atual ou à área de interesse.
  • Experiências Profissionais - Coloque o nome da empresa e o período em que trabalhou. Informações sobre a empresa mostram que você se preocupou em informar quem analisa o currículo.
  • Atividades Realizadas - Seja objetivo quando for descrever suas experiências.
  • Idiomas - Especifique qual o nível de fluência. Experiência de intercâmbio são valorizadas, portanto, se houver, coloque-as.
  • Inclua os treinamento e cursos realizados que tiverem relação com a futura área de atuação.
  • Atividades Complementares - Valorize atividades que você exerceu no meio acadêmico.

 

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

Perigo dos cursos sequenciais e tecnólogos

Tiago Pires
Com o término do ensino médio, muitos jovens agora decidem que curso superior escolher. As faculdades e universidades de todo o Brasil expandiram seus pólos educacionais, aumentaram seu quadro de vagas em cada curso, criaram novos cursos e novas tendências de ensino superior.

Uma dessas novas tendências de ensino é o sistema de curso na modalidade seqüencial ou de formação específica, que visa ampliar os conhecimentos, mas não pode ser considerado como uma graduação. Os cursos seqüenciais ou de formação específica são definidos por “campo do saber”, enquanto que os cursos tradicionais são oferecidos por área do conhecimento e suas habilitações. Portanto, essa modalidade de ensino não deve ser entendida como atalho para uma graduação.

Em todo o Brasil, várias instituições particulares e/ou públicas de ensino superior oferecem cursos de formação específica. Jovens sentem-se atraídos pela “facilidade” de terminarem seus estudos em tempo estimado de dois anos. Mas deve-se ter cuidado, pois esses cursos não são reconhecidos pela legislação brasileira como profissão. Dentre eles, destacam-se dois, o de gestão em marketing e o de gestão empresarial, esse último é o mais procurado por jovens, em vista de substituir o diploma de administração.

Muitos egressos desses dois cursos tentam usufruir das “habilidades” adquiridas, mas são impedidos por uma lei federal. A lei 4.769/65 não dá a possibilidade de registro profissional para os ex-alunos ou formandos do curso de gestão. O Conselho Regional de Administração (CRA) é o responsável por essa fiscalização.

Os principais serviços oferecidos por gestores empresarias e gestores de marketing da nossa cidade são: consultoria empresarial, relatórios, laudos, estudos, análises, gerência média ou direção superior, funções e atribuições de um bacharel em administração detentor de um registro, o exercício dessas atribuições por um tecnólogo pode ser considerado como exercício ilegal da profissão, tendo o mesmo que pagar uma multa de até 50% sob o valor do salário mínimo vigente. Por isso todo cuidado é pouco na escolha do curso superior que se pretende seguir, na dúvida a melhor alternativa é escolher um curso na modalidade de bacharel ou licenciatura, evitando assim frustrações futuras.

Tiago Pires é estudante do sétimo período em Administração pela Faculdade Aiec. É Assistente Comercial da Sotreq S/A.

segunda-feira, 8 de fevereiro de 2010

Qualidade...

"Na qualidade não vale o maior, mas o melhor; não o extenso, mas o intenso; não o violento, mas o envolvente; não a pressão, mas a impregnação".

sábado, 6 de fevereiro de 2010

Lembranças da minha infância em Pedreiras MA

A importância da Logística para as Empresas Brasileiras


Atualmente as Empresas Brasileiras vivem um momento extremamente desafiador. Este novo cenário é caracterizado pela busca por maior competitividade, maior desenvolvimento tecnológico, maior oferta de produtos e serviços adequados às expectativas dos Clientes e maior desenvolvimento e motivação de seu capital intelectual (seus recursos humanos).

Para superar estes desafios, algumas Empresas buscam tomar ações voltadas para redução de custos de uma forma isolada (através da eliminação de posições em seu quadro de colaboradores, eliminação do cafezinho, controle de ligações telefônicas e outras tão conhecidas). Estas ações, às vezes se fazem necessárias, no entanto, quando tomadas de forma isolada, não garantem o resultado desejado.

Por outro lado, temos Empresas que enxergam a Logística como uma estratégia competitiva bastante eficaz. Estas Empresas planejam e coordenam suas ações gerenciais de uma forma integrada, avaliando todo o processo desde o Fornecimento da Matéria Prima até a certeza de que o Cliente teve suas necessidades e expectativas atendidas pelo produto ou serviço entregue.
O resultado é a superação dos desafios apresentados e conseqüentemente um melhor posicionamento no mercado.

Como pontos centrais da Logística podemos destacar:
  • Visão integrada e sistêmica de todos os processos da Empresa. A ausência deste conceito faz com que cada área / departamento da empresa pense e trabalhe de forma isolada. Isto gera conflitos internos por poder e faz com que os maiores concorrentes de uma empresa estejam dentro dela mesma;
  • Fazer com que as "coisas" (materiais e informações) se movimentem o mais rápido possível, conseguindo assim otimizar os investimentos em ativos (estoques);
  • Enxergar toda a cadeia de suprimentos como parte importante do seu processo. Seus Fornecedores, Colaboradores, Comunidade e Clientes são como elos de uma corrente e estão intimamente interligados. Por isso, devemos sempre avaliar se suas necessidades e expectativas estão sendo plenamente atendidas;
  • O Planejamento (Estratégico, Tático e Operacional) e a constante Avaliação de Desempenho, por meio de indicadores, são ferramentas gerenciais essenciais para o desenvolvimento de um bom sistema logístico;
  • O uso de sistemas de informação (ERP, WMS, TMS ...) que forneçam suporte as decisões que precisam ser cada vez mais velozes e em um ambiente de incertezas e competição muito grande;
  • O aumento da colaboração entre Fornecedor e Consumidor através do compartilhamento de informações relevantes para o nível de serviço desejado.

Hélio Meirim, Administrador, Mestrando em Administração possui especializações em Logística, Marketing,

Quero agradecer a todos que estão me seguindo neste BLOG

Quero agradecer a todos que estão me seguindo neste BLOG: http://jorgenca.blogspot.com/ ... ....

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Pequenas empresas respondem por dois terços dos novos empregos, diz Ipea

As pequenas empresas foram as principais responsáveis pela criação de empregos em dez anos -- entre 1989 a 2008. A cada três ocupações abertas no setor privado não agrícola, duas foram em pequenas empresas com até dez funcionários, mostra pesquisa do Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), divulgada nesta quinta-feira.

O levantamento aponta que, em 2008, os empregados em pequenos negócios representavam 27,1% do total de trabalhadores assalariados do país. Já os empregadores correspondiam por 78% do total de empresários e postos de trabalho por conta própria.

O Ipea mostra ainda que, em 2008, a renda média dos ocupados nestes estabelecimentos foi de R$ 902,10, sendo R$ 633,03 para os empregados assalariados, de R$ 2.607 para empregadores e R$ 807,34 para trabalhadores por conta própria.

Contudo, somente 29,4% do total de vagas em negócios com até dez trabalhadores tinham alguma proteção pela atual legislação trabalhista. Entre os ocupados por conta própria, apenas 16,7% estavam amparados pela lei. Já entre os assalariados o percentual foi maior, de 40,8%, e entre os empregadores ficou em 55,8%.

Segundo o estudo, "a presença de ocupações precárias e de baixa remuneração continua a ser um dos problemas estruturais que atingem os pequenos negócios no Brasil".

Dentro dos pequenos empreendimentos, 18,7 milhões eram trabalhadores por conta própria (48,7%), 16,5 milhões eram empregados assalariados (43%) e 3,2 milhões eram empregadores (8,3%).

Em relação a jornada de trabalho, 15,4 milhões (40,3%) trabalhavam mais de 44 horas por semana. Já no quesito escolaridade, apenas 10,8% dos ocupados tinham ensino superior, completo ou incompleto. A maioria possuía ensino fundamental, 48,2%, e outros 41% estavam no ensino médio.

Sobre as perspectivas para os próximos anos, o Ipea aponta que até 2020 há possibilidade de geração de 19,3 milhões de ocupações no setor não agrícola, sendo que mais da metade será nos pequenos empreendimentos.

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br/folha/dinheiro/ult91u689377.shtml

É proibido proibir as Redes Sociais nas empresas

 Um líder olha para o lado e vê aquele funcionário conversando pelo MSN com outro colega e logo pensa: “Preciso bloquear isso na empresa!”. De fato, se olharmos apenas para um lado, o MSN pode até tirar um pouco a produtividade dos profissionais, paralisando a atividade deles para trocar piadinhas sobre o chefe, enviar dicas de jogos e até receber links daquela mulher fantástica! Mas você pode resolver isso estabelecendo uma política de rastreio das mensagens indesejáveis que circulam internamente por ele. Só de mencionar esta idéia os funcionários com certeza terão mais cuidado com o que digitam. Mas visto por outro lado o MSN também traz alguns benefícios: agilidade nas comunicações internas e externas, dicas para aquela ferramenta freeware útil para o trabalho interno da empresa, dicas de links para novas idéias para aquela campanha publicitária e etc. Todos os líderes já pensaram em algum momento coibir a comunicação externa pela internet dos seus funcionários. É melhor estudar mais o assunto antes de cometer este crime.

O mundo mudou radicalmente, e estamos diante de uma nova forma de gerir as empresas e as pessoas. Os jovens que se formam hoje já vêm para o mercado com DNA digital. Ou seja, quase todos eles têm uma visão de mundo dentro da internet, como buscar informações ou se apoiar em estratégias rápidas para solucionar problemas usando a web como ferramenta. É como se eles tivessem nascido com a internet debaixo do braço. O comportamento desta nova geração que está chegando ao mercado de trabalho também vem com um comportamento diferente. Eles aderem radicalmente a ondas, modas ou idéias malucas com uma facilidade incrível. Lembram da idéia de andar no metrô apenas com as roupas de baixo? Posso citar aqui dezenas de outras que apareceram há pouco tempo. É como se eles precisassem que uma nova revolução nascesse todos os dias. Cabe aos líderes abrir espaço para algumas destas “revoluções de um dia só”, mas procurando ter pulso para que eles assumam a devida responsabilidade pelas consequências. Antes que as empresas pensem em estudar ou bloquear o uso do Twitter, é bem provavel que ele já seja uma ferramenta comum na empresa. Por isso sua empresa já pode estar refém desta situação. Está na hora de você correr para não ficar para trás.

Desde o início do ano passado as redes sociais caíram nas graças do mercado de internet brasileiro. O Brasil já se tornou um campo de testes ideal para novas ferramentas e tecnologias de redes sociais. Depois do crescimento do orkut, veio o Facebook crescendo em larga escala, e logo depois o twitter em um ritmo bem mais acelerado. A história do índice de crescimento no uso do MSN, Orkut e até o Facebook não chegam perto do que está acontecendo. Até junho do ano passado apenas 15% do mercado, estava conectado no “Twitter”. Ele já havia crescido 70% nos meses anteriores. Para se ter uma noção, até junho de 2009 apenas 2% dos usuários do serviço vinha do Brasil. Agora respondemos por 8,8%, ou o segundo maior mercado de uso da ferramenta no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos (segundo estudo da Sysomos, divulgado pela revista IDGNow). Isso significa que ultrapassamos mais de 9 milhões de usuários do serviço no Brasil, um crescimento espetacular chegando quase a 25% dos internautas brasileiros. Isso significa que é natural esperar que o índice de uso cresça quase na totalidade do mercado de usuários da internet no Brasil e no mundo. E por isso mesmo, as empresas precisam olhar para as redes sociais como a ferramenta web de 2010. As redes sociais na internet representam mais uma oportunidade de negócios para um empreendedor ou empresa. E são justamente o uso destas novidades que podem fazer uma empresa ser mais atraente que outra. Mas o que fazer então?

Primeiro jamais pense em bloquear ou limitar o uso do Twitter na empresa. Se você fizer isso você quase que estará bloqueando o acesso à internet. Imagine os prejuízos que isso pode causar! Você estará fechando os olhos e o futuro da sua empresa. Seus profissionais precisam de informação para continuar evoluindo ou simplesmente ajudar seu negócio a permanecer no mercado. O Twitter é uma imensa ferramenta, muito poderosa em todos os sentidos. É preciso montar uma estratégia que abranda a divulgação de informações internas, externas até o marketing virtual.

No caso das informações internas você pode estabelecer um perfil geral por departamento e analisar se isso precisa ser privativo ou não. No caso de novas propostas ou informações externas você pode ou criar novos perfis para cada uma ou estabelecer um perfil por produto. Tudo vai depender do objetivo. O fato é que você deve pensar o que pode sair ou não sobre a empresa na internet de origem interna. As lideranças devem conversar com suas equipes internas e estabelecer uma política. Cuidado ao postar mensagens! É preciso lembrar que as redes sociais divagam notícias muito mais rapidamente que qualquer spam ou marketing pela TV. As pessoas em geral talvez não fiquem 8 horas por dia ligadas na TV, mas estarão muito mais conectadas daqui para frente na internet do que antes. E isso significa que uma mensagem mal colocada pode chegar a milhões de usuários em questão de minutos. Por isso a equipe interna deve pensar bastante se vale a pena ter algum acompanhamento interno para aquele perfil estratégico. Tudo deve ser analisado caso a caso.

No caso do marketing virtual através das redes sociais ofereça um benefício para seu cliente ter interesse em acompanhá-lo pela internet, seja pelo Facebook ou pelo twitter. Cada ramo de negócio vai exigir uma estratégia diferente, desde fornecer informações e dicas importantes até descontos em produtos aos seguidores. A qualidade e a necessidade das mensagens vai definir se seu cliente vai ou não segui-lo. Estabeleça uma frequência de divulgação das informações de forma que seu cliente se acostume com elas, mas assuma isso como definitivo, pois ele vai te cobrar se notar que as informações não estão mais chegando.

Não é fácil para as empresas e para seus líderes acompanhar as novidades com a velocidade que elas ocorrem hoje. Com certeza proibir o acesso às redes sociais não será a solução, será sua pior alternativa. Censurar a busca de novos caminhos vai limitar sua busca pelo crescimento e pelas inovações.

Por Márdel Vinicius de Faria Cardoso: tem 43 anos. É Bacharel em Ciência da Computação pela PUC-MG. Pós-Graduado no MIT-Master Information Tecnology pela FIAP-SP.

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

Como Anda a sua empregabilidade?

Por Wagner Campos

Como todos sabem, o mercado está cada vez mais competitivo. Como se não bastassem os motivos tradicionais de tanta competitividade, após a crise americana, os candidatos a seu primeiro emprego ou recolocação no mercado passaram a ter mais de 700.000 pessoas competindo pelas vagas que já estavam difíceis de conseguirem.

Ficar desesperado e dando tiro para todos os lados também não será a melhor alternativa. É preciso ter foco, preparo e uma boa estratégia profissional. Agora, mais do que nunca, você precisa conhecer muito bem a empresa, as oportunidades, o mercado e principalmente a si mesmo para saber explorar suas forças de forma a se sobressaírem sobre suas necessidades de melhoria.

Segundo Renato César Lena, para possuir uma boa empregabilidade, devemos analisar os seguintes aspectos:

O mercado em que você atua:    O mercado está em ascensão ou se encontra saturado? Quanto mais saturado o mercado estiver, maior será a rotatividade de profissionais e menor será a o pacote de benefícios oferecido pelas empresas.

Exigências quanto à formação no seu ramo de atividade: As empresas que você deseja atuar exigem uma formação específica? Alguns anos atrás, tal exigência era rara, atualmente já é mais freqüente, sendo um complemento para a experiência profissional.

Experiência profissional: Você tem experiência no mercado? Quanto maior sua experiência, maiores serão as oportunidades, pois o mercado entende que poderá proporcionar resultados em menor espaço de tempo.

Competências gerais e específicas: O mercado tem buscado profissionais especialistas e também generalistas que tenham um excelente relacionamento interpessoal, dominem várias áreas e consigam superar as adversidades sem grandes dificuldades.

Network: Quem são as pessoas que você se relaciona? Qual a posição delas no mercado? Quem você conhece que pode ter alguma influência positiva e alerta-lo de novas oportunidades? É importante ter um bom relacionamento profissional, pois as indicações não garantem vagas, mas abrem oportunidades mais rapidamente. Tenha sempre bons contatos.

Imagem: Você tem o hábito de comprar produtos em embalagens amassadas, rasgadas ou apresentando qualquer tipo de dano aparente? Acredito que como a grande maioria da população, você prefira os produtos intactos e que apresente uma aparência mais conquistadora. A imagem do profissional representa boa parte do que ele é e pode oferecer? Crie o hábito de zelar por sua aparência, utilizando roupas adequadas aos ambientes em que você estiver presente. Saiba utilizar o tom de voz corretamente, bem como seus gestos. A forma com a qual você se veste, fala e se comporta pode abrir ou fechar portas, mesmo que você tenha um excelente currículo.

Automotivação: Você costuma ficar reclamando de suas dificuldades ou procura resolve-las imediatamente? Aponta problemas ou apresenta soluções? Acredita em seu sucesso ou tem o hábito de justificar seu fracasso? Pessoas automotivadas superam os desafios com maior facilidade e aproveitam melhor as oportunidades.

Adaptabilidade: Você se adapta facilmente aos ambientes estressantes e com mudanças constantes? Profissionais diferenciados apresentam um índice de empregabilidade maior por serem mais flexíveis, demonstrando rapidez em suas adaptações às mudanças dos ambientes, independentemente da velocidade delas, mantendo ou até mesmo aumentando seus resultados.

Podemos perceber que para ampliar a empregabilidade não dependemos apenas de uma boa experiência profissional e titulação acadêmica, mas também de uma excelente análise estratégica do mercado que desejamos atuar. É preciso realizar uma análise de todas as situações que influenciam direta e indiretamente nossas vidas para que assim possamos direcionar nossos esforços e obter o sucesso profissional.

O profissional diferenciado se destaca já na fase de seu planejamento estratégico profissional, quando busca melhores oportunidades de mercado, realizando uma identificação e seleção criteriosa de todas as informações pessoais e de mercado, definindo seus objetivos e metas para desta forma mantenha o foco no sucesso desejado.

E então? Como anda sua empregabilidade?

Prof. Wagner Campos é Palestrante e Conferencista em Vendas, Motivação e Liderança

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Ideias Inovadoras: Flip




Pra muita gente, o termo inovação ainda quer dizer o avanço tecnológico ou a criação de uma nova tecnologia. No entanto, isso está longe de ser verdade. Abaixo, vou falar de um case fantástico que mostra, claramente, que, a inovação pode estar em ideias simples - e até óbvias - que ninguém conseguiu ver antes.

Uma empresa norte-americana chamada Pure Digital revolucionou o mercado de filmadoras digitais ao desenvolver um produto muito mais simples e com menos funções do que os concorrentes. Ao invés de criar uma nova categoria de produto ou adotar novas tecnologias, seus fundadores, Jonathan Kaplan e Ariel Braunstein, enxergaram que, enquanto o mercado se dedicava ao desenvolvimento de câmeras mais modernas, complexas e, portanto, mais caras, os consumidores não tinham a opção de um produto mais simples, de qualidade boa o suficiente para quem não é profissional ou semi-profissional.

Surgiu a Flip, uma câmera de qualidade razoável, simples de usar e com preço muito menor do que o da concorrência. Enquanto o preço médio de uma filmadora da Sony é de US$800, uma Flip custa em torno de US$150.

Além de filmar, a Flip possui apenas uma saída USB, que permite carregar a bateria e baixar os vídeos para um computador. Não há zoom, não há efeitos especiais ou iluminação. Com ela, vem um software bem simples para edição rápida de vídeo, que permite ao usuário juntar as partes favoritas, inserir trilhas, colocar textos, enviar por e-mail e subir para o Youtube. É o suficiente para filmagens amadoras, com a facilidade de enviar os vídeos para amigos ou subí-los para o Youtube. E qualquer um consegue utilizar.

A linha Flip possui aparelhos com vários tipos de resolução, tempo de filmagem e design. A empresa também vende acessórios, como o Flip Share TV, um pequeno monitor sem fio que permite assistir aos vídeos onde quer que se esteja, além de capas, tripés e cabos USB coloridos.

Em pouco tempo, a empresa conquistou 17% do mercado de filmadoras nos EUA, algo invejável em um setor de grandes players mundiais, como Sony, Samsung, etc. Em 2008, a empresa cresceu cerca de 45% e, em 2009, foi comprada pela Cisco por US$590 milhões.

O exemplo acima deixa evidente que a melhor inovação é aquela que facilita a vida das pessoas (e atende a necessidades que elas nem sabiam que tinham) e, consequentemente, gera melhores resultados financeiros para a empresa. Simplificar vale muito mais do que complicar. É por isso que o melhor tipo de inovação é aquele que parece óbvio.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

A difícil arte de ser você mesmo

“A cada bela impressão que causamos, conquistamos um inimigo. Para ser popular é indispensável ser medíocre”. Oscar Wilde
administradores.com.br

Empresário brasileiro está mais otimista em 2010

Por Raphael Hakime - R7A-A+

O empresariado brasileiro está mais otimista em relação à economia brasileira em 2010, segundo pesquisa divulgada nesta terça-feira (2) pelo Lide (grupo de líderes empresariais) em parceria com a FGV (Fundação Getúlio Vargas), durante seminário Brasil preparado para crescer do Lide (grupo de líderes empresariais), em São Paulo.

Para 74% dos empresários, os negócios neste ano estão melhores que em 2009. A contratação de novos trabalhadores está prevista para 70% dos empresários e somente 4% devem demitir. O valor alto dos impostos ainda continua sendo a queixa da maioria dos empresários (74%). O Lide reúne 750 empresários, ou seja, que respondem por 44% de tudo que é produzido no país.

O presidente do grupo Lide, João Dória Jr, afirmou que o objetivo do grupo de empresários é que a agenda do governo, ou seja, os projetos voltados ao país, tenham objetivos econômicos e não políticos.

- É importante prosseguir os investimentos em educação, promover a reforma tributária, a reforma política, aumentar a eficiência do setor público e eliminar a corrupção.

Para Ivan Zurita, presidente da Nestlé, o cenário econômico apresentado neste ano aponta para um crescimento sustentável.

- Os fundamentos estão dados: voltamos a receber investimento estrangeiro, as reservas brasileiras superam R$ 442,5 bilhões (US$ 240 bilhões), o empresariado está entusiasmado e as empresas estão mais resistentes. A perspectiva tem que ser positiva mesmo.

Para Abilio Diniz, presidente do Grupo Pão de Açúcar, o governo acertou em priorizar o consumo interno, ou seja, a demanda interna do país, em relação às exportações. O empresário afirma que o cenário apresentado na economia brasileira é para se comemorar.

- É preciso estimular o consumo e não o consumismo. Houve a redução dos impostos de produtos essenciais por parte do governo, o que significava [no início da implantação dos programas] o não adiamento das compras [por parte do consumidor]. Nas reuniões com investidores estrangeiros, sinto alegria em ser brasileiro. O Brasil vive um momento sensacional.

O Lide é uma associação de empresários, formado por líderes de corporações nacionais e internacionais, que promove a integração entre as empresas, organizações e entidades privadas, por meio de programas de debates, fóruns de negócios, atividades de conteúdo, iniciativas de apoio à sustentabilidade e responsabilidade social.

Fonte: http://noticias.r7.com/economia/noticias/empresarios-brasileiros-estao-otimistas-com-a-economia-20100202.html

Brasileiro que sou...

"Eu sou apenas um rapaz latino-americano sem dinheiro no banco, sem parentes importantes e vindo do interior." (Belchior)

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Fernando Pessoa

"Vivo sempre no presente. O futuro, não o conheço. O passado, já o não tenho" Fernado Pessoa (sempre ele...)

Aposentados brasileiros buscam maiores ganhos com a desaposentação

 http://www.administradores.com.br/noticias/

01 de fevereiro de 2010 14:10h

Mais um ano se iniciou e os primeiros meses são sempre iguais para os contribuintes brasileiros: é chegado a hora de pagar os impostos como o IPTU, IPVA, fora os gastos com as matrículas e os materiais escolares que também sofrem altas tarifações.

Anos passam, e os aposentados continuam reclamando do valor que recebem mal dando para pagar os tributos. Mas, essa situação vem se revertendo e um grande número de pessoas estão procurando o direito de se desaposentarem.

O advogado previdenciário Guilherme de Carvalho, do escritório G Carvalho, explica que muitos casos de clientes que recorrem são porque o beneficiário se aposentou cedo, recebendo um pequeno valor devido ao fator previdenciário. “Por causa da baixa renda, o cidadão continua na ativa, podendo rever os valores na Justiça. O beneficiário que se aposentou e continuou a trabalhar e contribuir para o Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) pode rever os valores na Justiça”, garante.

A Justiça brasileira vem contribuindo para a questão, concedendo pareceres favoráveis. “Tivemos em apenas um dia 51 ações com pareceres favoráveis de desaposentação concedidos pelo Tribunal Regional Federal de São Paulo. O Tribunal da 1º Região em Brasília garantiu a desaposentação de um cliente do escritório que recebia mensalmente R$ 1.160,00. Com a revisão dos valores, o cliente passou a receber o valor máximo pago pela previdência social, R$ 3.218,90”, diz o advogado previdenciário Guilherme de Carvalho.

“Para quem possui esse direito é necessário o cálculo para saber o quanto a mais passará a receber, mas, isso é um trabalho que será realizado pelo advogado responsável pelo processo. E também é importante reforçar que até que a nova aposentadoria saia, a pessoa beneficiária do INSS continua recebendo a antiga sem prejuízos”, explica o advogado Guilherme de Carvalho.

CFA aprova registro para tecnólogos

Medida vai beneficiar os profissionais diplomados em curso superior de tecnologia voltado para a área da Administração

Nos últimos anos, aumentou o número de cursos superiores tecnológicos. Para se ter uma idéia do crescimento, segundo o Censo da Educação Superior de 2007, divulgado pelo Instituto Nacional de Pesquisa e Estatística Anísio Teixeira (Inep/MEC), dos cerca de 24 mil cursos de ensino superior ofertados o país, quase quatro mil são tecnológicos. Nas áreas relacionadas à Administração, por exemplo, são formados aproximadamente cerca de 20 mil tecnólogos por ano.

Pensando nestes profissionais, o Sistema Conselhos Federal e Regionais de Administração (CFA/CRAs) publicou as Resoluções Normativas nº 373,374 e 379/2009 onde aprova o registro para os tecnólogos das áreas da Administração. A partir de então, passa a ser obrigatória a obtenção do registro para exercer a profissão.

Ao editar as resoluções, o Conselho cumpriu com sua missão legal de orientar, disciplinar e fiscalizar o exercício profissional daqueles que exerçam ou explorem funções restritas à Administração. “Dessa forma atendemos a própria legislação educacional em vigor, ou seja, acatamos a formação acadêmica dos profissionais egressos de cursos devidamente reconhecidos pelo MEC.

Os cursos superiores de tecnologia e os de bacharelado são modalidades de graduação. Porém, as suas bases legais são diferentes. Cabe ao bacharel em Administração atuar em todo o campo de conhecimento da administração e ao Tecnólogo atuar somente em uma determinada área do conhecimento dessa ciência. O seu exercício profissional está restrito à sua formação acadêmica.

Uma das vantagens de ser um profissional registrado é ser reconhecido no mercado de trabalho como uma pessoa qualificada e apta a exercer a profissão. Além disso, contará com o respaldo do Sistema CFA/CRAs para proteger os diretos profissionais e pelo reconhecimento da profissão.

O diplomado em curso superior de tecnologia já pode solicitar o seu registro no Conselho Regional de Administração do seu estado. Além dos documentos pessoais como identidade e CPF, o interessado precisa apresentar o requerimento de registro preenchido e o diploma de conclusão. Porém, é importante ressaltar que o curso esteja reconhecido pelo MEC. Para saber quais são eles, basta acessar o Catálogo Nacional dos Cursos Superiores de Tecnologia (http://catalogo.mec.gov.br). Atualmente existem muitas opções de cursos tecnológicos na área de Administração aprovados como, por exemplo, “Gestão Financeira”, “Gestão Pública”, “Gestão de Cooperativa” e “Gestão da Qualidade”.

Adm. ROBERTO CARVALHO CARDOSO
PRESIDENTE DO CFA